Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275306
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: O corpo que dança : os jovens e suas tribos urbanas
Author: Vilela, Lilian Freitas
Advisor: Moreira, Wagner Wey, 1948-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa nasceu de um desejo de investigação sobre as manifestações culturais dançadas atualmente pelos jovens que moram na periferia da cidade de Campinas. O olhar da investigação concentrou-se nos dançarinos, ou melhor, nas "tribos urbanas" que dançam Punk Miami e Break (Hip-Hop) nos bailes da cidade. Junto a este tema foram levantados dados e contextos destas danças, vividas em momentos de ritos e festas, bem como pontos relevantes sobre sua significação na vida de seus criadores atores. O referenda! teórico abordado junto aos temas: corporeidade e dança, cultura popular, rituais urbanos e mundialização cultural, juntamente com a contextualização de origem e histórico destas manifestações, veio se aliar à metodologia aplicada na pesquisa de campo nos bailes (observação e registro), descrições de movimentos (com apoio no vídeo em anexo), análises dos principais elementos estéticos coreográficos e análise do conteúdo do discurso dos dançarinos. Os dados coletados na pesquisa de campo (categorias de significado levantadas no discurso dos dançarinos e da análise das estruturas estéticas) apoiados no referencial teórico desvelaram símbolos trazidos por estas identidades grupais desterritorializadas buscando relações entre a dança popular com a sociedade contemporânea e a mundialização cultural, os rituais urbanos e a representação da masculinidade na dança. Pudemos constatar que a experiência estética da dança proporciona aos dançarinos a possibilidade de existência enquanto seres que sentem e pensam com seus corpos no mundo. Dentro das próprias diferenças estéticas e de linguagem entre estas duas danças, Funk Miami e Break, pudemos perceber que as sensações alternam-se, misturam e se completam, sendo veículo de prazer, momento de sociabilização e de viver o "estar-junto" em grupo, autoconhecimento, crítica e contestação por um espaço em nossa sociedade e, para os jovens moradores de periferia são um caminho distante do mundo da drogas e da criminalidade. A dança deu voz e corpo às tensões e contradições do mundo em que vivem atuando também como "válvula de escape" para as pressões da sociedade e do mundo adulto. - As danças de rua vêm legitimar o conteúdo crítico e estético da arte popular, sintonizado com a mundialização cultural e com a produção artística contemporânea, porém, correm o risco de serem formalizadas e destituídas de seus contextos originais, para servirem de instrumental para aulas de condicionamento físico e de "docilizadores" de corpos

Abstract: This research started up from a desire of investigation on cultural manifestations danced in present days by youngs that live in the city of Campinas' peryphery. The investigation's glance was concentred in dancers, preferably in "urban tribes" which dance Funk Miami and Break (Hip Hop) in the baIls of the city. Simultaneously, data and contexts of these dances, experienced in moments of rites and parties, were gathered, as well as outstanding points about their signification in theirs creators-actors' life. Theoretical referential bordered through the themes - bodily and dance, popular cu1ture, urban rituaIs and cultural worldwiding, as well as the original contextualization and account of these manifestations - joined to methodology applied to the balls in field reserch. Data collected in field research (categories of meaning in dancers' speech and aesthetic structures analysis), supported by the theorethical referential, revealed symbols carried out by these unlanding grupal identities, looking for relationships between popular dancing and contemporary society and cultural worldwiding, urban rituaIs and masculinity's representation in dancing. We could verify that dancing's aesthetic experimentation offers to dancers the possibility of existence as beings that feel and think about the world with their bodies. Even in aesthetic and language differences of both dances, Funk Mianú and Break, we could realize that sensations alternate, blending and completing each other, turning into a vehicle of pleasure, instant of sociability and moment to experience the "being-together" in group, self-knowing, critic and contestation for a way far from the drugs' and crim.inality'senvironments. Dancing have done voice and body to tensions and contradictions of tbe world in which they often act as "leak gates" of pressions from society and adult world. Street dances legitimate popular art's aesthetic and critical contents, syntonized with cultural worldwiding and contemporary artistic production; howev:er, they just cannot have the hasard of being formaIized, deposed frem their original contexts in manner to serve over phisica1 condiotionning's classes and 'submissivers' of bodies
Subject: Dança
Cultura popular
Juventude
Funk
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vilela_LilianFreitas_M.pdf8.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.