Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281288
Type: TESE
Title: O homicídio na mesorregião do sudeste paraense : período em análise 1980-2010
Title Alternative: Homicide in southeast mesoregion paraense : reporting period 1980-2010
Author: Costa, Marilza Sales, 1968-
Advisor: Costa, Valeriano Mendes Ferreira, 1961-
Abstract: Resumo: A discussão sobre a taxa de homicídios no Brasil, Estado do Pará e particularmente na mesorregião do sudeste paraense tem extrapolado as instituições acadêmicas e alcançado espaços internacionais. Composta por 39 municípios em uma área de 297.344,257 Km2 e uma população aproximada de 1.647.514 mil habitantes (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010) a região possui uma ocupação singular nesses últimos 30 anos (1980 a 2010). Historicamente apresentou uma política econômica de (re) organização do espaço atrelado aos ciclos econômicos a começar pelas "drogas do sertão" levando o droguista ao primeiro contato com os indígenas (ARAÚJO, 1996). O ciclo da exploração do látex apresentou uma intensa migração interna e externa (FURTADO, 1998); porém no ciclo da castanha a terra tornou-se privada caracterizada pela violência e por relações de trabalho sem-escravista ocasionando conflitos por posse e pela exploração da terra (EMMI, 1999). Entretanto, no ciclo do garimpo a política de distribuição de terras, a construção da rodovia Belém-Brasília, a origem de grandes latifúndios e incentivos fiscais assim como a desapropriação de terras indígenas e a expulsão de posseiros em áreas de plantio (PETIT, 2003) facilitou o ciclo da grilagem de terras intensificando os conflitos na região (MARTINS, 1991). No ciclo dos Grandes Projetos Carajás (minérios) as construções de hidrelétricas e ferrovias trouxe um crescimento demográfico desordenado e junto aos problemas já existentes provocou um "inchaço" em cidades de "médio porte" (LOUREIRO, 1992) e o aumento na ocorrência de homicídios (AROUCK, 2003). O estudo analisa a ocorrência do fenômeno no período (1980-2010) revendo as historiografias locais e as ações estaduais e municipais que atuam sobre a ocorrência da problemática, assim, construindo um perfil dos homicídios e identificando o deslocamento para as cidades de "médio porte". Nessa perspectiva, a fonte primária de estudo foram "laudos cadavéricos" obtidos no IML/Marabá-PA. Dele, estraímos indicadores correspondente a variáveis dependentes, independentes que permitiram verificar os homicídios por décadas, por Municípios, relação de inquéritos, de prisões por inquéritos abertos, reincidências por décadas, idade, sexo, profissão e outros. A análise dos dados permitiu identificar a contínua incidência dos homicídios na região oscilando falecimento/mês em toda década, porém, maior ênfase no mês de Setembro, Outubro e Agosto e um "deslocamento" continuo do campo para a cidade (Padrão Nacional) (WAISELFISZ, 2010), portanto, há maior ocorrência de homicídios na área urbana do que rural. Os resultados apontam um perfil de vítimas do sexo masculino (maioria), entre 19 e 35 anos, solteiro, exercendo, na maioria, atividades autônoma, vendedor, estudante, trabalho braçal, ajudante e lavrador; natural do Pará e dos estados do Nordeste e do Centro-Oeste (maioria) de nacionalidade brasileira (maioria). Atualmente existem poucos órgãos realizando o levantamento do fenômeno na região, porém quando os dados são computados, na maioria das vezes, estão dispersos, indisponíveis ao público, contribuindo, em parte, em políticas públicas estatais incipientes, rarefeitas, pulverizadas apenas nos grandes centros enquanto as cidades de "médio porte" (sudeste paraense) ficam relegadas a pequenas intervenções paliativas de controle e ordem. Palavras - chave: Homicídios, ciclos econômicos, fluxos migratórios, Estado

Abstract: The discussion about the homicide rate in Brazil, State of Para and particularly in southeastern Pará mesoregion has extrapolated academic institutions and achieved internationally spaces. Composed of 39 municipalities in an area of 297,344.257 km2 and a population of 1,647,514,000 inhabitants (Brazilian Institute of Geography and Statistics, 2010) the region has a unique occupation in the last 30 years (1980-2010). Historically presented an economic policy of (re) organization of the space to leash economic cycles starting with of the country drugs leading the druggist the first contact with the natives (Araújo, 1996). The latex exploration cycle showed an intense internal and external migration (FURTADO, 1998); But in the cycle of the brown land became private characterized by violence and labor relations-slave without causing conflicts for possession and exploitation of the earth (EMMI, 1999). However, the mining cycle land distribution policy, the construction of the Belém-Brasília highway, the origin of large estates and tax incentives as well as the expropriation of indigenous lands and the expulsion of earth possesssion people in plantation areas (PETIT, 2003) facilitated land grilagem cycle intensifying conflicts in the region (Martins, 1991). In the cycle of the Great Carajás Project (minerals) hydroelectric construction and railways brought an inordinate growth and atogether to the problems already caused a swelling in cities "medium-sized" (Loureiro, 1992) and the increase in the occurrence of homicides (AROUCK, 2003). The study examines the occurrence of the phenomenon in the period (1980-2010) reviewing local historiography and the state and municipal actions that act upon the occurrence of the problem, thus building a profile of the killings displacement and identifying the shift to the cities of "medium sized ". From this perspective, the primary source of study were "reports cadaveric" obtained in the IML/Maraba-PA. Him, withdraws corresponding indicators dependent variables, which allowed independent check homicides for decades by municipalities, surveys ratio of arrests for inquiries opened, relapses for decades, age, gender, profession and others. Data analysis identified the continued incidence of homicides in the region teetering death / month throughout the decade, however, more emphasis in the month of September, October and August and an "displacement" continued the countryside to the city (National Standard) (WAISELFISZ , 2010), so there is a higher incidence of homicides in urban areas than rural. Results indicate male victims profile (majority), between 19 and 35 years old, single, exercising mostly autonomous activities, seller, student, legwork, helper and farmer; Natural Pará and the states of the Northeast and the Midwest (most) of Brazilian nationality (most). Currently there are few agencies conducting the survey of the phenomenon in the region, but when the data is computed, for the most part, are scattered, unavailable to the public, contributing in part to state policies incipient, rarefied, sprayed only in large centers as the cities of "medium-sized" (Para southeast) are relegated to small palliative interventions of control and order. Key words: Homicide, economic cycles, migration, state
Subject: Homícidio
Ciclos econômicos
Migração
Estado
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Costa_MarilzaSales_D.pdf8.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.