Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283913
Type: TESE DIGITAL
Title: Níveis elevados de TNF-alfa no sangue de cordão umbilical em filhos de mães obesas
Title Alternative: High levels of TNF-alpha in the umbilical cord blood in children of obese mothers
Author: Baldi, Elisa de Toledo, 1985-
Advisor: Araujo, Eliana Pereira de, 1965-
Abstract: Resumo: Obesidade é uma grande preocupação na saúde pública mundial nos dias de hoje. Sua freqüente associação com algumas doenças, como: DM tipo 2, HAS, aterosclerose e alguns tipos de câncer, contribui para o comprometimento da qualidade de vida e longevidade. Estudos epidemiológicos indicam que em várias regiões do planeta crianças e jovens estão sendo acometidos precocemente por essa doença, fazendo com que suas projeções futuras sejam ainda piores. A obesidade materna tem sido implicada com distúrbios metabólicos da prole, porém, pouco se sabe a respeito de como o ambiente gestacional de uma mãe obesa pode determinar o desenvolvimento de doenças na vida adulta de sua prole. Objetivo: avaliar a expressão de citocinas inflamatórias (TNF-?, INF-?,TGF-1? ) e quimiocinas (MCP-1 e MCP-2) no sangue de cordão umbilical de bebês de mães com sobrepeso e obesidade, e correlacionar estes marcadores com o peso do bebê por volta dos 9 meses de idade. Métodos: estudo transversal de abordagem quantitativa. Os dados antropométricos das mães e dos bebês foram coletados do cartão de pré-natal da gestante e do prontuário do binômio, sendo registrados em impresso próprio. Foram coletadas 104 amostras de sangue de cordão umbilical, sendo: 54 do grupo 1 (mães com sobrepeso e obesidade) e 50 do grupo 2 (mães com peso adequado e baixo peso). As citocinas TNF-?, INF-?,TGF-1? e quimiocinas MCP-1 e MCP-2 foram avaliadas por meio de ELISA, segundo a orientação do fabricante de cada kit. Os lactentes foram localizados posteriormente através de contato telefônico com a mãe para informar os dados antropométricos e idade atual das crianças, conforme registro em cartão de acompanhamento pediátrico. As correlações entre as proteínas e o IMC materno foram estimadas por meio do coeficiente de correlação de Spearman. Já as comparações envolvendo os grupos de mães com sobrepeso e obesidade (grupo 1) e peso adequado e baixo peso (grupo 2) com relação às proteínas foram realizadas por meio do teste não-paramétrico de Mann-Whitney, considerado um nível de significância igual a 5%. Resultados: Somente a concentração da citocina TNF-? no sangue do cordão teve relação com o IMC materno, sendo aproximadamente duas vezes mais elevada em mães obesas e com sobrepeso do que em mães com peso adequado ou com baixo peso. Houve uma correlação inversa entre a concentração de TGF-1? no sangue de cordão e o peso do bebê ao nascimento. Conclusão: Apesar de não termos encontrado um marcador biológico que permita prever um maior ganho de peso de bebês durante os primeiros anos de vida, este estudo fornece informação adicional a respeito do risco proporcionado pela obesidade materna, uma vez que expõe o bebê a níveis mais elevados de uma citocina inflamatória desde etapas muito precoces da vida

Abstract: Nowadays, obesity is a major concern in global public health. Its frequent association with certain diseases, such as type 2 diabetes, hypertension, atherosclerosis and some cancers, contributes to reduced quality of life and longevity. Epidemiological studies indicate that in many parts of the world, children and young people are being affected early by this disease, making their future projections are even worse. Maternal obesity has been implicated in offspring¿s metabolic disorders, however, few studies have been done about how the gestational environment of obese mother can determine the development of diseases in offspring¿s adult life. Objective: To evaluate the expression of inflammatory cytokines (TNF-?, IFN-?, TGF-1?) and chemokines (MCP-1 and MCP-2) in the babies¿ umbilical cord blood of mothers with overweight and obesity, and correlate these markers with the baby's weight at around 9 months of age. Methods: Cross-sectional study with a quantitative approach. Anthropometric data of mothers and babies were collected from antenatal card¿s pregnant and the medical records of the binomial, being recorded in own form. It was collected 104 umbilical cord blood samples, as follows: 54 in group 1 (mothers with overweight and obesity) and 50 in group 2 (mothers with normal weight and underweight). The cytokines TNF-?, INF-?, TGF-1? and chemokines MCP-1 and MCP-2 were evaluated by ELISA according to manufacturer's instruction of each kit. The infants were later located by telephone with their mother to inform the anthropometric data and the current age of the children, as recorded in pediatric card. The correlations between proteins and maternal BMI were estimated using the Spearman correlation coefficient. The comparisons involving groups of mothers with overweight and obesity (group 1), normal weight and underweight (group 2) in relation to proteins, were performed using the non-parametric Mann-Whitney test, with a significance level equal 5%. Results: Only the concentration of TNF-? cytokine in cord blood was related to maternal BMI, being about twice as high in obese and overweight mothers than mothers with normal weight or underweight. There was an inverse correlation between the concentration of TGF-1? in cord blood and the baby¿s birth weight. Conclusion: Although we have not found a biological marker to forecast a baby¿s weight gain during the first year of life, this study provides additional information regarding risk provided by maternal obesity, since it exposes the baby to high levels of inflammatory cytokines from early stages of life
Subject: Obesidade
Inflamação
Sangue fetal
Citocinas
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Baldi_ElisadeToledo_M.pdf2.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.