Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275125
Type: TESE
Title: Comparação da associação de diferentes programas de atividade física aplicados no local de trabalho sobre o nível de atividade física e qualidade de vida de trabalhadores do setor administrativo de comunidade universitária
Title Alternative: Comparison of the association of different physical activity programs applied in the wokplace on the level of physical and quality of live for workers in the administrative sector of university
Author: Pereira, Cynara Cristina Domingues Alves, 1974-
Advisor: Vilarta, Roberto, 1956-
Abstract: Resumo: INTRODUÇÃO: No mundo todo, a alta prevalência de sedentarismo da população trabalhadora é preocupante. A falta de prática de atividade física aumenta os riscos em relação aos prejuízos da qualidade de vida, bem como, a morbidade e mortalidade destes indivíduos. As evidências científicas atuais, apesar de serem fundamentais, são insuficientes para indicar quais ações aplicadas no ambiente corporativo podem contribuir na minimização das condições de risco do sedentarismo. OBJETIVO: Comparar a associação de diferentes práticas de atividade física - atividade física sistematizada (AFS), grupos de treinamento físico programado (TFP) e grupos de aconselhamento à prática de atividade física (GA) sobre o nível de atividade física (NAF) e a percepção da qualidade de vida (QV) de trabalhadores do setor administrativo (ADM) de uma comunidade universitária. MÉTODO: Na fase I foram avaliados 645 sujeitos pertencentes à comunidade de ensino superior (discentes, docentes e trabalhadores ADM) e na fase II foram estratificados da amostra total 165 trabalhadores ADM que foram avaliados e aleatorizados, além do grupo controle (GI), para uma das 3 intervenções: (GII= AFS; GIII=AFS +TFP e GIV= AFS+ GA). As variáveis sociodemográficas, socioeconômicas e de saúde (formulário socioeconômico e de saúde e critério de classificação econômica do Brasil), NAF (IPAQ curto), percepção da QV (WHOQOL- bref), barreiras à prática de atividade física (NEWS) e estágios de prontidão para a mudança de comportamento em relação à atividade física (EPMC) foram analisadas por meio eletrônico. No início da pesquisa todas as variáveis foram coletadas (fase I) e repetidas na pré- intervenção e após 16 semanas de intervenção (fase II), totalizando a duração da pesquisa em 10 meses. RESULTADOS: Na fase I os grupos discentes e trabalhadores ADM descreveram, respectivamente, características sociodemográficas e socioeconômicas com similitudes: F (71,1%; 67,2 %), jovens entre 17 e 29 anos (81,9%; 50%), solteiros (80,0%; 58,3%), com renda mensal entre 1 e 3 salários mínimos (43,8%; 51,4%) e nível socioeconômico D (42,0%; 44,0%) e os docentes inversamente, a não ser pelo tempo de estudo. O NAF (suficientemente ativos- 64%) e o EPMC contemplação (41,4%) não apresentaram diferenças entre os grupos. Já a saúde foi pior para os trabalhadores ADM (presença de morbidades - 29,9%) e QV Total e a QV Geral foi maior para os docentes (73,5±23,2; 81±13,5) e trabalhadores ADM (70,1±22,6; 76,2±15,8) do que discentes (68,6±21,6; 74,4±16,0). Na fase II, pré- intervenção os grupos descreveram características sociodemográficas, socioeconômicas e de saúde sem diferenças. Pós- intervenção, o NAF apresentou maiores impactos nos grupos GIII-AFS + TFP (284,4%) e GIV- AFS + GA (243,3%), quando comparados aos outros grupos GI- Controle (- 83, %) e GII-AFS (-8,4%). A QV destacou maiores diferenças nos grupos GIII-AFS + TFP (9,8%) e GII-AFS (5,7%), quando comparados aos outros grupos GIV- AFS + GA (-0,4) e GI- Controle (0,1%). Todos os mecanismos de intervenção associados à prática de AFS foram mais relevantes quando comparados ao grupo que não participou das intervenções. CONCLUSÃO: Os programas de atividade física aplicados no local de trabalho exerceram influência positiva sobre o NAF e QV do trabalhador ADM. Os programas associados com maior frequência, compostos por vivências práticas e educacionais, foram os que apresentaram os melhores resultados

Abstract: BACKGROUND: The high prevalence of sedentary working population worldwide is worrisome because a lack of physical activity increases the risk of injury in relation to quality of life and morbidity and mortality. The current scientific evidences, despite being fundamental, are insufficient to indicate what actions implemented in the corporate environment can contribute in minimizing risk conditions of inactivity. OBJECTIVE: To compare the combination of different practices of physical activity-systematized physical activity (AFS), scheduled physical training groups (TFP), and counseling groups for physical activity (GA) - and its influence on the level of physical activity and perception of quality of life for workers in the administrative sector of the higher education community. METHOD: During phase I will be assessed 645 subjects belonging to the higher education community (students, teachers and workers in the administrative sector) and in Phase II will be stratified sample and evaluated total 165 workers in the administrative sector will be randomized, and the control group (GI), to one of three interventions: (GII = AFS, GIII = AFS + TFP and GIV = GA). Will examine the social demographic, socioeconomic and health (socioeconomic and health form and classification criteria of economic BRAZIL), physical activity (IPAQ short), perceived quality of life (WHOQOL-bref), barriers to physical activity (NEWS) and stages of readiness for behavior change (EPMC) in relation to physical activity by electronic. All variables will be collected prior to the start of Phase I, the pre-intervention and after 16 weeks of intervention in phase II, the total duration of the study at 10 months. RESULTS: In phase I the groups described students and workers in the administrative sector, respectively, with social demographic and socioeconomic similarities: F (71.1%; 67.2%), young people between 17 and 29 years (81.9%; 50%), single (80.0%; 58.3%), with a monthly income between 1 and 3 minimum wages (43.8%, 51.4%) and socioeconomic level D (42.0%; 44.0%) and teachers conversely, except the period of study. The physical activity level (sufficiently active- 64%) and EPMC contemplation (41.4%) did not differ between groups. Already health was worse for workers in the administrative sector (presence of comorbidities - 29.9%) and Total quality of life and General quality of life was greater for teachers (73.5 ± 23.2; 81 ± 13.5) and workers in the administrative sector (70 , 1 ± 22.6; 76.2 ± 15.8) than students (68.6 ± 21.6; 74.4 ± 16.0). In phase II, pre-intervention groups reported social demographic characteristics, socioeconomic and health without differences. Post-intervention, the level of physical activity had higher impacts on GIII-AFS + TFP (284.4%) and GIV-AFS + GA (243.3%) when compared to other groups Control- GI (- 83%) and GII-AFS (-8.4%). The largest differences in quality of life highlighted GIII-AFS + TFP (9.8%) and GII-AFS (5.7%), when compared to other groups GIV-AFS + GA (-0.4) and Control-GI (0.1%). All intervention mechanisms associated with the practice of AFS were more relevant when compared to the group that did not participate in interventions. CONCLUSION: The activity programs implemented in the workplace exerted positive influence on the level of physical activity and Quality of life of workers in the administrative sector. The programs associated with greater frequency, composed of educational practices and experiences, presented the best results
Subject: Estilo de vida sedentário
Atividade física
Trabalho
Qualidade de vida
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pereira_CynaraCristinaDominguesAlves_D.pdf4.62 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.