Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270970
Type: TESE
Title: A coda consonantal em Maxakalí
Title Alternative: Consonantal coda in Maxakalí
Author: Silva, Mário André Coelho da, 1989-
Advisor: Sândalo, Maria Filomena Spatti, 1965-
Abstract: Resumo: Esta dissertação traz dados acústicos, estatísticos, sociolinguísticos e fonológicos sobre o fenômeno da pré-vocalização em Maxakalí, coletados a partir de experimentos controlados. Apesar de ser fenômeno comum nas línguas do mundo, a pré-vocalização de consoantes ocorre com praticamente todos os sons dessa classe na língua ora estudada, tornando possível uma análise fonológica das semelhanças entre essa categoria e a classe das vogais. Dentro da fala de um mesmo falante, é possível encontrar desde uma realização consonantal "pura" até uma completamente vocalizada. Acusticamente, comprovamos previsões teóricas de outros pesquisadores, como a de que consoantes de transição nessa língua são compostas somente por glides (Wetzels e Sluyters, 1995). Já estatisticamente, mostramos que a posição da coda dentro da palavra e a posição desta dentro da sentença são fatores que favorecem a lenição de consoantes. Além disso, o ponto de articulação é um fator condicionador desse fenômeno, alinhando sons dentais e palatais por um lado e labiais e velares por outro. Em nossa análise, demonstramos que um traço [coronal] não é suficiente para explicar essa categorização no Maxakalí, sendo que o traço acústico [grave] parece ser mais adequado para essa classificação (Jakobson, Fant e Halle, 1952). Usando uma teoria articulatória, baseada na análise de Operstein (2010), conseguimos explorar as relações entre uma fonologia acústica e articulatória. Outro fator que explica essa variação possui caráter extra-linguístico e está relacionado com a idade dos falantes. Listas de palavras feitas por viajantes do século XIX (Martius, 1867) dão indícios de que este fenômeno já operava no Maxakalí, ainda que de maneira mais restrita em comparação aos dias de hoje. No tempo aparente, falantes mais velhos são mais conservadores no que diz respeito à lenição e os dados deste trabalho em conjunto com as listas do século XIX podem ser um indicativo de mudança linguística em andamento. Portanto, através de uma metodologia experimental, hoje ainda pouco utilizada em estudos de línguas indígenas no Brasil, conseguimos analisar mais a fundo a pré-vocalização no Maxakalí, trazendo uma apreciação da lenição de consoantes a partir do ponto de vista de diversas disciplinas da linguística

Abstract: This work provides acoustic, statistical, sociolinguistic and phonological data collected experimentally in order to study the phenomenon of prevocalization in Maxakalí. Even though this is a common phenomenon in the world¿s languages, in Maxakalí, consonant prevocalization occurs in virtually all sounds of this class in this language, enabling a phonological analysis of the similarities between this category and the class of vowels. In the speech of a given individual, it is possible to find variation from a "pure" consonantal realization up to a completely vocalized one. Acoustically, we have provided evidence bearing out the theoretical predictions of other research, such as the fact that consonantal transitions in this language are composed just by glides (Wetzels and Sluyters, 1995). Statistically, we have shown that the coda position inside the word and word position inside the sentence are factors which favor consonant lenition. Moreover, place of articulation is a conditioning factor of this phenomenon, aligning dental and palatal consonants on one hand and labial and velar ones on the other. In our analysis, we have demonstrated that a [coronal] feature is not sufficient to explain this categorization in Maxakalí, and that the acoustic feature [grave] is more appropriate for this classification (Jakobson, Fant and Halle, 1952). Using a gestural theory, based on Operstein¿s (2010) analysis, we have explored the relations between an acoustic and an articulatory phonology. Another factor which explains this variation has an extralinguistic characteristic, and is related to the speakers¿ age. Word lists made by 19th century explorers (Martius, 1867) provide evidence that this phenomenon was already in operation in Maxakalí, though in a more restricted manner than today. In apparent time, older speakers are more conservative with regards to lenition and this data, together with the 19th century lists, may be an indicative of linguistic change in progress. Therefore, using an experimental methodology, still underused in indigenous language studies in Brazil, we have been successful in more deeply analyzing prevocalization in Maxakalí, enabling an appreciation of consonant lenition from the point of view of several disciplines of linguistics
Subject: Língua maxakali - Fonologia
Língua maxakali - Consoantes
Língua maxakali - Voz
Sociolinguística
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_MarioAndreCoelhoda_M.pdf3.26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.