Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286095
Type: TESE
Title: Variedades de capitalismo e reescalonamento espacial do estado no Brasil
Title Alternative: Varieties of capitalism and the state space rescaling in Brazil
Author: Souza, Marcos Barcellos de, 1980-
Advisor: Brandão, Carlos Antonio, 1959-
Abstract: Resumo: Essa Tese pretende oferecer uma contribuição ao debate sobre economia política regional e urbana no Brasil ao explorar as relações entre o Estado, as instituições e as escalas geográficas na produção e regulação do desenvolvimento espacial desigual no país. Para atingir esse objetivo, é necessária uma rigorosa reflexão sobre a produção das escalas e sua relação com a espacialidade do Estado. Partimos da noção de que se a Questão Regional é uma questão do Estado, é necessário aprofundar o entendimento do reescalonamento espacial do Estado e analisar os pressupostos teóricos e manifestações concretas desse fenômeno no Brasil. O debate sobre escalas espaciais e sobre novos processos de des/re-territorialização tem muito a contribuir nas discussões sobre a globalização e sobre a crise regulatória do Estado Nacional. Adotamos uma metodologia processual e uma Abordagem Estratégica-Relacional para analisar o reescalonamento do Estado, partindo da ideia de que a Hegemonia é disputada em múltiplas escalas através de projetos hegemônicos e estratégias de acumulação concorrentes, o que permite estabelecer as relações entre mudanças no bloco hegemônico e nas formas espaciais do Estado. Nesse sentido, nos aproximamos da Abordagem da Regulação e investigamos as relações entre escalas espaciais, acumulação e regulação no Brasil. Busca-se entender as formas de imersão sócio espacial das localidades e suas relações com regimes regulatórios, mecanismos de governança e transformações do Estado. Nesse trabalho, empregamos esses conceitos juntamente com interpretações existentes sobre o Estado Desenvolvimentista no Brasil e aplicamos os diálogos possíveis numa (re) leitura do papel assumido por essa forma de Estado na produção e regulação do desenvolvimento espacial desigual. Partimos da noção de que o tipo de Estado (Desenvolvimentista) brasileiro precisaria, necessariamente, assumir sua realidade de subdesenvolvimento. Pretende-se analisar como a urbanização e o desenvolvimento regional acabam criando formas específicas de deslocamento e de geração de crises regulatórias, assim como estratégias correspondentes de intervenção política para resolvê-las. Discutimos a crise do Estado Desenvolvimentista e as formas como a neoliberalização do Estado passa a comandar os processos de reescalonamento

Abstract: This thesis aims to provide a contribution to the debate on urban and regional political economy in Brazil by discussing the relationships among the state, institutions and geographical scale in the production and regulation of uneven spatial development. To achieve this goal requires a thorough reflection on the production of scales and their relationship to the spatiality of the state. We start with the notion that if the Regional Question is a matter of the state, it is necessary to deepen our understanding of the rescaling of state space and to analyze the theoretical and concrete manifestation of this phenomenon in Brazil. The debate on spatial scales and new processes of de / re-territorialization has much to contribute to discussions on globalization and the regulatory crisis of the national state. We adopt a procedural methodology and a Strategic Relational Approach to examine the state rescaling, based on the idea that hegemony is played at multiple scales through competitive hegemonic projects and accumulation strategies, which allows establishing the relationships between changes in the hegemonic bloc and spatial forms of the state. In this sense, we adopt the Regulation Approach and investigate the relationship between spatial scales, accumulation and regulation in Brazil. We seek to understand the socio spatial embeddedness of localities and their relationships with regulatory regimes, governance mechanisms and state transformations. In this work, we employ these concepts together with existing interpretations of the Brazilian Developmental State and apply those ideas in a (re) reading of the role played by this form of state at the production and regulation of uneven spatial development. We start with the notion that the Brazilian type of Developmental state must assume its reality of underdevelopment. We intended to examine how urbanization and regional development create specific forms of displacement and generation of regulatory crises, as well as corresponding strategies of political intervention to resolve them. We discuss the crisis of the Developmental State and the ways the neoliberalization of the state will command the processes of rescaling
Subject: Capitalismo - Brasil
Estado - Brasil
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Souza_MarcosBarcellosde_D.pdf2.9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.