Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271106
Type: TESE
Title: De um discurso que não fosse ideologia = contribuições para uma teoria lacaniana da ideologia
Title Alternative: On a discourse that might not be ideology : notes for a lacanian theory of ideology
Author: Barichello, Luigi, 1979-
Advisor: Leite, Nina Virginia de Araújo, 1950-
Abstract: Resumo: Este trabalho tem por objetivo observar a relação entre discurso e ideologia a partir da possibilidade de leitura e desnaturalização do axioma que assevera que "todo discurso é ideológico". A existência de tal axioma reafirma a coextensão da ideologia a todas as esferas do cotidiano, até mesmo à possibilidade de negação do referido axioma (a qual, em si, já seria portanto igualmente ideológica). Tal consideração e escopo podem vir a suscitar a crença de que já que lidamos apenas com ficções simbólicas e nunca com a "realidade ela mesma", poderíamos abrir mão, assim, da própria crítica da ideologia. Essa afirmação totalizante é então interpelada nesse trabalho como forma de se atualizar a pertinência e alcance da leitura e crítica da ideologia, propondo-se uma análise atravessada pela psicanálise de orientação lacaniana, tendo por objetivo sublinhar a importância e validade daquilo que "falha" na articulação significante. E, ousamos dizer, na própria interpelação ideológica. Ao registro da ideologia, então, é aproximada a noção de fantasia oriunda da teoria psicanalítica, cuja possibilidade de vínculo fora proposta pelo filósofo esloveno Slavoj ¿i¿ek. Por vislumbrar o [des]encontro do efeito e produto da cadeia significante - respectivamente o sujeito e o objeto - o matema da fantasia se mostra frutífero em uma leitura da ideologia que tencione fazer comparecer à teorização não apenas o jogo significante, mas aquilo que nele é convocado e produzido. A inclusão do sujeito e do objeto abre então uma via profícua para a entrada da teoria dos discursos forjada por Jacques Lacan, uma vez que, em sua estruturação, estão postos, justamente, a articulação da cadeia significante, o sujeito e o objeto. A tomada do discurso convoca, por sua vez, a pertinência do gozo, o qual origina e também é visado pela movimentação discursiva, e cuja impossibilidade de acesso ao falante não é sem conseqüências, trazendo à cena a relação entre saber e verdade. E é na consideração de tais registros, pois, que residiria a pertinência de uma leitura da ideologia calcada não apenas na articulação da cadeia significante, mas naquilo que nela falha. Desse modo, entrevemos um passo a mais na crítica da ideologia, resgatando a possibilidade de "furo" no ideológico. E articulando, assim, uma possível contribuição para uma teoria lacaniana da ideologia

Abstract: This thesis aims to observe the relationship between discourse and ideology from the possibility of reading and questioning the axiom which holds that "all discourse is ideological". The existence of such axiom reaffirms the extension of ideology to all spheres of everyday life, even to the possibility of denying that axiom (which, in itself, would be equally ideological therefore). Such consideration and scope are likely to raise the belief that since we deal only with symbolic fictions and never with "reality itself," we could then give up of the critique of ideology itself. This totalizing claim is then challenged in this thesis as a way to update the relevance and scope of reading and critique of ideology, proposing an analysis considering the orientation of lacanian psychoanalysis in order to defend the importance and validity of what "fails" in the signifier articulation. And, dare we say, in the ideological interpellation itself. To ideology, then, is approximated the notion of fantasy originated in psychoanalytic theory, whose bond was proposed by Slovenian philosopher Slavoj ¿i¿ek. Glimpsing the [mis]match between the effect and product of the signifying chain - respectively the subject and object - the mathema of fantasy presents itself as a useful way on a reading of the ideology that intends to consider not only the significant chain, but also what is mustered and produced in it. The inclusion of the subject and the object then opens a fruitful path to the entrance of the discourse theory forged by Jacques Lacan, considering that in its structure are set precisely the articulation of the signifying chain, the subject and the object. The consideration of discourse, in turn, calls the relevance of enjoyment, which originates and is also addressed by the discursive movement, and whose inability to access for the speaker is not without consequences, bringing to scene, according to lacanian theory, the relationship between knowledge and truth. Therefore, it is in the consideration of such concepts that would lie the relevance of a reading of ideology grounded not only in the articulation of the signifying chain, but also in what fails in it. This way, we aim to provide a step further on the critique of ideology, recalling the importance of the "gaps" and the possibility of "punctures" in the ideological. Articulating thus a possible contribution to a lacanian theory of ideology
Subject: Zizek, Slavoj, 1949-
Discurso
Ideologia
Fantasia
Inconsciente
Psicanálise lacaniana
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Barichello_Luigi_D.pdf2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.