Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283878
Type: TESE
Title: Vivência da gravidez de mulheres em situação de prisão
Title Alternative: Experience of pregnancy for women in prison situation
Author: Fochi, Maria do Carmo Silva, 1968-
Advisor: Lopes, Maria Helena Baena de Moraes, 1959-
Abstract: Resumo: Objetivou-se, neste estudo, descrever a assistência pré-natal ofertada à população carcerária feminina, realizada em uma unidade básica de saúde, e e conhecer a vivência destas gestantes em situação prisional, numa das maiores cidades do interior do estado de São Paulo. Primeiramente, foi elaborado o relato de experiência sobre a assistência pré-natal a gestantes em situação prisional em uma unidade básica de saúde, no qual se descreve o modelo assistencial da unidade, os recursos humanos e materiais e a dinâmica de atendimento Para atender ao segundo objetivo, realizou-se um estudo qualitativo, descritivo, com utilização do Método Clínico-Qualitativo. O tamanho amostral do estudo qualitativo foi estabelecido pelo critério da saturação teórica das informações. A amostra foi composta por treze gestantes com idade entre 21 e 33 anos de idade, em situação prisional. As entrevistas semidirigidas foram realizadas nas dependências da penitenciária feminina, com a presença apenas da pesquisadora e da entrevistada, sendo gravadas e literalmente transcritas pela pesquisadora. Utilizou-se a técnica de análise de conteúdo, com leituras flutuantes do corpus que possibilitaram a eleição de quatro categorias: `Aqui a gente não tem amiga, não tem nada¿; `A comida é ruim, não dá pra dormir¿; `Só Deus para me dar forças¿; `A cabeça da gente muda fica confusa, estranha, perdi tudo¿. Conclui-se que a assistência pré-natal oferecida às gestantes na unidade básica permitiu conhecer o universo pluralizado da mulher presidiária e suas necessidades decorrentes da condição de ser gestante em ambiente prisional. As vivências relatadas pelas gestantes em situação prisional evidenciaram que as necessidades humanas básicas como alimentação, sono, segurança e relacionamento social não eram atendidas na perspectiva destas mulheres. Para superar a situação de sofrimento e estresse em que se encontravam, algumas buscavam apoio em crenças religiosas e em Deus, outras se isolavam e evitavam confrontos, enquanto outras viam os problemas como forma de crescimento pessoal. Assim, considera-se que é importante o atendimento digno à saúde da população carcerária, direito humano e constitucional, para evitar agravos físicos, emocionais e sociais, que, na gestante, pode se estender à sua prole. Linha de Pesquisa: Processo de Cuidar em Enfermagem ¿ Saúde da Mulher. Palavras-chave: Saúde da Mulher, Atenção Básica, Gestações, Prisões

Abstract: The objective of this study was to describe the prenatal care delivered to incarcerated women at a primary health care unit, and to learn about the experiences of those pregnant women in on of the largest cities in upstate São Paulo, Brazil. First, an experience report was written regarding the prenatal care delivered to incarcerated pregnant women at a primary health care unit. The report lists the health care model adopted at the unit, the human and material resources, and the dynamics of care. Aiming to meet the second objective, a qualitative and descriptive study was performed, using the Clinical-Qualitative Method. The sample size of the qualitative study was established by theoretical saturation of the data. The sample comprised thirteen incarcerated pregnant women, of ages between 21 and 33 years. Semi-directed interviews were conducted at the women¿s penitentiary, of which only the subject and research participated. The interviews were recorded and fully transcribed by the researcher. Content analysis was used, and the exhaustive reading of the transcripts revealed four categories: `Here we have no friends, we have nothing; `The food is bad, you cannot sleep; `Only God can give me strength¿; `Our mind changes and we feel confused, strange, I lost everything¿. In conclusion, the prenatal care offered to pregnant women at the referred primary health care unit revealed the plural universe of incarcerated women and their needs due to their condition of being pregnant while in prison. The reported experiences of the incarcerated pregnant women showed that, from their view, basic human necessities such as eating, sleeping, safety and social relationships were not fulfilled. As an attempt to overcome the suffering and stress they experienced, some women sought support in religion and in God, while others isolated themselves and avoided confrontations or saw problems as a form of personal development. Thus, it is important to provide proper health care to the incarcerated population, being a human and constitutional right, to avoid physical, emotional and social harms, which in pregnant women may also affect their children. Line of research: The Care Process in Nursing ¿ Women¿s Health. Keywords: Women¿s Health, Primary Health Care, Pregnancies, Prisons
Subject: Saúde da mulher
Atenção primária à saúde
Gravidez
Prisões
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fochi_MariadoCarmoSilva_M.pdf1.61 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.