Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271165
Type: TESE
Title: Os movimentos de sentidos nas adivinhas : um estudo enunciativo
Author: Marini-Iwamoto, Daniela
Advisor: Figueira, Rosa Attie, 1948-
Abstract: Resumo: Esta tese tem por objetivo analisar os movimentos de sentidos nos jogos verbais conhecidos como adivinhas ou adivinhações. A partir de um alargamento do corpus e da bibliografia iniciais utilizados em trabalho anterior (Marini, 1999, dissertação de mestrado), procuramos entender o funcionamento semântico do jogo para, a partir de então, poder corroborar com hipóteses, de caráter mais geral, sobre o funcionamento da língua e da linguagem, no que diz respeito a processos de significação. E, apesar de, neste momento, termos voltado nosso olhar para o processo da significação, não pudemos deixar de considerar também aspectos novos em relação à caracterização formal das adivinhas, que foram sendo descobertos ao longo de nossa pesquisa e que consideramos imprescindíveis também para a análise do funcionamento do jogo. Desse modo, nosso trabalho apresentar-se-á em duas partes: A parte I, através do capítulo I, tratará dessas novas descobertas que, podemos dizer, dão continuidade ao trabalho iniciado em nossa dissertação de mestrado, cujo objetivo era descrever a estrutura formal do jogo. Após a análise (e reflexão) das funções sociais que o jogo pode assumir em determinada cultura, as características formais propostas como traços definidores do gênero das adivinhas sofrerão uma reformulação. A função lúdica, proposta na dissertação de mestrado, não poderá ser mais considerada a única função do jogo. A parte II da tese procurou lançar um olhar sobre o funcionamento da significação nos jogos verbais, particularmente no caso daqueles que conhecemos por adivinhas ou adivinhações, a partir de duas descrições estruturais encontradas em estudos de etnologistas e folcloristas (Abrahams, 1968; Amaral, 1948), expostas no capítulo II. Estas descrições afirmavam traços de referencialidade e de definição no jogo, os quais nos pareceram inadequados para dar conta dos sentidos que a adivinha mobiliza. Apesar disso, essas duas propostas foram fundamentais para que pudéssemos dar início a nossa investigação, pois, através dos equívocos que lhes atribuímos ao descrever a estrutura do jogo, tivemos a oportunidade de operar com a ilusão que estava por trás desses dois pontos de vista: a de que a o jogo refletiria nada mais que um funcionamento transparente e unívoco da língua e da linguagem. A partir daí, saímos ao encalço de uma teoria que fornecesse uma explicação para tal ilusão e que nos munisse de um instrumental descritivo apto a descrever adequadamente o funcionamento do jogo, no que tange aos movimentos de sentidos. Em nosso percurso, encontram-se teorias como a Semântica do Protótipo e do Estereótipo, as quais procuram explicar fenômenos de categorização e que foram evocadas pela suposição de que as adivinhas fariam parte de um modo particular de se categorizar o mundo. Essa hipótese surge a partir de estudos que conferem um caráter de definição e de referencialidade ao jogo, e que acreditavam ser a adivinha uma descrição peculiar a partir da qual se tentaria encontrar um referente. A apresentação das Teorias do Protótipo e do Estereótipo e a análise dos dados de nosso corpus foram de extrema importância para que, a partir delas, pudéssemos rejeitar essa hipótese e procurar uma teoria que tratasse a significação nas adivinhas de uma outra maneira. No capítulo III, apresentaremos um panorama geral das Teorias da Enunciação e definiremos conceitos imprescindíveis para nossas análises como enunciação, enunciado, sujeito. A Semântica do Acontecimento, assim como seu constante diálogo com a Análise do Discurso de linha francesa, possibilitou-nos analisar as adivinhas a partir de uma perspectiva nova, na qual o jogo é considerado como um dispositivo interpretativo da língua. Ao ser apresentado à pergunta do jogo, o interlocutor desafiado a desvendar a resposta depara-se com um enunciado particular, para o qual ele fará uma tentativa de interpretação. Essa interpretação evocará um ou mais sentidos, os quais serão legitimados ou descartados a partir do enunciado da resposta, revelada pelo interlocutor desafiante. Caberá ao desafiado, então, reinterpretar a pergunta para que esta dê conta de acomodar o sentido da resposta. A esses dois movimentos da configuração de sentidos chamá-los-emos de movimentos de interpretação e reinterpretação. O capítulo IV trará essa nova contribuição, em que a significação passa necessariamente a ser vista como efeito do trabalho da memória no acontecimento enunciativo. A partir dessa abordagem, analisaremos novamente nosso corpus e observaremos como os diversos sentidos evocados pelas adivinhas são, na verdade, rememoração de enunciações já produzidas. A conclusão de nosso trabalho espera validar a hipótese de que os jogos verbais, especialmente as adivinhas, funcionam exatamente a partir da ilusão subjetiva de que há uma estabilidade inabalável no sentido das palavras, ilusão essa que também impera sobre o funcionamento da língua e da linguagem

Abstract: This thesis aims to analyze the movement of meanings in verbal games known as riddles. Throughout an enlargement of the initial corpus and bibliography used in a former study (Marini, 1999, masters dissertation), we try to understand the semantic workings of the game to confirm hypothesis, of a more general character, about the way language works, with regards to the signification process. Furthermore, in spite of our attention being directed at the signification process, we cannot avoid considering some new aspects regarding formal characterization of the riddle, which were developed in the course of our research and considered significant to the analysis of the game functioning as well. Thus this volume will be presented in two parts: Part I, chapter I, will cover these new discoveries that provide continuity to the work begun in our masters dissertation, the objective of which was to describe a formal structure of the game. After the analysis (and consideration) of the social functions that the game can adopt in a determined culture, the formal characteristics proposed as definitional traces of the riddle genre will undergo a reformulation. The entertaining function proposed in the masters dissertation can no longer be considered the only one of the game. Part II tries to look at the signification functioning in verbal games, particularly at those games we know as riddles, through two structural descriptions found in studies of ethnologists and folklorists (Abrahams, 1968; Amaral, 1948), which are presented in chapter II. These descriptions assumed traces of referenciality and definition in the game, which we thought to be inadequate to treat the meaning mobilized by the riddle. Despite that, these two proposals were extremely important so that we could begin our investigation, for, through the misunderstanding we attributed to them in describing the game structure, we had the opportunity of operating with the illusion that was behind these two points of view: the one that considered that the game reflected nothing more than a transparent and univocal functioning of the language. So we looked for a theory that would explain such an illusion and would give us the descriptive instrumental capable of describing the game functioning more accurately analyzed in relation to the movement of the meaning. Along the way we found theories such as the Semantics of the Prototype and of the Stereotype, which try to explain the categorization phenomena and which were evoked because of the assumption that riddles would work as a particular way of categorizing the world. This hypothesis arises from studies that gave a character of definition and referenciality to the game, also believing that the riddle would be a peculiar description through which we would try to accommodate a referent. The Theories of the Prototype and the Stereotype and the analysis of our data were extremely important so that we could reject this hypothesis and search for a theory which would treat the signification in riddles differently. In chapter III we present a general overview of Theories of Enunciation and we define concepts for our analysis such as enunciation, sentence and subject. Semantics of the Event, as its constant dialogue with French line of Discourse Analysis, gave us possibility of studying riddles through a new perspective, in which the game is considered an interpretative device of the language. When presented to the question of the game, the person challenged (the challenged) to find the answer comes across a particular sentence, which he will try to interpret. This interpretation will evoke one or more meanings, which will be legitimated or dismissed through the revelation of the the answer by the person who proposed the game (the challenger). The challenged has to reinterpret the question so that it can suit the meaning of the answer. These two movements of configuration of meaning we call movements of interpretation and reinterpretation. Chapter IV brings this new contribution, in which the signification turns out to be necessarily seen as the effect of the work of the memory in the enunciative occurrence. According to this view, we analyze our corpus once more and observe how different meanings evoked by riddles are, in fact, the remembrance of produced enunciations. The Conclusion validates the hypothesis that verbal games, especially riddles, work exactly through a subjective illusion, in which there is an immovable stability in the sense of words, illusion that also governs the workings of language
Subject: Adivinhações
Linguística
Semântica
Significação (Filosofia)
Estrutura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Marini-Iwamoto_Daniela_D.pdf502.27 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.