Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279157
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Georges Politzer e a psicologia : antecedentes do programa para uma psicologia concreta
Title Alternative: Georges Politzer and the psychology: antecedents of the programme to a concret psychology
Author: Rosim, Alexis Daniel
Advisor: Gabbi Junior, Osmyr Faria, 1950-
Junior, Osmyr Faria Gabbi
Abstract: Resumo: Na presente dissertação procuramos reconstituir os antecedentes teóricos da Critique des fondements de la psychologie, de Georges Politzer, a partir de sua adesão à filosofia kantiana, registrada em seu artigo ¿Introdução¿ como adesão a uma epistemologia de cunho radicalmente não realista. Por outro lado, procuramos mostrar como, partindo da estrutura epistemológica em questão, seu programa para uma psicologia concreta deveu completar-se no anonimato de um antihumanismo teórico. Em outras palavras, a crítica de Politzer à ¿psicologia clássica¿ não se limitaria a refutar pressupostos empiristas como o paralelismo psicofisiológico ou a noção de imagem mental, mas trazia consigo a negação de toda ¿filosofia da consciência¿. De fato, a Critique... sobreviveu na geração do pós-guerra ao destino de seu autor, mas ao preço desta ter ignorado o alcance de seu fundamento crítico. Entendemos que, se a Critique... não consagrava o advento de uma psicologia, finalmente, concreta, não se tratara de uma falta de alcance teórico de seu autor ou de uma conversão ideológica ao stalinismo, em detrimento de sua investigação sobre a psicologia, mas, ao contrário, de certa maneira, antecipava a crítica de Michel Foucault ao ¿sonho antropológico¿ implicado nos projetos fenomenológico e existencialista de reforma da psicologia. Neste sentido, a gravidade de seu manifesto não teria sido completamente decifrada por seus contemporâneos e pela geração que se seguiu: ¿a dissolução do mito da dupla natureza humana¿, anunciada no começo da Critique..., encontrava seu verdadeiro desfecho pela recusa a toda temática em torno do ¿homem¿ tout court, como objeto de uma metapsicologia, de uma redução fenomenológica, de uma análise existencial, etc. Cada um desses discursos tomaria para si a mesma estatua herdada do empirismo, procurando reanimar a Idéia ¿clássica¿, agora, rebaixada e recortada, por uma duplicação empírico-transcendental, à altura da nova figura do homo psichologicus

Abstract: In this dissertation one searches to reconstruct the theoretical antecedents of the Critique des fondements de la psychologie, by Georges Politzer, from its adhesion to the Kantian philosophy, registered in his article ¿Introduction¿ as adhesion to an epistemology of essence radically non-realistic. On the other hand, one searches to show how, departing from this epistemological structure, its program towards a concrete psychology should be complemented in the anonymity of a theoretical anti-humanism. In others words, Politzer's critic to ¿classical psychology¿ wouldn¿t be limited to refusing empirical presuppositions as the parallelism psycho-physiologic or the notion of mental image, but would bring in itself the denial of ¿conscience philosophy¿ in a hole. As a fact, the Critique... survived, in the post-War Generation, to the destiny of its own author, but under the price of ignoring the reach of its critical fundament. One understands that if the Critique... didn¿t materialize the rise of a psychology, finally, concrete, it didn¿t occur due to a lack of theoretical reach of its author or a ideological conversion to Stalinism, in detriment of his investigation over psychology. On the contrary, in a certain way, it anticipated Michel Foucault¿s critic to the ¿anthropological dream¿ implicated in the phenomenological and existentialist projects of reformation of psychology. In this sense, the gravity of its manifest wouldn¿t have been completely deciphered by his contemporary and the following generation: ¿the dissolution of the myth of the double human nature¿ announced at the beginning of the Critique..., found its real end in the denial of all the thematic surrounding the ¿man¿ tout court, as the object of a metapsychology, of a phenomenological reduction, of a existential analysis, etc. Each and all of these speeches would take for itself the statue inherited of empirism, looking for reliving the ¿classical¿ Idea, now lowered and cut out by a duplication empirical-transcendental, of the stature of the new character of homo psichologicus
Subject: Politzer, Georges, 1903-1942
Filosofia moderna
Psicologia
Psicanálise
Filosofia francesa
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rosim_AlexisDaniel_M.pdf436.08 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.