Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/282067
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Ladinos e boçais = o regime de línguas do contrabando de africanos, (1831-c.1850)
Title Alternative: Ladinos e boçais : the language regime of illegal slave trade, (1831-c.1850)
Author: Almeida, Marcos Abreu Leitão de, 1983-
Advisor: Cano, Jefferson, 1970-
Abstract: Resumo: A presente dissertação de mestrado atenta para a dimensão sociolinguística da experiência dos africanos escravizados levados ao Império do Brasil pelo contrabando de africanos, que Joaquim Nabuco denominou de "Trilogia infernal", encenada nos "sertões da África", no "mar" e nas "fazendas" do sudeste brasileiro. Meu objetivo foi investigar como o repertório linguístico dos africanos contribuiu para construir as "estrofes e prosódias" do Atlântico Sul e abordar a questão da comunicação em cada um dos palcos da "trilogia infernal" para, em seguida, buscar entender como a formação de novas linguagens, e os subsequentes intercâmbios culturais que elas permitiram, foram mobilizadas por muitos africanos escravizados na luta quotidiana contra a massiva escravização ilegal no Império do Brasil entre 1831 e c.1850. Dada a importância das rotas atlânticas que ligavam o centro-sul brasileiro com a região do Congo e de Angola, na África, a pesquisa concentrou suas atenções nos centro-africanos e suas habilidades linguísticas, isto é, como eles aprendiam e manejavam o português, negociavam comunidades de fala a partir de suas línguas maternas e intercambiavam suas bagagens culturais. Com isso, foi possível perceber como a questão da língua se articulava com as relações de poder e econômicas do contrabando de escravos e da escravidão ilegal em meio ao processo de construção do Estado Imperial

Abstract: This dissertation aims the sociolinguistic dimension of the enslaved Africans' experience brought to Brazilian Empire by the illegal slave trade, that Joaquim Nabuco called the "Trilogy of hell," staged in "Africa", "the ocean" and "plantations" in southeastern Brazil. My goal was to investigate how Africans' linguistic repertoire helped to build the South Atlantic "strophes and prosodies" and address the issue of communication in each stage of the illegal slave trade to seek understand how the formation of new languages and the subsequent cultural exchanges were mobilized by enslaved Africans in daily struggle against massive illegal enslavement in the Brazilian Empire between 1831 and c.1850. Given the importance of the Atlantic routes that connected southeastern Brazil to Congo region and Angola, this research has focused its attention on Central Africans and their language skills, that is, how they learned and handled Portuguese language, negotiated speech communities from their mother tongues and exchange its cultural baggage. Thus, it becomes possible understand how the "language question" was linked with economic and power relations during Brazilian contraband and illegal enslavement amidst the process of State building in Brazilian Empire
Subject: Diáspora africana
Escravos - Tráfico - África - História - Séc. XIX
Linguagem e história
Brasil - História - Império - 1822-1889
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ALMEIDA, Marcos Abreu Leitão de. Ladinos e boçais = o regime de línguas do contrabando de africanos, (1831-c.1850). 2012. 200 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/282067>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Almeida_MarcosAbreuLeitaode_M.pdf2.58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.