Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281953
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Classificar, comprar e emancipar : a liberdade como politica de Estado (São Paulo, 19th Century)
Title Alternative: Classify, buy, and emancipate : freedom as State policy (São Paulo, seculo XIX)
Author: Vicente, Roberto Ravena
Advisor: Lourenço, Fernando Antonio, 1955-
Abstract: Resumo: A presente pesquisa analisa determinadas políticas governamentais que, no processo de desagregação da ordem escravocrata no Brasil, visavam promover a emancipação gradual da população cativa. A emancipação de africanos livres, ainda na década de 1860, as alforrias indenizadas, a partir da década de 1870, e a libertação dos sexagenários, em 1885, servem aqui como referência para a compreensão da atuação do Estado - na figura de seu corpo burocrático emergente - no que dizia respeito à "questão servil". A partir da análise dos trabalhos das Juntas de Classificação de Escravos e da aplicação do Fundo de Emancipação de Escravos (especificamente na Província de São Paulo), é possível também perceber certas tensões que surgiam entre a dinâmica de relações pessoais locais e a ordem de relações jurídico-legais que custosamente se fazia implementar. As próprias possibilidades discursivas aparentes nas fontes analisadas permitem, por um lado, vislumbrar os limites de plausibilidade e legitimidade que orientavam o sentido da ação daqueles indivíduos (escravos, libertos, senhores, juízes, oficiais), e, por outro, reconhecer as ambigüidades e tensões que a todo momento punham em questão as categorias identitárias e sua legitimidade - ambigüidades e tensões que, de certa forma, marcam a própria figura do liberto. Embora proporcionalmente pouco representativas, essas ações abriram espaços legítimos de embate entre escravos, senhores e o próprio Estado, a partir dos quais a estrutura de relações sociais se reproduzia mas também era transformada

Abstract: This research analyzes certain Brazilian State policies that aimed at gradually emancipating the slave population during the process of disintegration of the slavery order in Brazil. The emancipation of free Africans, as early as in the 1860 decade, the refunded manumission from 1871 onward, and the manumission of sexagenaries in 1885 are references to understand the role of the State, represented by the emerging bureaucratic body, on the slavery issue. Based on analyses of reports issued by Slave Classification Committees and by the Slave Emancipation Fund, particularly in the São Paulo Province, it is possible to notice the evolving strain among interpersonal relations and the painful slowly-imposing legal-judicial order. Even the phrasing peculiarities of those written records provide clues, on the one hand, to the plausibleness and legitimacy that guided the sense of action of those individuals ¿ slaves, freed slaves, masters, justice officials, and judges ¿ and on the other hand, to the ambiguities and tensions that stained the freed slaves¿ life itself. Although proportionally less effective, those actions opened legitimate fields of struggle between slaves and masters, and between the State and them, reproducing social relation structures, also by means of their re-creation
Subject: Escravidão
Liberdade
Escravos - Emancipação
Identidade
São Paulo - História - Séc. XIX
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: VICENTE, Roberto Ravena. Classificar, comprar e emancipar: a liberdade como politica de Estado (São Paulo, 19th Century). 2008. 118f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/281953>. Acesso em: 10 ago. 2018.
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vicente_RobertoRavena_M.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.