Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280811
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Misteriosa conexão entre arte e Estado : a reflexão sobre a cultura no jovem Nietzsche
Author: Lopes, Adriana Delbo
Advisor: Giacoia Junior, Oswaldo, 1954-
Junior, Oswaldo Giacoia, 1954-
Abstract: Resumo: O ponto de partida deste trabalho é a defesa de Nietzsche em O nascimento da tragédia da existência de uma estreita relação nos fundamentos da tragédia e do Estado. Sustentamos que esta estreita relação se desvela na compreensão da cultura como transfiguração da natureza. Em sua primeira obra e em escritos contemporâneos a ela, a misteriosa conexão entre arte e política na Antigüidade grega se dá no vínculo de ambas com ímpetos artísticos da natureza - os impulsos fundamentais apolíneo e dionisíaco. Ao Estado moderno, pelo contrário, foi atribuída a restrita tarefa de evitar a luta de todos contra todos, assegurando a paz para proteger o acúmulo de riqueza e promoção do bem-estar da sociedade. Nietzsche compreende que o homem moderno, pelo excesso de seu debilitante otimismo, não reconhece o elo que Arte, Estado e Religião mantêm com ímpetos contraditórios da natureza e, portanto, com um estilo artístico da natureza em todos os âmbitos de criação humana. Assim, o Estado moderno não promove a cultura, a forma como a vontade da natureza transfigurada se faz presente entre os homens. Neste trabalho o diálogo de Nietzsche com Sócrates, Aristóteles, Platão, Schopenhauer, Burckhardt, o mostra como um filósofo da cultura, ao instituir a arte e o Estado como critérios de analise da cultura

Abstract: Our starting point in this research is the Nietzsche's statement in The birth of tragedy of a close relationship in the basis of the Greek tragedy and the Greek state. We claim that this close relationship reveals itself in the understanding of culture as trans figuration of the nature. In his first work and in other youth writings, the mysterious connection between art and politics in Ancient Greek occurs through the binding of both with artistic impetus of nature - the basic impulses apollinian and dionisiac. It was ascribed to the modem State, on the contrary, the limited task, of avoid the war of every man against every man, assuring the needful peace to protect the increase of richness and elevate the social welfare. Nietzsche understands that the modem man - due to excess of their exhausting optimism - cannot recognize the link of Art, State, and Religion with the contradictories impetus of nature. Hence, the modem state doesn't promote the culture, understood as the form how the transfigured will of nature be with humankind. In this work, the Nietzsche's dialogue with Socrates, Aristode, Plato, Schopenhauer, and Burckhardt, establishing the art and the State as yardsticks of culture, prove him as a philosopher of culture
Subject: Nietzsche, Friedrich Wilhelm, 1844-1900
Estado
Arte - História - Bélgica
Cultura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lopes_AdrianaDelbo_D.pdf6.75 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.