Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270855
Type: TESE
Title: Brahma Kumaris : a construção performativa de identidades de genero
Title Alternative: Brahma Kumaris: the performative construction of gender identites
Author: Silva, Daniel do Nascimento e
Advisor: Rajagopalan, Kanavillil, 1945-
Abstract: Resumo: A presente dissertação investiga as reivindicações de gênero em práticas discursivas da escola de meditação Brahma Kumaris. Parto do princípio de que os conceitos centrais sobre os quais o presente trabalho se debruça, isto é, 'gênero' e 'identidade', ao invés de constativos, são performativos. Sua existência não se dá anteriormente à linguagem; ao contrário, eles precisam ser performativamente reivindicados, iteravelmente, isto é, para o outro e novamente, na história de sua própria exibição Procedo, nesse sentido, a uma certa leitura da teoria dos atos de fala, desenvolvida inicialmente por John Langshaw Austin. A visão radical do performativo, segundo a qual a linguagem é, eminentemente, performativa é aqui informada pelo trabalho de leitura e intervenção no pensamento de Austin empreendido por Kanavillil Rajagopalan, Jacques Derrida, Judith Butler e Shoshana Felman. Abordo os dados segundo uma metodologia qualitativa, que vê na performatividade da linguagem indícios para o próprio tratamento do dado. As análises revelam que a reivindicação das identidades de gênero brahmins, calcada na visão de que somos almas e não corpos, constrói, performativamente, gêneros descorporificados (como é o caso da alma, do ser de paz, do anjo), criando, simultaneamente, alteridades abjetas (as pessoas luxuriosas, por exemplo), contra as quais as identidade brahmins reivindicam sua autonomia. A reivindicação de tais identidades tem de conviver, não obstante, com a contradição, advinda, principalmente, do peso da promessa de um gênero (puro) precisa lidar com sua condição humana, demasiado humana vinculada ao corpo e ao inconsciente, ao ato (ao mesmo tempo) de fala e falho

Abstract: This dissertation investigates the construction of gender identities in discursive practices within the Brahma Kumaris World Spiritual University. It is assumed here that the core concepts of this work, i.e., 'gender' and 'identity', far beyond constative, are performative. They neither exist before neither beyond language; rather, they must be performatively claimed, iterably, i.e., to the other and again, in the history of their own exhibition. I depart, then, from a particular reading of speech acts theory, developed initially by John Langshaw Austin. The radical view of the performative, according to which language is, eminently, performative, is based on the reading and intervention in Austin's thought by Kanavillil Rajagopalan, Jacques Derrida, Judith Butler and Shoshana Felman. The collected data are analyzed from a qualitative perspective, which consider that the performativity of language is a parameter itself to the treatment of texts. The analyses display that the claim for brahmin gender identities, based on the idea that we are souls rather than bodies, performs disembodied genders (e.g., the soul, the being of light, the angel), producing, simultaneously, abject alterities (the lustful persons, for example), against which brahmin identities constitute their autonomy. The claim for such identities, though, has to deal with the contradiction caused, mainly, by the burden of the promise of a (pure) gender together with its human, excessively human condition bounded to the body and the unconscious, to the speech act and the slip of the tongue
Subject: Identidade
Gênero
Brahma Kumaris
Pragmática
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_DanieldoNascimentoe_M.pdf3.94 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.