Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271105
Type: TESE
Title: O estatuto da palavra na estruturação do sujeito
Title Alternative: The status of the word in the structuring of the subject
Author: Bonança, Rita de Cássia Segantini, 1956-
Advisor: Leite, Nina Virginia de Araújo, 1950-
Abstract: Resumo: Uma pergunta advém ao analista no exercício mesmo de sua práxis ao se deparar, em sua escuta, com uma palavra que escapa da fala do paciente. Uma palavra que tem o poder de velar e desvelar o sujeito que ali está confrontado com uma questão e diante da impossibilidade de fazer algo com isso. A construção de um saber sobre o estatuto da palavra na estruturação do sujeito que compreende sua concepção, nascimento e constituição subjetiva, está atrelada à sua condição de ser falante. A potência e a eficácia da palavra na transmissão da tradição cultural através das gerações possibilitam um dizer sobre o sujeito, sua história e a verdade de sua origem. As leis que regem seus pensamentos e afetos estão submetidas às palavras que o falaram desde sempre no desejo inconsciente de seus pais. Esse saber constituído possibilita ao analista um manejo da escuta que ele opera na transferência em análise. Os estudos linguísticos e psicanalíticos possibilitaram um recorte na investigação sobre a palavra. Porém, não fora da sua condição de funcionamento, ou seja, a partir de uma língua - a materna e, pela fala que só se estabelece dentro do campo da linguagem. Essa constatação esclarece que o poder da palavra não está naquilo que ela comunica pelo seu enunciado, mas pelo efeito significante no sujeito por sua enunciação. O fato de não existir sujeito fora do campo da linguagem é que estabelece o vínculo e determina o estatuto da palavra que opera na sua estruturação. O percurso teórico que deu consistência a essa pesquisa nos permite algumas considerações. Primeiro que uma palavra, mesmo que proferida na língua materna no exercício da fala dentro do campo da linguagem na sua intenção de transmitir uma verdade, é sempre um lance ao acaso. Segundo que jamais podemos prever os seus efeitos. E por fim, que a única possibilidade é, pela palavra num ato de fala, desdobrá-los no só - depois

Abstract: A question comes to the analyst's mind in her clinical work when she hears a word spring out of the patient's speech. A single word has the power to veil or unveil the subject that is there facing a question and without being able to do anything about it. The construction of knowledge regarding the status of the word in the structuring of the subject, including her conception, birth and subjective constitution, is related to her condition as a speaking being. The strength and effectiveness of the word in transmitting cultural tradition from one generation to the next allows something to be said about the subject, her history and the truth of her origins. The laws that govern her thoughts and affects are subordinated to the words that have spoken this subject ever since she was in her parents' unconscious desire. This constituted knowledge enables the analyst to listen in the transference in analysis. Studies in linguistics and psychoanalysis have provided a perspective for studying the word, but not outside its manner of functioning. In other words, words operate on the basis of a language, namely the mother tongue, and through speech that can only come to be in the field of language. This perception means that the power of the word is not in what it communicates through its statements, but through the signifying effect in the subject by stating it. The fact that no subject exists outside the field of language establishes the bond and determines the status of the word that operates in the structuring word. The theoretical history on which this study is based allows for three important considerations. First, even if a word is spoken in the mother tongue in the exercise of speech in the field of language, and has the intention to convey the idea of a truth, it nevertheless always depends on chance. Secondly, we can never foresee the effect a word will have. Finally, the only possibility is to evaluate its effects post-factum
Subject: Palavra (Linguística)
Sujeito (Psicanálise)
Linguagem - Origem
Inconsciente
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bonanca_RitadeCassiaSegantini_M.pdf555.43 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.