Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280472
Type: TESE
Title: O Tractatus de Wittgenstein e as crises culturais da Viena fin-de-siecle
Title Alternative: Wittgenstein's Tractatus and cultural crisis of Vienna fin-de-siecle
Author: Silva, Jose Fernando
Advisor: Marques, José Oscar de Almeida, 1949-
Abstract: Resumo: Neste trabalho buscamos traçar as relações entre o Tractatus Logico-Philosophicus, de Ludwig Wittgenstein (1889-1951) e as crises culturais da Viena fin-de-siècle. Apesar de o autor não mais viver em Viena durante o período de elaboração do livro, assumimos que o contexto cultural vienense é uma fecunda chave para sua elucidação. O ponto de partida é a caracterização de três crises que marcaram Viena em torno de 1900: i) uma crise dos valores, configurada pelo crescente descrédito de todos os pilares da vida social vienense; ii) uma crise do sujeito, delineada no momento em que a unidade do eu foi colocada em dúvida, ou seja, um instante em que se acreditou que tal noção não remetia a nada que ultrapassasse um feixe de sensações e experiências transitórias; iii) uma crise da linguagem, marcada pelo questionamento dos meios intelectual e artístico vienenses sobre a capacidade de a linguagem expressar a realidade e os sentimentos inerentes ao sujeito. Procuramos mostrar que o Tractatus, de acordo com sua ordem de exposição, pode oferecer uma resposta para cada uma dessas crises, a saber: a demarcação dos limites da linguagem; a afirmação da existência de um sujeito solipsista ou metafísico, cuja existência se manifesta como um ponto sem extensão fora do mundo e cuja vontade instaura a linguagem; a defesa de uma unidade que perpassa a ética e a estética, definidas como atitudes transcendentais que, respectivamente, permitem ao sujeito expandir ou minguar os limites do mundo como um todo e expressar o mundo visto sub specie aeternitatis.

Abstract: This work aims to trace the relations between Ludwig Wittgenstein's Tractatus Logico-Philosophicus and the cultural crises of fin-de-siècle Vienna. Although the author no longer lived in Vienna at the time of elaboration of his book, we assume that the Viennese cultural context is a fruitful key for its understanding. Our starting point is the characterization of three crises that marked Vienna in 1900: i) a crisis of values, represented by the increasing discredit regarding all Viennese social life pillars; ii) a crisis of the subject, delineated when the unit of the "I" was put in doubt, that is, at the moment such notion was believed not to exceed a beam of sensations and transitory experiences; iii) a crisis of language, marked by the questioning by intellectual and artistic Viennese milieu of language's capacity in express the inherent reality and feelings of the subject. We aim to show that the Tractatus, in accordance with its order of exposition, can offer an answer for each of these crises, that is to say, the demarcation of the limits of language; the affirmation of the solipsist or metaphysical subject's existence, which shows itself as a point without extension out of the world and whose will establishes the language; the defense of a unit across the ethics and the aesthetic domains, defined as transcendental attitudes that allow the subject, respectively, to expand or to decrease the limits of the world as a whole and to express the world seen sub specie aeternitatis.
Subject: Linguagem - Filosofia
Sujeito (Filosofia)
Ética
Estética
Viena (Austria) - Vida intelectual - 1880-1914
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_JoseFernando_D.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.