Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/278934
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: A questão da estabilidade na teoria da justiça de John Rawls
Title Alternative: The matter of stability in the Rawl's theory of justice
Author: Oliveira, Joviniano Jose Rezende de
Advisor: Muller, Marcos Lutz, 1943-
Abstract: Resumo: No século XX, na busca de argumentos racionais capazes de fornecer fundamentos legítimos para as principais instituições democráticas, filósofos e teóricos políticos se dedicaram à elaboração de concepções liberais de justiça. Nesse sentido, um dos esforços mais significativos foi o realizado por John Rawls (1921-2002), principalmente contido na obra Uma Teoria da Justiça (1971). A teoria de Rawls refletiu a necessidade das teorias liberais em responderem aos atuais problemas das sociedades capitalistas, principalmente às questões sobre o fundamento das obrigações políticas que se referem à legitimidade das instituições democráticas e à questão da estabilidade Nesta dissertação, não se pretende realizar uma análise puramente exegética ou comparativa das obras de Rawls, mas tratar de dois principais problemas que Rawls enfrentou em Uma Teoria da Justiça e que perpassaram todo seu projeto filosófico, ou seja, como seria possível haver consenso acerca de uma concepção de justiça para uma sociedade democrática constitucional? Os termos que constituem essa concepção conseguiriam contar com o apoio dos cidadãos? Para responder essas questões Rawls elaborou a concepção de justiça como eqüidade, um conjunto de princípios de justiça escolhido por pessoas racionais e razoáveis em uma situação inicial eqüitativa. Para Rawls, a concepção de justiça como eqüidade é estável porque ao aplicar-se às principais instituições sociais, tornariam a sociedade bem-ordenada. A atuação dos princípios de justiça nas instituições sociais geraria nos cidadãos um efetivo senso de justiça. Em Uma Teoria da Justiça, a estabilidade social é garantida pela presença desse efetivo senso de justiça, e em uma sociedade bem-ordenada os princípios de justiça garantiriam os direitos básicos para o exercício da cidadania democrática, e ainda assegurariam o auto-respeito dos indivíduos. Nesse contexto, agir conforme a justiça constitui um bem comum para as pessoas em geral. Em O Liberalismo Político (1993), Rawls revisa a sua concepção de justiça, e para dar maior realismo ao ideal de uma sociedade bem ordenada, pressupõe que essa sociedade seja marcada por uma pluralidade doutrinas morais e filosóficas abrangentes e razoáveis que são incompatíveis, mas justiça como eqüidade, por ser apresentada como uma concepção política de justiça capaz de alcançar um consenso por sobreposição entre diferentes doutrinas religiosas e filosóficas, seria capaz de solucionar a questão da estabilidade

Abstract: In the 20th century, in the search of rational arguments capable of giving legitimate fundaments to the main democratic institutions, philosophers and political theoreticians were dedicated to the elaboration of liberal conceptions of justice. In this meaning, one of the most significant efforts was made by John Rawls (1921-2002), mainly in his work A Theory of Justice (1971). Rawls' theory has reflected the necessity of liberal theories in response to the actual problems of capitalist societies, regarding matters of political obligations that refer to the legitimacy of democratic institutions and also matters of stability. In this thesis, there is no intention of a pure comparative analysis of Rawls'work, but to deal with two problems that Rawls has faced in A Theory of Justice and have overlapped his entire philosophical project, that means, how would it be possible to reach a consensus concerning a conception of justice to a constitutional democratic society? Could the terms that made this conception of justice count on the support of the citizens? To answer these questions Rawls has elaborated the conception of justice as fairness, a set of principles of justice, chosen by rational and reasonable people in an equitable situation. To Rawls, the conception of justice as fairness is stable, because applying it in the main social institutions would generate in the citizens an effective sense of justice. In A Theory of Justice, social stability is guaranteed by the presence of this effective sense of justice, and in a democratic society, the principles of justice would guarantee basic rights to the use of a democratic citizenship, and would also assure an individual self-respect. In this context, acting according the justice is a common well to people in general. In Political Liberalism (1993), Rawls revises his conception of justice, and to give more realism to the ideal of a well-ordered society, he considers that this society be characterized by a plurality of wide moral and philosophical doctrines that are incompatible, but justice as fairness, because it is presented as a political conception of justice capable of reaching a overlapping consensus between different religious and philosophical doctrines, would be capable of answering the matter of stability
Subject: Rawls, John, 1921-2002
Ética
Justiça - Administração - Brasil
Estabilidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: OLIVEIRA, Joviniano Jose Rezende de. A questão da estabilidade na teoria da justiça de John Rawls. 2006. 128 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/278934>. Acesso em: 10 ago. 2018.
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Oliveira_JovinianoJoseRezendede_M.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.