Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/274724
Type: TESE
Title: Cinética de remoção de lactato na definição de pausas para treinamento intervalado de alta intensidade
Title Alternative: Kinetics of lactate removal in the definition of breaks to high-intensity interval training
Author: Lopes, Charles Ricardo
Advisor: Macedo, Denise Vaz de, 1959-
Abstract: Resumo: O objetivo do presente estudo foi observar as adaptações promovidas pelo treinamento intervalado (TI) com diferentes tempos de pausas passivas. Vinte indivíduos fisicamente ativos, estudantes de Educação Física, foram divididos em dois grupos (G1 e G2) e submetidos a 14 sessões de TI. O protocolo de treino consistiu de sprints de 40 segundos em intensidade áxima, com pausa de 2 minutos entre os mesmos para o G1 e 5 para o G2. O volume dos sprints foi gradativamente incrementado ao longo das sessões seguindo o seguinte padrão: 4 sprints da 1ª a 3ª, 6 da 4ª a 6ª, e 8 da 7ª a 14ª sessão. Foram avaliados desempenho no teste 40 segundos (40s), as velocidades de limiar ventilatório (vLV), ponto de compensação respiratória (vPCR), e de consumo máximo de oxigênio (vVO2máx.), o consumo máximo de oxigênio (VO2máx.), composição corporal (CC), séries branca e vermelha, e a cinética de remoção do lactato frente ao 40s (CRL). A CC, CRL, série vermelha e branca foram acessadas na semana anterior ao início do programa, e uma semana após o término do mesmo (7D). A vLV, vPCR, vVO2máx, o VO2máx, e o 40s também foram acessados 14 dias após o término do programa de treinamento (14D). Como resultados observamos que os dois grupos aumentaram significativamente o desempenho no 40s em 7D e 14D; Não houve alterações significantes nas séries vermelha e branca; Três sujeitos do G1 aumentaram significantemente a vLV em 7D, enquanto que quatro não apresentaram alteração, e um diminuiu; Cinco sujeitos no G2 aumentaram significantemente a vLV no momento 7D, mas três não, sendo que um diminuiu sua vLV; Para a vPCR quatro sujeitos do G1 exibiram aumento significante, um sujeito diminuiu, e três não sofreram alterações em 7D.; Seis sujeitos no G2 exibiram maior vPCR, dois não exibiram alteração, e um diminuiu no momento 7D; A vVO2max aumentou em apenas um sujeito do G1 e não se alterou nos demais; Três sujeitos no G2 exibiram aumento na vVO2max e seis mantiveram em 7D. Levando-se em comparação os valores de erro típico inerente ao protocolo para vLV (ET=0,62km/h), vPCR (ET=0,35km/h) e vVO2max (ET=0,43km/h), podemos observar que o número de sujeitos com aumento significativo na resposta no momento 14D aumentou em todas as variáveis, sugerindo uma supercompensação dos efeitos do treino intervalado de alta intensidade nesses parâmetros após duas semanas de descanso. Não observamos alterações significantes no Tmax para G1 e G2, sem nenhuma alteração significante para o Lacmax. Nossos resultados sugerem que a manipulação no tempo de pausa em treinamentos intervalados de alta intensidade pode influenciar na magnitude das adaptações ao treinamento

Abstract: The aim of this study was to observe the adaptations promoted by the interval training with different rest intervals. Twenty individuals physically active and physical education students were divided into two groups (G1 and G2) and underwent into 14 interval training sessions. Training protocol consisted of sprints of 40 seconds at maximum intensity, with 2 minutes of rest interval for G1 and 5 minutes for G2. The sprints volume was gradually increased throughout the sessions as follow: 4 sprints from 1ª to 3ª, 6 from 4ª to 6ª, and 8 from 7ª to 14ª session. We have evaluated the performance in the 40 seconds test (40s), the velocities of the ventilatory threshold (VLV) and respiratory compensation point (VPCR), and of maximal oxygen consumption (vVO2max.), the maximum oxygen consumption itself (VO2max), body composition (CC), hematological markers, and the kinetics of lactate removal in the 40s (CRL). CC, CRL, and blood samples were accessed one week before the beginning training (Pre), and one week after the end of the program (7D). The vLV, vPCR, vVO2máx, o VO2máx, and 40s were also accessed 14 days after the completion of the training program (14D). Our main findings were: significant changes in 40s performance were observed at 7D and 14D for both groups, however the magnitude of the increase for the G2 at 14D was significantly higher than the G1; No significant changes were observed in red and white cells number; three subjects in G1 increased significantly the vLV at 7D, however four do not present changes for this variable, and one decreased; five subjects in G2 increased significantly the vLV at 7D, however three did not present changes for this variable, and one decreased; four subjects in G1 increased significantly the vPCR at 7D, one decreased and three did not presented any significant change; six subjects in G2 increased significantly the vPCR at 7D, but two did not present any significant change and one decreased; only one subject of G1 increased the vVO2max, meanwhile in G2 three subjects increased significantly and six remained at 7D; taking into consideration the typical error for the vLV protocol (ET=0,62km/h), vPCR (ET=0,35km/h) and vVO2max(ET=0,43km/h), we observed that the number of subjects with significant increases at 14D was greater for a all variables analyzed, suggesting a supercompensation effect of the high intensity interval training after two weeks of rest; No significant changes were observed in Tmax for G1 and G2, with no significant changes were observed for Lacmax in both groups. Our results suggest that rest interval manipulations during high intensity can influence the magnitude of training adaptations
Subject: Lactatos
Treinamento intervalado
Velocidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lopes_CharlesRicardo_D.pdf756.75 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.