Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279723
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A filosofia grega entre o pessimismo e o trágico : uma polêmica na interpretação de Nietzsche sobre Anaximandro e Heráclito
Title Alternative: The philosophy between the pessimism end the tragic : a polemics in the interpretation of Nietzsche on Anaximander end Heraclitus
Author: Amusquivar Junior, Newton P., 1984-
Advisor: Giacoia Junior, Oswaldo, 1954-
Junior, Oswaldo Giacoia, 1954-
Abstract: Resumo: A dissertação tem por núcleo uma análise da interpretação dos fragmentos de Anaximandro e Heráclito pelo jovem Nietzsche, tendo sobretudo por base textual o ensaio A filosofia na era trágica dos gregos e o manuscrito Os filósofos pré-platônicos. Essa análise tem como objetivo geral reconstituir os termos da oposição filosófica que, de acordo com Nietzsche, vige entre esses dois pensadores, buscando, ao mesmo tempo, mostrar também como Nietzsche aproxima Anaximandro e Schopenhauer. Essa aproximação é importante para compreender a polêmica de Nietzsche com pessimismo schopenhaueriano, assim como sua identificação com os aspectos essenciais da filosofia de Heráclito. Para Nietzsche, os vínculos entre o pensamento de Anaximandro e o pessimismo de Schopenhauer são tecidos a partir dos seguintes elementos principais: o devir é um sacrilégio perpetrado contra o ser; toda existência, que resulta do devir porta consigo uma culpa originária; a morte é a expiação dessa culpa; o devir é uma injustiça, o ser eterno indefinido é a justiça e a existência determinada do ente é um sacrilégio contra o indefinido. Por oposição a esses elementos, Nietzsche vê em Heráclito uma posição filosófica que: nega o ser eterno e imóvel, para afirmar o puro devir; o devir é pura inocência, destituído de culpa e significação moral; o uno é a própria multiplicidade; justiça é guerra entre os opostos, e a existência é um jogo lúdico de criança. Uma questão central que nos importa é: nessa oposição entre Anaximandro e Heráclito já não estaria prefigurada no jovem Nietzsche uma proposta de superação do pessimismo representado por Schopenhauer e Anaximandro, para estabelecer uma filosofia trágica ligada mais ao pensamento de Heráclito? A oposição entre Anaximandro e Heráclito apontada na interpretação de Nietzsche antecipa a polêmica filosófica entre Nietzsche e Schopenhauer sobre o valor moral da existência? Até que ponto a polêmica entre pessimismo e trágico se inicia na análise de Nietzsche sobre Anaximandro e Heráclito? O que dessa polêmica depois se aprofundará na filosofia madura de Nietzsche?

Abstract: The dissertation has as its core an analysis of the interpretation of Anaximander's and Heraclitus' writings by Nietzsche in early stages of his thinking, moreover has as its textual foundation the essay Philosophy in The Tragic Age of the Greek and the manuscript The Pre-platonic Philosophers. This analysis is aimed to reconstitute the terms of the philosophical opposition that, according to Nietzsche, is set between this two thinkers, and, at the same time, to show how does Nietzsche approximates Anaximander and Schopenhauer. Such approximation is rather important to comprehend the polemic on Nietzsche and Schopenhaurian pessimism, and his identification with the essential aspects of Heraclitus' philosophy. To Nietzsche, the links amid Anaximander's thoughts and Schopenhaurian pessimism are constructed by primal elements: the becoming is a sacrilege perpetrated against the being; all existence that results from the becoming carries an originary guilt; death is the expiation of such guilt; becoming is an injustice, the eternal indefinite being is justice furthermore the determined existence of the being is a sacrilege against the indefinite. In opposition to those elements, Nietzsche sees in Heraclitus a philosophical position that: denies the eternal, motionless being to affirm the pure becoming; becoming is pure innocence, destitute of guilt and moral significance; the one is the own multiplicity; justice is war between opposites, and the existence is a playful childish game. One central question that matters to us is: would not already be prefigured in the young Nietzsche a proposal to overcome the pessimism represented in Schopenhauer and Anaximander, to establish a tragic philosophy adjacent to Heraclitus' thoughts? Does the opposition between Anaximander and Heraclitus pointed in the interpretation of Nietzsche anticipates the philosophical controversy between Nietzsche and Schopenhauer on the moral value of existence? To what extent does the polemic on the pessimism and the tragedy begins with the analysis of Nietzsche on Anaximander and Heraclitus? What extracted from such a polemic will after be deepened in Nietzsche's mature philosophy?
Subject: Nietzsche, Friedrich Wilhelm, 1844-1900
Heraclito, de Efeso
Anaximandro
Culpa
Justiça (Filosofia)
Pessimismo
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
AmusquivarJunior_NewtonP._M.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.