Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283865
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Qualidade do sono e evolução clínica de mulheres com câncer de mama : estudo longitudinal
Title Alternative: Sleep quality and clinical course in women with breast cancer : longitudinal study
Author: Schlosser, Thalyta Cristina Mansano, 1987-
Advisor: Ceolim, Maria Filomena, 1962-
Abstract: Resumo: OBJETIVOS: este estudo teve por objetivo primário avaliar as associações entre qualidade do sono e evolução clínica de mulheres com diagnóstico confirmado de câncer de mama, em tratamento ambulatorial ao longo de até 21 meses de seguimento. Os objetivos secundários foram analisar a probabilidade de má evolução clínica associada à qualidade e duração do sono em mulheres com câncer de mama, controlando os fatores prognósticos clássicos; avaliar a esperança e a depressão como variáveis mediadoras entre a má qualidade do sono e a má evolução clínica; verificar a associação entre qualidade do sono, depressão e esperança, ao longo do seguimento; identificar os fatores que influenciam a má qualidade do sono ao longo do seguimento. MÉTODO: estudo longitudinal realizado em serviço especializado de assistência à mulher, em quatro intervalos de tempo. Participaram 156 mulheres em T0, 143 em T1, 136 em T2 e 129 em T3, as quais foram agrupadas segundo a qualidade do sono (boa ou má) e seguidas quanto ao desenvolvimento de metástases à distância ou aumento do número de linfonodos regionais. Os instrumentos utilizados foram: Questionário de Caracterização Sóciodemográfica e Clínica, elaborado pela autora e avaliado por juízes; Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh (PSQI-BR); Inventário de Depressão de Beck (BDI); Escala de Esperança de Herth (EEH). ANÁLISE: a análise compreendeu: estatística descritiva; curva de Kaplan-Meier, Teste de Log Rank e modelo de Cox, para visualizar o padrão de ocorrência de má evolução clínica; modelo de mediação com Teste de Sobel; modelo Generalized Estimating Equations; teste de Anova de Friedman; teste de Wilcoxon, com correção de Bonferroni (nível crítico 0,083%). O nível crítico para os demais testes foi de 5%. RESULTADOS: as mulheres com duração do sono inferior a seis e superior a nove horas apresentaram maior probabilidade da má evolução clínica ao longo do seguimento, comparadas àquelas com duração entre seis e menos que nove horas (p=0,0173). Esse resultado não se manteve no modelo de Cox, quando a duração do sono foi analisada em conjunto com as demais variáveis (p=0,0518). Na análise de mediação, a esperança e a depressão não foram significativas. A depressão, a dor e a esperança influenciaram o escore do PSQI, de maneira independente, ao longo do seguimento, sendo que as duas primeiras variáveis contribuíram para o aumento, e a terceira, para a redução do escore. Verificou-se diferença significativa nos escores de depressão ao longo do tempo, sendo que os maiores escores se encontravam em T3. Encontrou-se correlação significativa entre os escores indicativos de qualidade do sono, de depressão e de esperança nos quatro tempos de seguimento. CONCLUSÕES: sugere-se, a partir dos resultados obtidos, a importância de pesquisas que procurem verificar se o manejo das alterações quantitativas do sono, ou seja, a duração insuficiente ou excessiva para as necessidades individuais, teriam impacto sobre a progressão do câncer de mama. Considerando que o sono pode representar um fator de risco modificável para a progressão da doença, deve-se incentivar as mulheres a fazer esse relato espontaneamente, pois muitos profissionais não abordarão esse assunto

Abstract: OBJECTIVES: this study had the primary objective to evaluate the associations between sleep quality and the clinical course of breast cancer in women in outpatient treatment during follow-up. Secondary objectives were to examine the probability of poor clinical outcome related to sleep quality and duration in women with breast cancer, controlling the classic prognostic factors; to evaluate the hope and depression as mediating variables between poor sleep quality and poor clinical outcome; to verify the association between sleep quality, depression and hope during follow-up; to identify factors influencing poor sleep quality during follow-up. METHODS: a longitudinal study conducted at a specialized hospital for women¿s health. We studied 156 women with confirmed breast cancer, grouped according to sleep quality (good or bad) and followed up to 21 months for the development of distant metastases or increase in the number of regional lymph nodes. The instruments used were: Questionnaire for Socio-demographic and Clinical Characterization, prepared by the author and evaluated by experts; Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI-BR); Beck Depression Inventory (BDI); Herth Hope Scale (HHS). ANALYSIS: the analysis included descriptive statistics to characterize the sample; Kaplan-Meier curve, Log Rank Test and the Cox model to visualize the pattern of occurrence of poor clinical outcome for the entire sample and for the various groups according to the quality and duration of sleep; mediation model with Sobel test to verify if the depression and hope were mediating variables of poor clinical outcome; Generalized Estimating Equations model to identify the factors associated with poor sleep quality over time; Friedman ANOVA test to compare the instruments among the four intervals; Wilcoxon test for comparisons of each two intervals, with Bonferroni correction (p <0.0083). The critical level for the other tests was 5%. RESULTS: women who sleep less than six and more than nine hours were more likely to present poor clinical outcome during follow-up, compared to those sleeping between six and less than nine hours (p = 0.0173). This result was not maintained in the Cox model when the sleep duration was analyzed with the other variables (p = 0.0518). In the mediation analysis, hope and depression were not significant. The depression, pain and hope influenced PSQI score, independently, during follow-up. The first two variables contributed to the increase, and the third to the reduction of the score. There was a significant difference in depression scores over time, with the highest scores were in T3. There was significant correlation between the scores of sleep quality, depression and hope in the four intervals of follow-up. CONCLUSIONS: we suggest, based on our results, the importance of further research to verify if the quantitative management of sleep disorders, there is, the insufficient or excessive length to individual needs, would impact on the progression of breast cancer. Women should be encouraged to present their complaints about sleep spontaneously, as many professionals will not address this issue, and considering that sleep may represent a modifiable risk factor for disease progression
Subject: Neoplasias da mama
Sono
Depressão
Esperança
Enfermagem
Editor: [s.n.]
Citation: SCHLOSSER, Thalyta Cristina Mansano. Qualidade do sono e evolução clínica de mulheres com câncer de mama: estudo longitudinal. 2015. 1 recurso online ( 163 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/283865>. Acesso em: 27 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Schlosser_ThalytaCristinaMansano_D.pdf2.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.