Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/284502
Type: TESE
Title: Estéticas políticas da tela : ativismo e o uso da imagem em redes de comunicação digital
Title Alternative: Political aesthetics of the screen : activism and the use of image in digital communication networks
Author: Silva, Tarcisio Torres
Advisor: Hildebrand, Hermes Renato, 1954-
Abstract: Resumo: Este trabalho procurou investigar a utilização da imagem em manifestações ativistas contemporâneas com ampla repercussão mundial, considerando o impacto das novas tecnologias de comunicação sobre tais práticas, assim como sua relação com as mídias tradicionais. A ênfase dada ao campo da imagem é uma tentativa de propor novas perspectivas de análise a um ambiente de significação em transformação. Em sua composição, nota-se uma produção crescente de cunho amador, além de seu caráter híbrido que agrega ações físicas e virtuais, assim como a propagação em redes de comunicação horizontais e verticais. Para que o objetivo proposto fosse atingido, abordou-se inicialmente o potencial estético-político das imagens mecânicas e eletrônicas com o intuito de localizar elementos existentes em tecnologias de mídia anteriores ao digital que contribuíssem para a argumentação inicial. Em seguida, foi apresentado o campo da biopolítica, com ênfase nos trabalhos de Foucault, além de conceitos essenciais para as análises que se seguiriam, tais como "multidão" (Hardt e Negri) e "trabalho imaterial" (Lazzarato e Negri). Após esta localização teórica, foram propostos dois blocos analíticos. Em ambos, optou-se por observar movimentos que surgiram ao longo do desenvolvimento deste trabalho. No primeiro, destaca-se a Revolução Verde no Irã e a Primavera Árabe no Norte da África e Oriente Médio. Neste momento em especial, foi evidenciado o poder de afecção das imagens dessas manifestações, assim como sua participação na "partilha do sensível", conceito proposto por Jacques Rancière. No segundo bloco, enfatizou-se a ação da ativista egípcia Aliaa Magda Elmahdy e dos grupos feministas Femen e Pussy Riot. Além disso, foi proposta nesta etapa a atualização do conceito de biopolítica por meio das idéias de Nicolas Rose e Giorgio Agamben. Em ambos os momentos de análise, foi observado que o corpo aparece como um elemento central para a compreensão das imagens selecionadas, pois ele é a chave para que sejam entendidas as forças biopolíticas que agem sobre a sociedade contemporânea. Como conclusão, observou-se que as imagens ativistas, de cunho amador e que circulam pelas redes de comunicação digital propõem um novo olhar para a produção político-visual contemporânea em função das particularidades por elas apresentadas. Além disso, tais imagens denunciam um campo paradoxal em que ao mesmo tempo se observa a tentativa de transgressão e uma incômoda simbiose com os sistemas estabelecidos de controle da vida

Abstract: This research investigated the use of the image in contemporary activist expressions which echoed worldwide, considering the new communication technologies impact on such practices and also its relation to traditional media. The emphasis given to the image field is an attempt of proposing new perspectives of analysis to a changing environment of signification. It can be noticed in its composition a growing amateur production, in addition to its hybrid nature which assembles virtual and physical actions, as well as propagation on vertical and horizontal communication networks. In order to achieve the research goal, it was initially discussed the political-aesthetical potential of mechanical and electrical images. The intention was to situate existing elements in media prior to digital that could contribute to the initial argumentation. It was then presented the biopolitics field, emphasizing the works of Foucault and also essential concepts to the following analysis such as "multitute" (Hardt and Negri) and "immaterial labor" (Lazzarato and Negri). After this theoretical approach, two analytical sections were presented. Some of the main movements which emerged along with the development of this research are mentioned in both. In the first section, the Green Revolution in Iran and the Arab Spring in North Africa and Middle East stand out. In this case, it was intended to demonstrate the power of affection inherent in the manifestation images, as well as their contribution to the "distribution of the sensible", a concept proposed by Jacques Rancière. In the second section, the actions of the Egyptian activist Aliaa Magda Elmahdy and the feminist groups Femen e Pussy Riot are emphasized. Besides these analyses, the concept of biopolitics is updated by means of the ideas of Nicolas Rose and Giorgio Agamben. In both moments of investigation, it was observed that the body emerges as a central element to the comprehension of the selected images because it is the key to understanding biopolitcs forces operating on contemporary society. In conclusion, it can be noticed that the amateur activist images circulating in digital communication networks provide a new look to the contemporary visual political production given their particularities. In addition, such images denounce a paradoxical field where it is observed at the same time an attempt to transgression and an uncomfortable symbiosis with established systems of life control
Subject: Imagem corporal na arte
Biopolítica
Corpo como suporte da arte
Arte e tecnologia
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IA - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_TarcisioTorres_D.pdf2.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.