Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/284945
Type: TESE
Title: Focos privados em espaços públicos = um exercício de construção fotográfica
Title Alternative: Private focus on public spaces : an exercise in photographic construction
Author: Mann, Oliver Nieves
Advisor: Farina, Mauricius Martins, 1961-
Abstract: Resumo: Villém Flússer propõe em seu texto Filosofia da Caixa Preta dois conceitos opostos que desafiam a autonomia criativa no fazer fotográfico. Se "funcionário" é operador do aparelho e age de acordo com programa pós-industrial revestido em seu interior, a figura do "fotógrafo" vem acrescentar uma possibilidade de subversão a esse programa. Esta capacidade demonstra-se então bem relativa pois é da natureza do aparelho servir-se da criatividade do fotógrafo criando novos programas que aumentarão as exigências do desvio. Haverá então repertório infinito para novas imagens? Esta pesquisa propõe apontar alguns paralelos entre uma fotografia na qual a documentalidade vinculada a um imaginário fortemente calcado no realismo perspectivista é marca aparente, e uma fotografia que procura finalmente transcender os programas impostos por esta visão aparelhística. Procurou-se exemplos desta problematização em obras heterogêneas como a de Rodtchencko, August Sander e Bernd & Hilla Becher, incluindo também, no último caso, as escolas fundadas a partir de suas metodologias de abordagem entre objeto e referente. Ponto capital na análise de cada obra é o domínio rigoroso da sintaxe fotográfica demonstrada por cada autor, mesmo que, o grau de contingencialidade prevaleça mais em uns que em outros. De forma dialógica, esta pesquisa ainda propõe apontar certos aspectos onde o domínio da programaticidade e da retilinearidade do aparelho escapa a raros estados em que a fotografia não mais se coloca como uma construção semântica codificada por elementos geométricos historicamente convencionados, mas como Barthes nos diz: como "uma força constativa", ao "isto é" e "isto foi", no qual o noema não parte do objeto, mas do tempo. Se este é o caminho para a renovação da fotografia a idéia da liberdade do fotógrafo adquire contornos diversos ao que foi apresentado por Flússer. Concomitante à revisão da literatura, a outra metade do desenvolvimento desta pesquisa compreende um exercício de construção fotográfica em forma de tipologias com móveis domésticos descartados no ambiente urbano, Esta proposta prática é indissociável aos conceitos teóricos aqui propostos

Abstract: Villem Flusser suggested in his text "Towards a Philosophy of Photography" two opposite ideas which challenge the creative autonomy in making photography. If the "worker" is the "operator" of the apparatus and act according to the postindustrial program inward cover, the "photographer" come to add more subversive possibilities to the program. This capacity then demonstrate relativity for it's the apparatus nature to serve the creativity of the photographer creating new programs which adds the demand of diversion. Then there will be a repertory of infinite new image? The proposal of this research is to show some parallels between the photography in which a imaginary documental links strongly - stepped on realistic perspective which is the aparent mark, a photography which search firmly to beyound of its program impose for this visual apparatus. Looking after example of this question in heterogeneous work, like Rodtchencko, August Sander and Bernd & Hilla Becher, which includes also in the last case, the school founded, starting on its methodic approach between object and reference. The analitical highpoint in each work is the rigorous dominion of the photographic sintax demonstrated by each author inspite the degree of contingency that prevails, mor or less at each others. The dialogical form of this research again, suggest certain aspects where dominion of programaticity and the retilianerity of the apparatus escape to rare moments in which photography doesn't set like a semantic construction codified by geometrical elements historically agreed, but as Barthes have said, "confirmed force", a "that is" / "that was" in which perception (noema) don't start from the object, but from time. If this is the way of the photographic renovation, the idea of the emancipation of the photographer acquires diverse configuration which on presented by Flússer. Together with the literary revision, the other half of the development understand the practice of the photographic construction in the tipological form with cast-off household furniture in the urban environment. This practical proposal is unseparable with the theorical ideas as propose
Subject: Arte
Fotografia - Tipologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IA - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mann_OliverNieves_M.pdf10.8 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.