Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279657
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Trayectoria de la(s) memoria(s) Aikewara = del 'evento' de la Guerrilla de Araguaia a la Comisión de Amnistía en el actual contexto de revisión de la ditadura brasileña
Title Alternative: Trajetórias da(s) memória(s) Aikewara : do 'evento' da Guerrilha do Araguaia até a Comissão de Anistia no atual contexto de revisão da ditadura brasileira
Author: Ponce Garcia, Andrea, 1986-
Advisor: Arruti, José Maurício Paiva Andion, 1967-
Abstract: Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir diversos aspectos que configuram as trajetórias que a(s) memória(s) do povo indígena Suruí Aikewara da aldeia Sororó (sudeste do estado do Pará, Brasil) têm experimentado a partir de um evento histórico particular: a repressão militar à Guerrilha do Araguaia (1972 -1975). Trata-se de um exercício que procura refletir sobre os mecanismos de ativação ou apaziguamento do silêncio, enquanto eles, os indígenas, contam sua própria versão da experiência vivida no contexto da ditadura civil militar. Também evidencio neste trabalho os encontros-contatos que os Aikewara têm estabelecido com vários atores nacionais que hoje são responsáveis pelas políticas da memória na dinâmica transicional neste país, principalmente a Comissão Nacional da Verdade (CNV) e a Comissão Anistia (CA). A presença e agência deste povo indígena no evento do Araguaia os têm colocado historiograficamente num lugar instável, onde às vezes são considerados vítimas e, por vezes, os algozes, e por isso o seu papel neste episódio particular da história nacional está sempre em constante negociação. Sendo assim, as atuais dinâmicas narrativas e a evocação pública de experiências compartilhadas que têm sido ativadas principalmente pelas novas gerações na aldeia são relevantes para refletir sobre uma possível materialização da memória partindo de um entendimento diferente da reparação: de natureza coletiva e que salienta a regularização territorial

Abstract: The aim of this research is to discuss several aspects of the indigenous people of Suruí Aikewara of the Sororó Village¿s memory path (southeast of Pará, Brazil) that has been shaped from one particular historical episode: the military repression to Araguaia¿s Guerrilla (197-1975). Attempt that pretends to accomplish the silence¿s mechanisms of activation or appeasements, as they recounted their own version of the story according their experience during the civil military dictatorship period. Moreover, encounters that have been established between Aikewara indigenous and many national stakeholders, who nowadays are responsible for the politics of memory in the transitional dynamics in this country, mainly referring to the National Truth Commission (CNV) and Amnesty Commission (AC), are evidenced. The presence and agency of this indigenous people in the Araguaia event has placed them in an unstable place, where they are sometimes considered the victims and some other times the perpetrators. Their "role" in this particular episode of Brazil¿s national history is always in constant negotiation. That is why current narrative dynamics and public evocation of shared experiences, which have been mainly activated by the new generations in this village, are relevant to ponder a possible materialization of the memory that arises from a different understanding of reparation: one of collective nature that demands their territorial regularization
Subject: Índios Surui
Memória
Ditadura
Guerrilhas - Araguaia, Rio, Vale - História
Violência
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
PonceGarcia_Andrea_M.pdf2.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.