Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283857
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Mães acompanhantes em unidade de terapia intensiva neonatal
Title Alternative: Accompanying mothers in intensive care unit neonatal
Author: Rios, Marília Inês Magalhães, 1987-
Advisor: Carmona, Elenice Valentim, 1976-
Abstract: Resumo: Introdução: O impacto da internação de um recém-nascido dá-se pela separação mãe-filho, mas também pelo ambiente amedrontador de uma unidade de terapia intensiva neonatal, a qual apresenta vários equipamentos estranhos à mãe e família, alarmes, luzes, dispositivos, como cateteres e sondas, acoplados ao bebê, que é submetido a procedimentos invasivos e dolorosos. Neste contexto de assistência à saúde, a presença dos pais é muito importante para o desenvolvimento dos recém-nascidos, além da formação de vínculo e afeto, sendo esta permanência um direito geralmente exercido pelas mães. Objetivo: este estudo teve como objetivo geral: compreender a percepção do tempo vivenciado pelas mães durante a hospitalização de seus filhos em unidade de terapia intensiva neonatal. Os objetivos específicos foram: descrever a experiência das mães e verificar quais atividades ou comportamentos poderiam tornar esta experiência mais prazerosa e menos desgastante. Método: Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, com abordagem qualitativa, uma vez que se investigou aspectos subjetivos da experiência como sentimentos, motivações e significados que não podem ser quantificados. O local de estudo foi uma unidade neonatal de um hospital de ensino que atende pacientes do Sistema Único de Saúde. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada junto às mães. Cada entrevista foi gravada, transcrita, lida e relida e submetida à Análise de Conteúdo proposta por Bardin. Resultados: nove mães foram entrevistas, sendo a amostra definida pela técnica de saturação de dados. De seus discursos emergiram sentimentos frente à hospitalização do filho, como vivenciam o tempo na unidade neonatal e as preocupações com a dinâmica familiar. Considerações finais: As mães vivenciam sentimentos como medo sobre o futuro da criança, culpa pela condição do filho e (des)confiança quanto ao cuidado que ele recebe. Elas gostariam de ter mais tempo junto ao filho, o que é limitado pela equipe de saúde. Atividades para descontração e artesanato ajudariam-nas a passar melhor o período de hospitalização, tirando o foco de suas angústias. A comunicação equipe-mãe é uma estratégia importante neste contexto de cuidado. Para serem compreendidas, estas mulheres precisam ter voz na UTIN, bem como oportunidade de ouvir a equipe de saúde repetidas vezes, no esclarecimento de suas dúvidas e impressões

Abstract: Introduction: The impact of newborn hospital admission gives up the mother-child separation, but also for frightening environment of a neonatal intensive care, which features several strange equipment to the mother and family, alarms, lights, devices such as catheters and probes, coupled to baby, which is subjected to invasive and painful procedures. This health care context, the presence of parents is very important for the development of newborns, besides the formation of bonding and affection, and this stay a right usually exercised by the mothers. Objective: This study aimed to: understand mothers' perception about time during their children hospitalization at neonatal intensive care unit. The specific objectives were to describe the experience of mothers and investigate which activities or behaviors could make this a more pleasant experience and less exhausting. Method: This is an exploratory and descriptive study with a qualitative approach, since it investigated subjective aspects of experience as feelings, motivations and meanings that can not be quantified. The study site was a neonatal unit of a teaching hospital that attends patients of the Public Unified Health System. The data were collected through semi-structured interviews with mothers. Each interview was recorded, transcribed, read and reread. They were analyzed according to content analysis proposed by Bardin. Results: nine mothers were interviewed, and the sample was defined by data saturation technique. Their speeches presented feelings towards child's hospitalization, how mothers spend their time in the neonatal unit and concerns about family dynamics. Final Considerations: The mothers experience fear on the future of the child, guilty related to their child condition and (dis)trust on child care delivery. They would like to stay more time with their children, what it is limited by the health team. Activities for relaxation and crafts would help them to better spend the hospitalization period, to take their thoughts of anguish. The communication between mother and staff is a relevant strategy in this caring setting. To be understood, these women should have voice in the NICU. Also they need opportunities of hearing the health team again and again, to clarify their doubts and impressions
Subject: Relações mãe-filho
Mães
Prematuro
Criança hospitalizada
Unidades de terapia intensiva neonatal
Editor: [s.n.]
Citation: RIOS, Marília Inês Magalhães. Mães acompanhantes em unidade de terapia intensiva neonatal. 2015. 1 recurso online (59 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/283857>. Acesso em: 28 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rios_MariliaInesMagalhaes_M.pdf1.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.