Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281298
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Sobre os fins da razão : auto-formação e perfeição moral do homem no pensamento tardio de Kant
Title Alternative: About the ends of reason : man self-formation and moral perfection in Kant's late though
Author: Santos, Ricardo Machado, 1986-
Advisor: Loparic, Zeljko, 1939-
Abstract: Resumo: O objetivo da presente tese é discutir o conceito e a necessidade dos chamados "fins morais da razão" dentro da filosofia kantiana. Neste sentido, tal investigação se propõe a explicitar algumas modificações apresentadas na ética de Kant dos textos da década de 1780 aos seus textos tardios da segunda metade da década de 1790, mostrando que tais modificações vão no sentido de uma sensificação da ética kantiana e que esta só é possível à medida que Kant substitui conceitos de origem cristã (Deus, santidade, sumo bem) notadamente comprometidos com um domínio da transcendência por conceitos de origem grega (virtude, ascese moral, auto-construção moral, etc.) mais ligados ou mais passíveis de serem vinculados à natureza humana). Assim, na primeira parte do trabalho, tendo em vista que os fins morais, de um modo ou de outro vinculam-se ao conceito de ideias da razão, enquanto objeto das mesmas, procura-se fazer um exame do significado que Kant lhes dá, e, no primeiro capítulo, do conceito de fim objetivo da razão apresentado pela primeira vez na Fundamentação da Metafísica dos Costumes de 1785, mas cuja importância ecoa até os textos da década de 1790. Tendo em vista que o fim moral por excelência é a ideia de perfeição moral e que Kant oscila ao longo de sua obra na definição do mesmo, o capítulo 2 do trabalho discute a oposição entre santidade e virtude na determinação de tal conceito. O capítulo 3, como consequência dos resultados obtidos no capítulo anterior, discute algumas questões referentes à representação do conceito de virtude como perfeição moral para o homem, e, no capítulo seguinte (4), se debate o suposto abandono (bem como suas causas e conseqüências) de outro fim ou ideia moral relevante para o pensamento de Kant, vale dizer, o sumo bem. Na segunda parte do trabalho se discute os elementos ou o suporte teórico que faz com que Kant se veja levado a modificar sua concepção de fins da razão e a função das ideias, elementos estes relacionados à maior ênfase dada por Kant na sua ética à antropologia e à auto-constituição moral do homem. Assim, nos três capítulos que seguem examino/discuto a concepção kantiana de moralidade e de auto-determinação moral sob a perspectiva da antropologia (capítulo 5), da pedagogia (capítulo 6), e posteriormente (capítulo 7) as inovadoras concepções correlatas de auto-posição (ou auto-construção do homem segundo ideias) e de auto-afecção

Abstract: The aim of this work is to discuss the concept and necessity of the called "moral ends of reason" in the Kantian philosophy. In this order, such investigation proposes to explicit some modifications presented in Kant ethics in the texts from the decades of 1780 until his late texts in the second half of the decade of 1790, showing that those modifications are in the sense of an sensification of the Kantian ethics and it is only possible as Kant replaces concepts of Christian origin (God, holiness, highest good) notoriously committed to the domain of transcendence by concepts of Greek origin (virtue, moral ascesis, moral self-construction, etc.) more connected or more susceptible to be linked to human nature. This way, in the first part of the work, considering that the moral ends, in one way or another are linked to the concept of reason ideas, it is sought to make an examination of the meaning Kant gives them, and the concept of objective end of reason presented for the first time in Grundlegung zur Metaphysik der Sitten in 1785, but of which importance echoes until the texts of the 1790 decade. Regarding that the end of moral by excellence is the idea of moral perfection and that Kant oscillates along his work in its definition, the chapter 2 of the work discusses the opposition between holiness and virtue determining such concept. The chapter 3, as a consequence of the results obtained in the last chapter, discusses some questions related to the representation of the concept of virtue as moral perfection to the man, and in the following chapter (4) it is debated the supposed abandon (as well as its causes and consequences) of another end or moral idea relevant to Kant¿s thought, that is to say the highest good. In the second part of the work it is discussed the elements or theoretical support that makes Kant be taken to modify his conception of ends of reason and the function of ideas, such elements related to the major emphasis given by Kant in his ethics to anthropology and to moral self-construction of the man. This way, in the three chapters followed I examine/discuss the Kantian conception of morality and moral self-determination under the perspective of anthropology (chapter 5), pedagogy (chapter 6) and later (chapter 7) the innovative correlate conceptions of self-position (or self-construction of man according to ideas) and self-affection
Subject: Kant, Immanuel, 1724-1804 - Crítica e interpretação
Ética
Virtude
Razão
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_RicardoMachado_D.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.