Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271186
Type: TESE
Title: Estruturas possessivas : a aquisição de posse inalienável no português brasileiro
Title Alternative: Possessive structures : acquisition of inalienable possession in Brazilian Portuguese
Author: Mendes, Fernanda, 1986-
Advisor: Lopes, Ruth Elisabeth Vasconcellos, 1960-
Abstract: Resumo: Examinando a aquisição de estruturas possessivas inalienáveis em português brasileiro (PB), a presente pesquisa, baseada na Teoria Gerativa e, consequentemente, na Hipótese Inatista, estabelece um paralelo com outras línguas, tais como francês, espanhol e inglês. É interessante notar que, neste contexto, o PB parece apresentar um padrão oposto ao do inglês ¿ ao menos no que diz respeito à coocorrência entre nomes de partes do corpo e determinantes definidos ¿, porém tampouco exibe um comportamento similar às outras línguas românicas, tais como o francês e o espanhol, mostrando uma maneira única de realizar estruturas de posse inalienável. Baseando-se, entre outros, em Guéron (1985), Vergnaud e Zubizarreta (1992), Pérez-Leroux et al. (2002a,b), Floripi e Nunes (2009) e Mendes (2010), o presente estudo testa a aquisição de estruturas de posse inalienável em PB e inglês, assumindo que crianças falantes nativas de inglês teriam disponível, num primeiro momento, a mesma gramática disponível para crianças falantes nativas de PB, em que a leitura inalienável poderia ser vinculada tanto na presença de pronomes possessivos quanto na presença de determinantes definidos com qualquer tipo de nome ¿ seja de parte do corpo, seja relacional. O estudo experimental foi constituído por duas séries de testes, uma contendo nomes de partes do corpo, em que foram aplicados os métodos de Tarefa de Julgamento de Valor de Verdade e Tarefa de Seleção de Figura; e outra contando nomes relacionais, em que foi aplicado apenas o método de Tarefa de Julgamento de Valor de Verdade, sendo ambos métodos que permitem que se extraia julgamentos interpretativos indiretamente, o que se coloca como indispensável quando os participantes envolvem crianças. De fato, a distinção entre as gramáticas das duas línguas apareceu por volta dos 6;0 anos de idade, quando crianças falantes de inglês restringiram o uso do determinante definido de acordo com a gramática alvo, não permitindo o seu uso nas estruturas contendo nomes de partes do corpo, quando foi veiculada a interpretação inalienável. Neste caso, o determinante definido foi substituído pelo pronome possessivo. Em relação ao mesmo uso com nomes relacionais, também examinados nesta tese, observou-se que estes, diferentemente dos nomes de partes do corpo, podem coocorrer, inclusive na gramática adulta do inglês, vinculando a leitura inalienável. Isso indica, portanto, que, nesta língua, o estatuto dos determinantes definidos que constituem tais estruturas é diferente, sendo determinantes definidos substantivos, no caso em que há um nome de parte do corpo envolvido, e determinantes definidos expletivos, no caso em que há um nome relacional envolvido. Já em PB, esses determinantes poderiam ser expletivos em ambos os casos

Abstract: In order to examine the acquisition of inalienable possessive structures in Brazilian Portuguese (BP), this research, based on the Generative Grammar approach and, consequently, on the Innateness Hypotesis, establishes a parallel with other languages, such as French, Spanish and English. It is an interesting fact that, in this context, BP seems to present the opposite pattern found in English ¿ at least in which concerns to cooccurrences of body-parts names and definite determiners ¿ and also does not behave similarly to Spanish and French, showing a unique way of building inalienable possession constructions. Following, among others, Guéron (1985), Vergnaud and Zubizarreta (1992), Pérez-Leroux et al. (2002a,b), Floripi and Nunes (2009), and Mendes (2010), the current study tests the acquisition of inalienable possessive structures in BP and English, assuming that English-speaking children start with the same grammar as BP-speaking children do. This first grammar would allow inalienable interpretation being carried by possessive pronouns as well as definite determiners introducing any kind of name ¿ body-parts names or relationship names. The experimental study consisted of two sets of tests, one of them with body-parts names under Truth Value Judgment Task and Picture Selection Task, and another one with relationship names under Truth Value Judgment Task. Both types are techniques that allow one to obtain interpretational judgments indirectly, which is indispensable when it comes to trials involving children. Confirming the literature findings, the difference between BP grammar and English grammar appeared around the age of 6;0, when English-speaking children approach the target grammar, in which the presence of the possessive pronoun is what allows the inalienable interpretation and the use of definite determiners is restricted to alienable possession constructions with body-parts names. In other hand, when relationship names are present in the structure, it was noted that they can cooccour with definite determiners even when carrying inalienable interpretation. Therefore, it indicates a difference in the status of definite determiners in such language: there are substantive definite determiners occurring with body-parts names, while there are expletive definite determiners occourring with relationship names. In BP, however, in both cases it could be the case in which there are expletive definite determiners occurring
Subject: Aquisição de linguagem
Língua portuguesa - Português brasileiro
Lingua portuguesa - Pronomes
Gramática gerativa
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mendes_Fernanda_D.pdf6.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.