Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279943
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Antiguidade, arqueologia e a França de Vichy : usos do passado
Title Alternative: Classic studies, archaeology and the France of Vichy: uses of the past
Author: Silva, Glaydson Jose da
Advisor: Funari, Pedro Paulo Abreu, 1959-
Abstract: Resumo: Este trabalho tem por objetivo analisar os usos do mundo antigo, pela História e pela Arqueologia, como forma de estabelecer compreensões do mundo contemporâneo. Propõe uma reflexão acerca do papel do passado nos jogos de estratégia e afirmações identitárias, à medida que percebe os estudos sobre a Antigüidade muito próximos das representações coletivas na contemporaneidade. Parte da premissa de que o saber sobre o passado, sua e escrita e suas leituras, são poderes e geram poderes. Do ponto de vista temático, trata da apropriação do passado gaulês, romano e galo-romano na França durante o Regime de Vichy (1940-1944). Mas trata, também, da inserção do objeto num contexto mais amplo, europeu, na medida em que analisa as instrumentalizações da Antigüidade pelo Nazismo e pelo Fascismo. Aproxima-se do objeto com uma análise das figurações da Gália e dos gauleses na historiografia francesa, principalmente a partir do século XIX. Trata do estatuto dos historiadores ao se relacionarem com os poderes do Estado, especificamente, no caso, de Jérôme Carcopino, notável romanista que foi ministro da educação sob Vichy. Por perceber na sociedade francesa atual uma presença muito marcante da Antigüidade, como forma de legitimação de direitos, advindos da origem, analisa-se, também, as formas de apropriação do mundo antigo pelas extremas direitas, representadas no trabalho pelo Front National e pelo grupo Terre et Peuple

Abstract: The purpose of this research work is to analyze the uses of the ancient world by the fields of History and Archaeology as a way to establish understandings of the present world. As ancient studies are very close to present time collective representations, this study proposes a reflection on the role of past in strategy and identity affirmation games. It has as a premise the notion that knowledge of the past, its writing and its interpretations, are powers and create powers. In terms of subject, this study focuses on the appropriation of the Gaul, Roman and Gaul-Roman past during the Vichy Regime (1940-1944). It also analyzes the subject within a greater European frame, for it focuses on the 'instrumentalizations¿ of Antiquity by the Nazi and Fascist regimes. It analyzes, especially from the 19th century on, the characterizations of Gaul and Gaul people in French historiography. It focuses on historians¿ status while they related to State powers, as in the case of Jérôme Carcopino, remarkable scholar in Roman studies, who was Minister of Education under the Vichy regime. As Antiquity is present everywhere in modern French society, this research work also analyzes the different forms of appropriation of the ancient world by extreme Right parties, represented in the text by the Front National party and the Terre et Peuple grou
Subject: História antiga
Arqueologia
França - Política e governo - 1940-1945
França - História - Ocupação alemã - 1940-1945
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SILVA, Glaydson Jose da. Antiguidade, arqueologia e a França de Vichy: usos do passado. 2005. 263p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/279943>. Acesso em: 3 ago. 2018.
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_GlaydsonJoseda_D.pdf1.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.