Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279165
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Metaforas do corpo : reflexões sobre o estatuto da linguagem na filosofia do jovem Nietzsche
Title Alternative: Metaphors of body : reflexions about language in the phylosopy of young Nietzsche
Author: Garcia, Andre Luis Muniz
Advisor: Giacoia Junior, Oswaldo, 1954-
Junior, Oswaldo Giacoia, 1954-
Abstract: Resumo: O presente trabalho tem por objetivo analisar o estatuto da linguagem em três domínios da filosofia de juventude de Nietzsche: filosofia estética, teoria do conhecimento e moral. Para executar essa tarefa, propusemo-nos investigar fontes histórico-filosóficas utilizadas por Nietzsche como material preparatório de sua teoria da linguagem, fontes do período que antecede sua entrada na Universidade da Basiléia ¿ denominado pelos editores de Militärzeit ¿ até meados dos anos de 1874. Essa etapa, configurada no primeiro capítulo dessa dissertação, pode também ser entendida como introdução ao tema dessa dissertação. Nela, trabalhamos também o conceito, muitas vezes não analisado pela bibliografia secundária consultada, de influência, objetivando, assim, encontrar um fio condutor que nos permitisse discutir o significado de seu consentimento ou não a doutrinas filosóficas e científicas do século XVIII e XIX. O segundo capítulo, que marca, propriamente, nossa incursão no domínio dos textos nietzscheanos de juventude, discutimos o estatuto da linguagem na filosofia estética de Nietzsche, notadamente, naquela apresentada nos fragmento e escritos póstumos preparatórios d¿O Nascimento da Tragédia. Como se poderá notar, nosso exame, respaldado nos profícuos estudos de literatura secundária, primou por uma precisa, porém não exaustiva, reconstituição paulatina do trinômio: linguagem sonora (Tonsprache), linguagem-de-gesto (Geberdensprache) e linguagem-de-palavra (Wortsprache), que margeiam sua pesquisa sobre a origem, desenvolvimento e perecimento da tragédia grega. O terceiro capítulo, que se inicia retomando temas do capítulo anterior, assenta-se em dois tópicos fundamentais: (i) sobre o novo paradigma da teoria da linguagem, projetado por Nietzsche, em especial, no enigmático e afamado aforismo 12[1], e (ii), partindo da tese oferecida por esse novo paradigma, o qual, é válido dizer, foi dispensado por Nietzsche quando da publicação de O Nascimento da Tragédia, apresentaremos a origem e o escopo de sua crítica à teoria do conhecimento, mais precisamente, à pergunta fundamental dessa disciplina, qual seja, como é possível o conhecimento universal e necessário dos objetos. O quarto capítulo tem como escopo explicitar, em linhas gerais, o estatuto da linguagem na crítica nietzscheana à moral. Essa investigação, por sua vez, tem como pressuposto o exame lingüístico e psicológico, operado pelo jovem Nietzsche em uma série de preleções, redigidas entre 1871 e 1878, sobre a filosofia platônica, dos principais conceitos da metafísica, tais como ser, essência, coisa em si e verdade. Nessa última incursão, indicaremos como a relação entre linguagem e moral pode oferecer um fio condutor para compreensão das bases futuras de seu filosofar

Abstract: The goal of the present dissertation is the analysis of the status of language in three areas of young Nietzsche's philosophy, namely aesthetic philosophy, theory of knowledge and moral philosophy. In order to fulfill this task, I intend to investigate the historical and philosophical sources that Nietzsche has used as preparatory material for his language theory. The composition period I will analyse, corresponds to the time preceding his entrance in the University of Basel ¿ period referred to as Militärzeit by the publishers ¿ until the middle of 1874. This stage, the first chapter of this dissertation, can be seen as a simple introduction to Nietzsche's philosophy of language. In this context, I also work with the concept of influence, largely ignored by scholars. With it I aim at finding a conducting line which would allow a discussion about the meaning of Nietzsche's assent or not concerning philosophical and scientific doctrines of the XVIII and XIX centuries. The second chapter, which properly shows our dealing with his youth texts, discusses the status of language in the aesthetic philosophy of Nietzsche, namely that which is presented in the preparatory and posthumous works and fragments of The Birth of Tragedy. As it should be noted, my analysis, endorsed by importants studies of secondary literature, aimed at a keen, and yet not exhaustive, gradual reconstruction of the tripartite: tonal language (Tonsprache), language-of-gesture (Geberdensprache) and language-of-word (Wortsprache). This, in order to elucidate the origin, development and extinction of the Greek tragedy. The third chapter, which starts off with themes from the previous chapter, bases itself on two importants topics: (i) the new paradigm of theory of language, projected by Nietzsche, especially, in the enigmatic and famous aphorism 12[1], and (ii), from the thesis offered by this new paradigm, which was dispensed with by Nietzsche for the publication of The Birth of the Tragedy, I will present the origin and the target of his critique to the theory of knowledge, that is, to the basic question of this discipline, namely how universal and necessary knowledge of objects is possible. The fourth chapter aims, in general lines, at expliciting the status of language in the nitzschean critique to morals. This inquiry has a presupposition the linguistic and psychological examination, operated by Nietzsche in a series of lectures, written between 1871 and 1878, concerning platonic philosophy. In these lectures, Nietzsche has focused on the main concepts of metaphysics, such as essence, thing in itself and truth. In this last incursion, I will show how the relation between language and morals can offer a conducting line to understanding the future basis of his philosophy
Subject: Nietzsche, Friedrich Wilhelm, 1844-1900
Linguagem
Corpo
Epistemologia
Fisiologia
Platonismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: GARCIA, Andre Luis Muniz. Metaforas do corpo: reflexões sobre o estatuto da linguagem na filosofia do jovem Nietzsche. 2008. 208 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/279165>. Acesso em: 10 ago. 2018.
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Garcia_AndreLuisMuniz_M.pdf1.24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.