Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281281
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Fragmentos e movimentos mínimos : encontros entre escrita e corpo
Title Alternative: Fragments and minimal moviments : meetings between writing and body
Author: Pontin, Vivian Marina Redi, 1985-
Advisor: Dias, Susana Oliveira, 1973-
Abstract: Resumo: As linhas desta tese inventam coleções de encontros. Trata-se da criação de uma escrita-pesquisa que se vale de fragmentos e movimentos mínimos para, ao escrever, fazer corpo. Linhas que são artefatos indisciplinados (que podem ser enrijecidos, endurecidos, disciplináveis). Talvez não seja fazendo uma disciplina que se enfrentará o problema entre escrita e corpo (o que podem escrita e corpo?), embora a prudência esteja em manter um tanto de organização ao experimentar um corpo ao escrever. Cria-se então um inventário que, ao invés de ordenar o que as linhas estão aptas a fazer e a classificar, é uma espécie de máquina que produz atmosferas nas palavras de uma história e uma antropologia-sociologia do corpo, rastreia e extrai dessas narrativas alguns movimentos mínimos. São coleções à beira de desabar, e que procuram silenciar o debate corpo ou organismo; à beira de não saber bem o que produzir com os conhecimentos adquiridos sobre o corpo, para fazer com que ele se engaje em outras experiências, em outras experimentações, mantendo-se à espreita; à beira da produção de um corpo e pedaços de corpo que não pertencem necessariamente a ela, mas se agenciam em máquinas incessantes para que a escrita habite antropologias e corpos, e deles extrai os traços que escrevam um corpo

Abstract: The lines of this thesis invent a collections of meetings. It is a creation of a writing-research that uses fragments and minimal moves to, in writing, makes body. Lines that are unruly artifacts (and can be stiff, hardened, disciplined). Maybe isn't doing a discipline that will face the problem between writing and body (which can writing and body?), although a prudence is in keeping somewhat of organization to trying a body in writing. It creates then an inventory rather than commanding what the lines are able to do and to classify, is a kind of machine that inserts atmosphere in the words of a history and a anthropology-sociology of the body, crawls and extracts of these narratives some minimal movements. Are collections on the verge of crashing down and looking for to silence the body or organism debate; on the verge of not being able to know what to produce with the knowledge acquired over the body, to make its to engage in other experiences, in others trials, keeping lying; on the verge of producing a body and body's parts that don't necessarily belong to it, but assemble them in incessant machines, in order that writing inhabit anthropologies and bodies, and extract them traces that write a body
Subject: Corpo
Escrita
Inventários
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pontin_VivianMarinaRedi_D.pdf535.45 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.