Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270846
Type: TESE
Title: Descendo a toca do coelho : linguagem, etica e a questão da verdade
Title Alternative: Down the rabbit hole : language, ethics and the question of truth
Author: Rodrigues, Elenita Gonçalves
Advisor: Rajagopalan, Kanavillil, 1945-
Abstract: Resumo: A questão da constituição do sujeito é inelutável não só na lingüística, mas nas ciências humanas de forma geral. Esta tese, a fim de nos fornecer elementos para repensar o próprio papel da ciência e do intelectual na nova configuração de saberes que enfrentamos no último século, se propõe a discutir, retomando a discussão realizada por Bakhtin em Para uma filosofia do ato, a ética e a questão da verdade, realizando percursos e diálogos vários, sob perspectivas e prismas diversos. Nos primeiros capítulos é discutida a questão da verdade. No Capítulo 1, inicia-se a narrativa de nosso percurso, dos primeiros textos, questionamentos e contatos, que levaram à delimitação de nosso objeto de estudo desta - e apenas desta - maneira. No Capítulo 2, são discutidas as mudanças de paradigma advindas dos estudos na área da física, à luz das contribuições de intelectuais como Edgar Morin, Boaventura de Sousa Santos e Ilya Prigogine, e suas possíveis implicações para a teoria do conhecimento. No Capítulo 3, a própria existência de uma realidade única e indubitável é questionada, abrindo espaço para objeções às teorias de linguagem como representação da realidade e de verdade como correspondência. Neste contexto, como é mostrado, perdem lugar uma ciência de universais e um sujeito de ontologias essenciais, que passa a ser duramente criticado, bem como perde também espaço a existência da própria realidade como a conhecemos. No Capítulo 4, nos aproximamos do texto Para uma Filosofia do Ato (Bakhtin, 1993 [1919-1921]) e são rediscutidas, à luz da reflexão conduzida nos capítulos anteriores, as concepções bakhtinianas de Istina e Pravda e suas implicações e contribuições para uma discussão ética profunda e para um debate mais amplo no campo da filosofia da ciência e da teoria do conhecimento. A partir dessa perspectiva, no Capítulo 5, o escopo da discussão recai sobre ¿i¿ek e Lacan pelos caminhos da ética do real e da psicanálise. A discussão central se dá em torno dos estudos que reivindicam uma autonomia incondicional do sujeito, uma aceitação de que, como seres humanos, somos responsáveis, em última análise, por nossos atos e nosso ser-no-mundo. Na parte final do trabalho, a perspectiva bakhtiniana conforme discutida neste texto é revista à luz da biologia do amor (Maturana, 1998), já que a primeira apresenta as condições e exigências para o exercício do diálogo e a segunda explicita a importância de nos colocarmos sob a regência do princípio do amor se efetivamente desejamos dialogar. É proposta assim uma discussão que pode trazer contribuições para a construção de uma sociedade que possa ser efetivamente chamada democrática, uma vez que o amor implica descentramento, abertura ao outro, ou, nas palavras de Edgar Morin, "não consiste apenas em projetar a nossa verdade sobre o outro" ou percebê-lo exclusivamente segundo nossos olhos, mas consiste sim em nos deixar "contaminar" pela sua verdade (Morin, 2008)

Abstract: The question of the subject constitution is inescapable not only for the linguistics, but also in general human sciences. This thesis, for the purpose of supplying elements for the rethought of the own roll of the science and of the intellectual in the new configuration of knowledge faced in the last century, wants to discuss, bringing back the discussion made by Bakthin in Toward a Philosophy of the Act, the ethics and the question of the truth, performing paths and various dialogues, under several perspectives and points of view. In the first chapters the question of the truth is discussed. In Chapter 1, the narrative of our path, of the first texts, questionings and contacts are initiated, which lead to the object of study delimitation in that - and only in that - way. In the second chapter, the paradigm changes which come from studies in the physics field are discussed, enlightened by contributions of intellectuals such as Edgar Morin, Boaventura de Sousa Santos and Ilya Prigogine, and its possible implications to the theory of knowledge. In the third chapter, the own existence of a single and indubitable reality is questioned, opening the way to objections to the language theories as representations of the reality and the truth as correspondence. In this context, as shown, a science of universals and a essential ontologisms subject lose place, thereafter being severely criticized, and the existence of the own reality as we know it loses place in the same way. In the fourth Chapter, we come closer to the text Toward a Philosophy of the Act (Bakhtin, 1993 [1919-1921]) and discuss, enlightened by the reflection of the previous chapters, the bakhtinians conceptions of Istina and Pravda and their implications and contributions for a deep ethic discussion and for a broader debate in the fields of the Philosophy of science and the Theory of Knowledge. From that perspective, in Chapter 5, the purpose of the discussion is referred again to ¿i¿ek and Lacan through the paths of real ethics and psychoanalysis. The main discussion is about the studies which claim an unconditional autonomy of the subject, an acceptation that, as human beings, we are responsible, in a last analysis, for our acts and our being-inthe-world. In the final part of the project, the bakhtinian perspective, as disscussed in this text, is revised enlighted by the biology of the love (Maturana, 1998), since the first one presents the conditions and the demands for the dialogue exercise and the second one makes explicit the importance of being put under the regency of the principle of love if we want to dialogue effectively. Therefore a discussion is proposed so that it allows contributions to the construction of a society which can be called effectively democratic, as love implies decentralization, the opening to others, or, in the words of Edgar Morin, "it does not consist only of projecting our truth to others" or perceive it exclusively according to our eyes, but it consists of letting us being "contaminated" by its truth" (Morin,1998)
Subject: Linguagem
Ética
Verdade
Ato (Filosofia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rodrigues_ElenitaGoncalves_D.pdf18.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.