Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271092
Type: TESE DIGITAL
Title: Fotografia e quadrinhos : imagem complexa, construções híbridas e jornalismo em O Fotógrafo
Title Alternative: Photography and comics : complex image, hybrid structure and the journalism in O Fotógrafo
Author: Moura, Andréia Guimarães, 1984-
Advisor: Bodstein, Celso Luiz Figueiredo
Abstract: Resumo: Em 1986, o fotógrafo francês Didier Lefèvre viajou ao Paquistão para se unir a uma missão da ONG Médicos Sem Fronteiras, a MSF. O objetivo da viagem era fotografar (para registro e divulgação jornalística) a atuação da ONG no Afeganistão (país vizinho) junto a comunidades carentes. Quando voltou à França, com mais de 4 mil fotografias na mala, teve eu trabalho recusado pelos periódicos. Passados treze anos, por incentivo de um amigo, o cartunista Emmanuel Guibert, ele decide transformar o conteúdo recolhido em uma reportagem de fôlego. Surge, assim, a coleção de 3 volumes O Fotógrafo. O trabalho impressiona, principalmente pela forma como foi construído. Há uma ênfase na linguagem imagética e é proposto um diálogo entre fotografias e quadrinhos na composição da reportagem. Um hibridismo único. Esta linguagem alternativa, uma mescla de recursos, oferece novas nuances sensoriais, cria nova plataforma, em que a informação parece seduzir de forma peculiar ao leitor. O tema da sedução da audiência tem sido foco de diversos estudos nos últimos anos. A pós-modernidade modificou a maneira como as pessoas interagem com a informação, como gerenciam dados, como os recebem e aceitam. O que queremos ver, ler ou ouvir? E mais, realmente queremos apenas ver? O trabalho de Lefèvre leva a novos patamares de reflexão a respeito do papel da imagem na pós-modernidade. Longe de ser vista como elemento superficializador e alienante (posição de pesquisadores como Guy Debord), seria possível enxergá-la como gerenciadora de conhecimentos mais rica (até) que o texto. Linguagem que se reveste de complexidades e conduz a profundas abstrações. Uma imagem complexa, tal qual propõe Josep Català. O Fotógrafo responde às necessidades da audiência pós-moderna? Como se enquadra nos novos formatos jornalísticos? É jornalismo contemporâneo, no sentido de tocar a audiência? Este estudo, também permeado de impressões e sensações desta pesquisadora, se sustenta em conceitos amplamente explorados por outros pensadores (que trabalharam imagem e pós-modenidade) e na descoberta de atravessamentos possíveis nestes universos. Principalmente nestas descobertas

Abstract: In 1986 the French photographer Didier Lefèvre travelled to Pakistan in order to join a mission of the Médicos sem fronteiras (MSF). The purpose of the trip was to photograph (for journalistic recording and disclosure) the work of the MSF in Afghanistan by the needy communities. When he returned to France, with more than four thousand photos in his suitcase, he had his pictures rejected by journals. Thirteen years later, encouraged by his friend, the cartoonist Emmanuel Guibert, he decides to transform the collected content in a great report. And so, there is the collection of three volumes O Fotógrafo. The work impresses by the way it was built. Emphasis is placed on imagetic language and a dialogue between photography and comics is proposed in the composition of the report. A single hybridism. This alternative language, a mix of resources, offers new sensorial nuances, creates a new platform where information seems to seduce the reader in a particular way. The seduction of the audience has been focus of several studies in the last few years. Post modernity has changed the way people interact with information, how they manage data; the way they receive and accept it. What do we want to see, read or hear? Plus, do we really want just to see? The work of Lefèvre leads to new levels of reflection about the role of image in post modernity. Far from been seen as an element that alienates and superficializes (position of researchers as Guy Debord), it could be seen as manager of (even) richer knowledge than text. Language covered with a complexity that leads to deeper abstractions. A complex image as Joseph Català proposes. Does O Fotógrafo meet the needs of postmodern society audience? How does it fit in the new journalist formats? Is it contemporary journalism in the sense of touching the audience? This study, also pervaded by impressions and sensations of this researcher, is based on concepts widely explored by other thinkers (who worked the relation between image and postmodernity) and on discovery of possible crossings in these universes. Mainly on these findings
Subject: Lefèvre, Didier, 1957-. O fotógrafo
Guibert, Emmanuel, 1964-. O fotógrafo
Fotojornalismo
Hibridismo
Histórias em quadrinhos
Pós-modernismo
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Moura_AndreiaGuimaraes_M.pdf15.9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.