Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281826
Type: TESE
Title: O Estado-de-golpe : uma analise do estado boliviano sob o periodo de maior instabilidade e crise politica (1978-1982)
Author: Duran Gil, Aldo
Advisor: Saes, Décio, 1942-
Saes, Decio Azevedo Marques de
Abstract: Resumo: Esta dissertação discute o funcionamento do Estado boliviano no período 1978-1982, tendo como objeto de análise a relação do Estado com as classes dominantes. Num primeiro momento, procura-se entender, de um lado, as razões que levaram o Estado boliviano a funcionar como um Estado burguês relativamente mais modernizado ¿ apesar de seu alto índice de atraso e dependência -; e de outro, pretende-se determinar as principais características, bem como a performance desse Estado ao longo do regime militar de Banzer (1971-1978). Em seguida, faz-se uma caracterização do Estado boliviano sob os governos efêmeros instaurados no período em questão, buscando determinar as principais contradições e crises do Estado; sendo essas últimas agravadas pelas lutas entre frações dominantes com o fim de controlar o aparelho estatal através do golpe de Estado e impor, dessa maneira, a política estatal determinada pela prática da maximização do lucro no curto prazo ¿ esse fator tornou-se um dos elementos importantes de instabilidade política do período, marcado pelos golpes e contra-golpes de Estado. A dissertação utiliza como conceito-chave o ¿conceito de Estado capitalista¿ proposto por Nicos Poulantzas em Poder Político e Classes Sociais. Tal conceito, que está imbricado com um elenco de conceitos correlatos, permite determinar, entre outros fatores, tanto o funcionamento complexo do Estado como a relação entre o aparelho estatal, as classes e frações dominantes (bloco no poder) e as classes dominadas, no período em consideração. Neste estudo, contesta-se a tese largamente difundida no âmbito acadêmico boliviano segundo a qual o Estado boliviano formado em 1952 teria entrado num processo de ¿queda gradativa¿ entre 1978 e 1982; em 1985 ele teria caído definitivamente, erguendo-se um novo Estado mais democrático e modernizado. A tese defendida nesta dissertação é a de que o Estado de 1952 não entrou em queda no período pós-78 (nem caiu em 1985). O que caiu foi o regime militar e seu correspondente Estado militar, cujo colapso foi provocado por um conjunto de fatores e contradições internas (fatores principais) e por causa das lutas das massas populares (fator determinante)

Abstract: Not informed.
Subject: Bolivia - Política e governo - 1978-1982
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
DuranGil_Aldo_M.pdf15.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.