Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271078
Type: TESE
Title: Da aldeia para a cidade : processos de identificação/subjetivação do índio Xavante na cidade de Barra do Garças/MT, alteridade irredutível?
Title Alternative: The village to city : identification processes / subjectivity of Xavante Indian city of Barra do Garças
Author: Borges, Agueda Aparecida da Cruz, 1957-
Advisor: Zoppi-Fontana, Mónica, 1961-
Zoppi-Fontana, Monica Graciela
Abstract: Resumo: Esta pesquisa é resultante dos estudos que desenvolvi desde o projeto "Arte, discurso e prática pedagógica", CNPq/2003, sobre presença/frequência indígena Xavante no espaço da cidade de Barra das Garças - MT, tomada como objeto exemplar de alocação de sentidos da discursividade que faz funcionar a contradição constitutiva, que a cidade funda, materializando o modo de ocupação negada. Assim, no batimento conformado no processo discursivo, que é o procedimento metodológico exigido pela Análise de Discurso de base materialista, na qual me fundamentei, busquei compreender como se subjetiva esse sujeito que está/frequenta a cidade, mas que no discurso deveria permanecer na aldeia, voltar a ser o que era ou, até mesmo, morrer. Tratar essa questão discursivamente é dar visibilidade para a produção da ilusão de objetividade e evidência de uma realidade, de um referente, como se um sentido já estivesse lá: como se o lugar ocupado pelas pelos indígenas nas ruas, calçadas de Barra do Garças, significassem, a priori. Os materiais heterogêneos que compõem o "corpus" mostram a dificuldade que o discurso do urbano tem em lidar com aquele que ocupa o espaço planejado para outra finalidade, não enxergando a rua como um lugar de transbordamento do social, que reflete e faz funcionar a ordem própria da cidade. Esse é mais um modo de disfarçar os sentidos que produzem e reafirmam a explosão do social no espaço urbano. Constatei que esse lugar os interpela a subjetivar-se, a significar-se e produzir sentidos; mesmo pertencendo à unidade positiva do direito (todos são iguais perante a lei), o sujeito, quando colocado em relação a ela, identifica-se com o que está fora dela, como aquele que pertence/não pertence ou é um PROBLEMA, uma QUESTÃO a ser resolvido (a). Analisamos, por exemplo, que o preconceito não atinge a memória indígena e que mesmo interpelados pela formação social capitalista, os Xavante concorrem com a formação social indígena, se inscrevendo entre uma e outra formação discursiva no terreno movediço do ir e vir da aldeia para a cidade. Ao final da pesquisa esperamos que os fenômenos marcados discursivamente, possam servir para o debate em torno do papel das instituições superiores sobre a responsabilidade na elaboração, por exemplo, de políticas educacionais que contemplem o caráter contraditório do sujeito, que, marcado pela incompletude, anseia pelo desejo de ser inteiro uno

Abstract: This research is the result of the studies that I developed since the project "Arte, discurso e prática pedagógica" CNPq/2003 about presence/frequency of Xavante Indian at the space of the city Barra do Garças-MT, taken as exemplary object for allocation senses of the discourse that operates the constitutive contradiction, founded by the city, materializing the way of denied occupation. Thus, in the beat shaped in discursive process, which is the methodological procedure required by Discourse Analysis with materialist basis, in which I found, I tried to understand how subjectively is the subject which is/frequents the city, but in the discourse should remain in the village, back to what it was or even die. Addressing this issue discursively is to give visibility to the production of the illusion of objectivity and evidence of a reality, of a referent, as if a meaning were already there: as if the place occupied by the indigenous people at streets and sidewalks of Barra do Garças, meant, a priori. The heterogeneous materials that compose the "corpus" show the difficulty which the urban's discourse has to deal with the one which occupies the space intended for another purpose, not seeing the street as a place of social overflow, which reflects and makes it work the order which is proper of the city. This is another way to mask the meanings that produce and reaffirm the explosion of the social in urban space. I found that this place challenges them to subjectify, to mean and produce meanings; even belonging to the unity positive law (everybody is equal before the law), the subject, when placed in relation to it, identifies with what is outside it, as one who belongs/does not belong or is a PROBLEM, a QUESTION to be solved. We analyze, for example, that the prejudice does not reach the indigenous memory and that even challenged by the capitalist social formation, the Xavante compete with indigenous social formation, inscribing between one and another discursive formation on shaky ground of the come and go from the village to the city. At the end of the research we expect that the phenomena discursively marked, can serve for the debate about the role of institutions of higher responsibility on the preparation, for example, educational policies that address the contradictory nature of the subject, which, marked by incompleteness, longs the desire to be whole, one
Subject: Análise do discurso
Ideologia
Espaço urbano
Índios Xavante
Barra do Garças (MT)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Borges_AguedaAparecidadaCruz_D.pdf3.44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.