Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280984
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: A patria e a flor : lingua, literatura e identidade nacional no Brasil, 1840-1930
Author: Rodrigues, João Paulo Coelho de Souza
Advisor: Chalhoub, Sidney, 1957-
Abstract: Resumo: Esta tese analisa os debates sobre problemas lingüísticos no Brasil do Segundo Reinado e da República Velha. Inseridos em seu tempo, esses debates mantinham estreitos contatos com as discussões sobre raça, cultura popular, língua nacional, regionalismo e nacionalismo literário, bem como com as teorias da lingüística européia e norte-americana,entre outros temaso Neste contexto, as idéias lingüísticas adquiriram significado social, e os demais temas que mobilizavam os homens de letras e cientistas ganharam novas interpretações com respeito ao problema da identidade nacional. Essa interação envolveu um amplo campo de pensadores, desde literatos diletantes de província, até os grandes intelectuais do Rio de Janeiro, levando a várias conseqüências. O indigenismo foi fortemente influenciado pela escolha da língua geral colonial como fator de atração dos índios. A ideologia imperial patemalista de integração social pacífica, calcada numa mitologia romântica recebeu justificativa na identificação do tupi como o grande idioma indígena brasileiro, resultado não só de estudos lingüísticos, mas do lugar da língua tupi na literatura. As noções de raças e de seus papéis na formação nacional foram também tributárias desse movimento, ao qual se acrescem os estudos sobre os brasileirismos e os falares regionais, nos quais a existência de elementos indígenas, africanos e portugueses embasou o questionamento sobre a existência de um dialeto ou de uma língua brasileira. Por outro lado, a forte presença de uma apologia da língua portuguesa mostrou que a língua também foi vista como uma resposta positiva para as teorias raciais estrangeiras que identificavam na formação racial brasileira a razão do atraso nacional, uma vez que permitia uma saída cultural por meio da identidade latina daquele idioma. Por fim, as idéias sobre cultura urbana, particularidades regionais e marcas raciais se juntaram através de um interesse pela representação na literatura, na dialetologia, na criminalística e no desenho humorístico de vários tipos de linguagens populares, criando uma imagem homogênea de uma língua não-culta tipicamente brasileira

Abstract: This thesis analyses the debate on Second Reign and Old Republic Brazil linguistic issues, which bore dose contact with discussions on race, popular culture, national language, and literary regionalism and nationalism. These issues were as well in a context of widespread European and North American linguistic theories, among others. In this context, linguistic ideas acquired social meaning and the remained subjects that interested writers and scientists were reinterpreted in relation with national identity. A large number of intellectuals, from provincial novelists to Rio de Janeiro great literati, were involved in this process, resulting, in consequence, in many important trends. The choice of a lingua geral (Indian lingua franca) to attract Indian Nations was a major trend in Brazilian Indigenism. Imperial patemalistic ideology of peaceful social integration, based on romantic mythology, was justified by the identification of Tupi as the main Brazilian native language in result not only of linguistic researches, but also of the role of Tupi in literature. Notions of race and its importance to national identity derived from this historical frame as well, to which were connected studies on Brazilian and provincial vocabularies, full of African, Indian and Portuguese elements, giving way to the question on whether there was a Brazilian dialect or language. Besides, a high praise of Portuguese proved that language was seen as a positive response to foreign racial theories, which linked Brazilian backwardness to its racial formation, since Portuguese Latin identity could provide a cultural path out of it. Finally, ideas on urban culture, regional specifications, and ethnicity were gathered through the interest on criminology, dialectology, cartoon and literature, where various kinds of popular language were depicted. This created a homogeneous image of it as the typical non-literate Brazilian language
Subject: Filologia
Língua portuguesa
Língua tupi
Identidade na literatura
Lingua portuguesa - Africanismos
Lingua portuguesa - Galicismos
Brasil - História - II Reinado - 1840-1889
Brasil - História - Republica Velha - 1889-1930
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rodrigues_JoaoPauloCoelhodeSouza_D.pdf24.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.