Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275293
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Processos adaptativos do tecido muscular esqueletico e tecido conjuntivo : repercussões sobre a flexibilidade
Author: Moraes, Marco Antonio Alves de
Advisor: Vilarta, Roberto, 1956-
Abstract: Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir os mecanismos de controle das adaptações estruturais nos tecidos conjuntivo e muscular submetidos a diferentes condições funcionais. Busca-se o desenvolvimento de interpretações acerca da plasticidade tecidual relacionada com os trabalhos corporais que visam o aprimoramento da flexibilidade do sistema locomotor. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica realizada através da identificação, localização e compilação dos dados escritos, buscando o aproveitamento e ordenação do conhecimento existente, pertinente ao objeto de estudo, utilizando-se as técnicas de análise e interpretação, considerando-se o raciocínio dedutivo para se construir e desenvolver a relação entre as observações e considerações dos autores. O tecido conjuntivo apresenta participação significativa no processo de adaptação ao alongamento. Os principais dados demonstram que a adaptação frente ao aumento da demanda funcional, aumenta a síntese de colágeno, estimula a produção de glicosaminoglicanos, e eleva a área de secção transversa da fibra, o número de núcleos de fibroblastos, o diâmetro dos feixes de colágeno e a resistência à tração dos tendões. Este tecido reage estruturalmente à privação do movimento, com a diminuição na síntese de proteínas e redução na produção de glicosaminoglicanos, que associada a diminuição de água aumenta em cristalinidade os feixes de colágeno, elevando o número de rigações cruzadas, e reduzindo, desta forma, a elasticidade e aumentando a rigidez elástica do tendão, ficando o tecido mais sujeito à fragmentação. O tecido muscular apresenta intensa capacidade adaptativa, sendo o principal sítio de alterações morfológicas com reflexo sobre a capacidade de flexibilidade do sistema ósteo-mio-tendíneo. O músculo é capaz de adaptar-se funcionalmente através de tensões passivas, aumentando a síntese de proteínas, e como conseqüência o aumento no tamanho da fibra pela adição em série de sarcõmeros na extremidade das fibras, aumentando o tamanho do músculo e o relaxamento de "stress". Na ausência ou diminuição do movimento que conduzem a hipocinesia e hipodinamia, ocorre redução da síntese protéica, conseqüente à diminuição de tensão muscular, por não haver sobreposição ótima entre os filamentos de actina e miosina. Nestas condições observa-se atrofia, diminuição do comprimento e diâmetro da fibra em decorrência da redução no número de sarcõmeros em série. A adaptação resulta no remodelamento do tecido conjuntivo intramuscular, diminuição da força contrátil máxima e da curva comprimento/tensão, o que predispõe a menor extensibilidade e aumento na rigidez tecidual. O alongamento muscular, considerando as mudanças plásticas que induzem a modificações permanentes, dependendo da sua intensidade, tempo e freqüência, conduzem a um processo adaptativo dos tecidos em função da nova exigência funcional. Isto se deve ao aumento no número de sarcõmeros em série, diminuindo a tensão na unidade músculo-tendão, devendo os tecidos adquirir um novo comprimento, maior capacidade de relaxamento, diminuição da rigidez e conseqüente aumento da flexibilidade. Estes dados permitem deduzir que a flexibilidade do sistema locomotor é influenciada pelo nível de tensão exercido sobre os tecidos, pela disposição das fibras em relação ao tendão, pelo grau de extensibilidade das fibras de colágeno do tendão e das fibras musculares esqueléticas e pela cápsula articular, que representam fatores limitantes desta propriedade

Abstract: This study has as its objective to discuss the control mechanisms of structural adaptations in the connective and muscular tissues under different functional conditions. It consists in the development of the interpretations about the plasticity of the tissues related to physical activities in order to improve the motor system's flexibility. Therefore, this bibliographic research, based on the identification, localization and compilation of the data seeks the utilization and ordenation of available knowledge pertinent to studying the object. It makes use of analysis and interpretative techniques and deduction to construct and develop the relationship between the observations and considerations of the authors. Connective tissues has a significant role in the process of stretching adaptation. The most important data is that the adaptation relative to increasing the functional activity increases collagen synthesis, stimulates the glycosaminoglycan production and increases the cross-seccional area, the number of fibroblast nucleuses, the diameter of collagen bundles and resistance toward tendon traction. This tissue reacts structurally to the privation movement that decreases the protein synthesis and the glycosaminoglycan production, which are associated with decreased water, increase the crystals in collagen bundles increasing the cross-link number. On the other hand, the decrease of elasticity occurs and the tendon's elastic stiffness increases and the tissue becomes subject to fragmentation. Muscular tissue presents great adaptive capacity, being the main place for morphological changeswith reflection on the flexibility capacity of the osteomyo-tendinous. The muscle is able to adapt itself functionally through passive tensions increasing the protein synthesis and consequently, the size of the fiber is increased by the addition of in-series sarcomeres at the extremity of the fiber increasing muscle size and the relaxation of "stress". In the absence or decrease of movement that induces hypokinety and hypodynamy, the decrease of protein synthesis occurs as a consequence of the reduction muscular tension, becouse there is no adequate position between actin filaments and myosin. In this condition, atrophy is observed, decrease of the length and diameter of fiber in consequence of the reduction of in-series sarcomeres. Adaptation results in the remodeling of the intramuscular connective tissue, reduction of maximum contractible strength and of the length/tension curve. This leads to minor extensibility and major tissue stiffness. Muscular stretching, considering. the plastic changes that induce permanent modifications, depending on its intensity, time and frequency, leads to an adaptive process of the tissues in function of a new demandoThis occurs as a consequence of the increaseof the number of in-series sarcomeres, decreasing the tension at the union of muscle-tendon. Consequently, the tissues acquire a new length, a greater relaxation capacity, reduction of stiffness and a consequent increase of flexibility. These data permit deducing that the motor system's flexibility is influenced by the levei of the exercised tension on the tissues, by disposition of the fibers in relation to the tendon, by the degree of extensibility of the collagen fibers of the tendon and skeletal muscular fibers and by articular capsule. Ali these represent the limiting factors of this property
Subject: Exercícios físicos
Tecido conjuntivo
Plasticidade
Alongamento (Fisiologia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1997
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Moraes_MarcoAntonioAlvesde_M.pdf3.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.