Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270739
Type: TESE
Title: Mecanismos de indeterminação do agente : o fenomeno de apassivação na aquisição da linguagem
Author: Perotino, Silvana
Advisor: Scarpa, Ester Mirian, 1947-
Scarpa, Ester M.
Abstract: Resumo: Baseado em dados de aquisição do português do Brasil, este estudo mostra que a criança usa diferentes recursos na expressão da indeterminação do agente. Nos dados linguísticos de uma criança, no período de três aos cinco anos de idade, aparece um número reduzido de passivas perifrásticas, podendo ser caracterízadas como fórmulas padronizadas/cristalizadas ("foi feito") da língua. Verificamos que a função de indeterminação do agente está sendo preenchida por construções alternativas como as ergativas, as perífTases verbais com a forma "estar + [V+ _do]" e as construções de tópico. Nas ergativas, as estruturas do tipo V+N, com o N pós-verbal correspondendo ao objeto afetado pela mudança de estado ou lugar, perfazem a quase totalidade das ocorrências. Com relação à segunda estrutura, a criança a usa geralmente nos contextos em que se marca o Aspecto imperfectivo resultativo do fato verbal referido. Ao empregar a construção de tópico, a criança destaca um outro N, que não o agente na posição inicial da sentença. Observamos que as construções sintáticas com a função de indeterrninar o agente também estão presentes na fala de seu interlocutor adulto. As poucas ocorrências de passivas perifTásticas encontradas na _ala do adulto vêm reforçar a idéia de que estas estruturas são mais representativas da modalidade escrita que da oralidade. É a profusão dos recursos de indeterminação do agente encontradas na produção linguística dessa criança que nos leva a questionar a hipótese de mapeamento cognitivo de estruturas linguíticas, ou seja, a que postula a noção de reversibilidade de pensamento (referida por Sinclair, 1973), no caso, como fundamental na produção da passiva. Os dados mostram que as soluções linguísticas encontradas pela criança para indeterminar o agente as diversas manifestações do fenômeno da apassivação - surgem nas situações dialógicas adulto-criança em que o agente responsável pela mudança ocorrida, muitas vezes a própria criança, não está mencionado. Neste sentido, poderíamos dizer que há situações de interlocução específicas (envolvendo a noção de agentividade) que estão contribuindo para a reorganização do sub-sistema linguístico da apassivação na fala da criança

Abstract: Based on Brazilian Portuguese acquisition data, this study shows children using different resources of expression of agent indetennination. In a age-span ranging ITom 3 to 5 years old, there is a reduced number of periphrastic passive constructions ("foi feito") which can be characterized as standardized/crystallized formulae. The function ofthe agent indetennination is being fulfilled by altemative construction such as ergatives, verbal periphrasis with "estar +[ V + _do]" form and topic construction. In ergatives, V+N type structures, with N corresponding to the affected object through the change of state or place, make up most of occurences. In relation to the second structure, the child uses it in contexts in which the resultative imperfective Aspect of the referred verbal fact is marked. Using a topic construction, the child stands out another N, which is not the agent in initial position of the sentence. The syntactic constructions with agent indetennination are also current in the adult interlocutor. The few occurrences of perphrastic passive phrases found in the adult speech reinforce the idea that these structures are more representative of the written modality than the oral one. The profusion of agent indetermination resources found in this child's speech questions the hypothesis of cognitive mapping that postules the notion of thought reversibility (according to Sinclair, 1973). The data show that the linguistic solutions found by the child to indetennine the agent/subject appear in the adult-child dialogical situations in which the agent responsible for the occured change (many times the child itself), is not mentioned. In this way, we could say that are specific interlocution situations (including the notidn of agentivity) which contribute to passive linguistic subsystem reorganization in the child's speech
Subject: Aquisição de linguagem
Crianças - Linguagem
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1995
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Perotino_Silvana_M.pdf15.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.