Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280382
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Corpos abjetos : etnografia em cenários de uso e comércio de crack
Title Alternative: Abject bodies : ethnography on crack use
Author: Rui, Taniele, 1982-
Advisor: Pontes, Heloisa André, 1959-
Abstract: Resumo: Nesta tese, parte-se da figura do nóia, apreendida por mim como uma categoria, a um só tempo, de acusação e de assunção que agrupa apenas um segmento muito particular dos usuários de crack: aqueles que, por uma série de circunstâncias sociais e individuais, desenvolveram com a substância uma relação extrema e radical, produto e produtora de uma corporalidade em que ganha destaque a abjeção. Se da perspectiva das interações concretas trata-se de uma categoria bastante plástica; é instigante o fato de que tal plasticidade some quando se fala publicamente do uso de crack: imediatamente é essa figura que emerge e justifica todo o aparato repressivo, assistencial, religioso, midiático, sanitário e moral. Portanto, é o corpo do nóia que radicaliza a alteridade, na medida em que materializa um tipo social fundado a partir da exclusão. Uma vez nessa condição, evoca limites corporais, sociais, espaciais, simbólicos e morais, bem como impulsiona a criação de gestões assistenciais e policialescas que visam tanto recuperá-lo quanto eliminá-lo. Considerando a permeabilidade das fronteiras corporais e suas conexões com processos sociais e simbólicos, o objetivo central da tese é, portanto, mostrar empiricamente (a partir da etnografia realizada entre os anos de 2008-2010 nas cidades de Campinas e de São Paulo) a potencialidade deste definhamento corporal e da produção desses corpos abjetos. Argumento que tais corpos se constituem na necessária interface com a substância, os espaços de uso, as redes de solidariedade e prestação mútua, os objetos necessários para o consumo, os atores sociais envolvidos no comércio, no consumo e na prevenção de danos decorrentes desse abuso e as políticas urbanísticas, assistenciais, sanitárias e repressivas. Menos que focar nas experiências dos usuários, mas tendo-as em conta, os corpos abjetos aqui em destaque serão observados porque produzem gestões, territorialidades e alteridades

Abstract: The focus of this thesis is the noia, an endemic category of accusation and assumption that comprehends a particular segment of crack users: the ones that, because of several different social and individual circumstances, have kept a radical relationship with the substance - that results in an abject body. If in the domain of the concrete interaction, noia is a plastic category, such plasticity becomes very diffused in the public talks about crack. Around the abject body many agents and practices are created concerning the repression, assistance, religion, media, public health and moral judgment. Thus, the body of the noia radicalizes the otherness, because it creates a social type that is founded from the exclusion - that produces corporeal, social, spatial and symbolic borders. It also promotes the formation of welfare and repressive policies. Considering the permeability of corporal boundaries and its connection with social and symbolic processes, the main purpose of this thesis is to describe the potentiality of these abject bodies, through the ethnography carried out in the period of 2008-2010 in Campinas and São Paulo cities. I propose that these bodies are built from the interface with several factors: substance, drug scenes, networks of solidarity, artifacts, dealers, harm reduction workers and the public policies. The emphasis is not on the users' experiences, but on how these abject bodies produce managements, territorialities and otherness
Subject: Antropologia urbana
Crack (Droga)
Drogas - Aspectos sociais
Corpo
Brasil - Política social
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rui_Taniele_D.pdf4.72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.