Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/278995
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Entre o tempo da produção econômica e o da reprodução social = a vida das teleoperadoras
Title Alternative: Between economic production and social reproduction time : women call center operator's lives
Author: Freitas, Taís Viudes de, 1983-
Advisor: Moraes, Maria Lygia Quartim de, 1943-
Moraes, Maria Lygia Quatim de
Abstract: Resumo: O mundo do trabalho vem sofrendo transformações, frutos do desenvolvimento tecnológico, que levam a um aumento da produtividade. Neste contexto, novas profissões surgem, a exemplo do teleatendimento, caracterizado por uma intensa flexibilidade e elevado grau de precariedade nas relações de trabalho. A oferta destes serviços prolonga-se durante as 24 horas do dia e por todos os dias da semana, exigindo dos profissionais flexibilidade quanto aos dias e horários de trabalho. Nestes serviços, a força de trabalho feminina é majoritária, o que é justificado, no setor empresarial, pelo fato de que as construções sociais acerca da representação da mulher na sociedade atendem às demandas de qualificação deste setor. No presente estudo, objetiva-se analisar sociologicamente a categoria tempo em dois sentidos: como controlador e regulador do tempo produtivo e como organizador do tempo da reprodução social. Na medida em que jornadas flexíveis de trabalho são recorrentes no setor de teleatendimento, cabe analisar quais as conseqüências desta prática sobre a vida social dos trabalhadores. Para tanto, tem-se como objeto de estudo as trabalhadoras de teleatendimento, principalmente aquelas inseridas em regimes excepcionais e com horários freqüentemente alternados, por ser esta uma profissão que alia alta tecnologia e informatização para controle e dinamização do tempo de produção à exigência de horários flexíveis de trabalho
Abstract : The world of labor has been under transformation, originated by technological development, which leads to an increase of productivity. In this context, new professions emerge, as telemarketing, marked by an intense flexibility and high level of precariousness in labor relations. The offer of these services extends 24 hours a day and 7 days a week, demanding flexibility on work schedule from the workers. The female workforce is majority in telemarketing, and the employers explain that by the fact that social constructions on how women are represented in our society comply with the demands of qualification in the sector. In this study, there is an attempt to make a sociological analysis of the concept of time in two different senses: as controlling and regulating productive time and as organizing social reproduction time. As flexible working days are frequent in telemarketing business, the consequences of this practice to workers' social life should be analyzed. In order to do that, the object of study are female call center operators, especially those who work under exceptional schedules and have their shifts frequently alternated, being telemarketing a profession that allies high technology and computerization to control and dynamism of productive time, as well as the demand of flexible working time
Subject: Telemarketing
Horario de trabalho
Relações de gênero
Divisão do trabalho por sexo
Relações trabalhistas
Tempo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Freitas_TaisViudesde_M.pdf1.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.