Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281908
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Familia e educação formal : um estudo sobre a frequencia a escola e progressão escolar das crianças de 7 a 14 anos no municipio de Campinas em 2000
Author: Costa, Jose Vilton, 1973-
Advisor: Bilac, Elisabete Doria
Abstract: Resumo: Esta dissertação analisa a influência do tipo de organização doméstica em relação ao fato de crianças em idade escolar estarem fora da escola ou apresentarem distorção idade-série. Para tal, foram consideradas as interferências de outros fatores demográficos (presença de crianças menores que 7 anos no domicílio) e socioeconômicos (renda domiciliar per capita e escolaridade da mãe). Com dados do Censo de 2000 da área urbana de Campinas, SP, elegeu-se as crianças na faixa etária de 7 a 14 anos freqüentando o ensino fundamental ou fora da escola sem ter completado este nível, como alvo do estudo. Analisam-se as crianças nos arranjos domésticos compostos por casal e filhos, tendo o pai como responsável pelo domicílio, e aqueles formados por mãe e filhos, tendo a mãe como responsável pelo domicílio. Utilizou-se o modelo de regressão logística binária para análise estatística dos dados. Os resultados obtidos mostram-se contraditórios quanto ao efeito do tipo de arranjo doméstico. Quando os efeitos da renda domiciliar per capita, da escolaridade materna e da presença de irmãos menores de 7 anos no domicílio são incluídos no modelo logístico o arranjo domiciliar não afeta a freqüência escolar, porém interfere na distorção idade-série. Neste caso, o risco das crianças no arranjo doméstico ¿mães e filhos¿ apresentar atraso escolar é 24% superior ao risco que têm os seus congêneres no arranjo doméstico ¿casal com filhos¿. A renda domiciliar per capita e a escolaridade da mãe são os principais fatores relacionados tanto ao fato de as crianças estarem fora da escola quanto pela ocorrência de distorções idade-série. A presença de crianças menores de 7 anos no domicílio não se mostrou estatisticamente associada com as situações escolares pesquisadas

Abstract: The purpose of this study is to analyses the kind of household arrangement on children at school age, being out of school or presenting an age/grade deviation. For this, it was considered the factor demographic (the presence of children younger than 7 year at home) and socioeconomic factors (household income per capita and mother education) as variables. With data of the urban area 2000 census of Campinas, São Paulo, on elected as target, children at ages 7-14, attending elementary school or out of it, before finishing that grade, on the selected the simple two-parents household and single-mother household arrangements. Binary logistic regression model was used in the results interpretation. When the household income per capita, the mother education and the presence of younger children effects are included at the logistic model, the household arrangement doesn¿t affect the school attendance, but interfere in the age/grade deviation. In the single-mother household there is a 24% higher risk to the children is delayed at school than to the simple two-parents household. The household income per capita and the mother education are the main factors affecting children out of school late in the school grade. The younger children of 7 presence at home showed no statistic significance for the schooling of children
Subject: Demografia da família
Mulheres chefes de familia
Crianças
Escolaridade - Campinas (SP)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Costa_JoseVilton_M.pdf1.89 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.