Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280672
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: As ações higienistas e a tuberculose em São Paulo (1890-1924)
Title Alternative: The hygienists and Tuberculosis shares in Sao Paulo (1890 - 1924)
Author: Mastromauro, Giovana Carla, 1979-
Advisor: Bresciani, Maria Stella Martins, 1939-
Abstract: Resumo: A pesquisa trabalha o tema da tuberculose em São Paulo de 1900 a 1930 sob o olhar do higienismo quando das propostas formuladoras de uma sociedade e cidade ideal, pautadas na higiene e na salubridade.Antes da descoberta da cura da doença em 1940, o medo de sua contaminação estabeleceu uma situação de grande tensão em torno do tuberculoso, destinado à segregação física e social. Neste sentido, o estudo identifica e discute o ?lugar? que os fracos do peito ocuparam na cidade de São Paulo antes da inauguração do primeiro sanatório do Estado, aberto somente em 1924, na cidade de São José dos Campos. Dentro deste contexto, e sob a ótica da medicina higiênica, que tem como premissa a manutenção do estado sanitário da cidade, procurou-se identificar os caminhos percorridos pelo higienismo paulista nas medidas de controle da doença e na concepção dos olhares dos lugares específicos para a permanência desses enfermos, vistos como figura incômoda e constrangedora no meio urbano. No âmbito internacional, em todos os países onde a doença elevava o número das estatísticas de mortalidade o arsenal antituberculoso deveria ser feito através de três princípios: a manutenção da casa salubre, a educação sanitária e a construção de sanatórios. Dessa forma, cada cidade estabelecia ad hoc seus programas educativos e profiláticos em volta da doença. A pesquisa mostra como esses três princípios se fizeram em São Paulo levando em conta a tardia implantação dos estabelecimentos sanatoriais

Abstract: The research works the subject of tuberculosis in São Paulo from 1900 to 1930 under the hygienism view, wherein the formulating proposals of an ideal society and city were guided by hygienic and sanitation. Before the discovery of the cure of the disease in 1940, the fear of its contamination established a situation of great tension around tuberculosis patient, relegatedto the physical and social segregation. In this sense, the study identifies and discusses the "place" that the TB patient occupied in the city of São Paulo before the opening of the first state sanatorium, opened only in 1924 in the city of São José dos Campos. Within this context, and from the viewpoint of hygienic medicine, which is premised on the maintenance of the health of the city, the research sought to identify the paths taken by paulista hygienism to disease control in the design and looks of the specific locations for permanence of these patients, seen as uncomfortable and embarrassing figure in the urban environment. Internationally, in all countries where the disease increased the number of mortality statistics, the arsenal antituberculosis should be done in three principles: the maintenance of wholesome home, the health education and the construction of sanatoriums. Thus, each city established ad hoc education and prophylactic programs around the disease. The research shows how these three principles were made in São Paulo taking into account the delayed deployment of sanatoriums establishments
Subject: Saúde e higiene
Tuberculose - São Paulo (SP) - 1890-1924
Sanatorios
Saúde pública
Medicina social
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mastromauro_GiovanaCarla_D.pdf9.58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.