Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270713
Type: TESE
Title: O discurso da estilistica na historia da produção gramatical e na constituição da lingua nacional
Title Alternative: The discourse of the stylistic in the history of grammatical production and in the constitution of the national language
Author: Fragoso, Élcio Aloisio
Advisor: Orlandi, Eni Puccinelli, 1942-
Orlandi, Eni de Lourdes Pulcinelli
Abstract: Resumo: Filiando-nos ao quadro teórico da Análise de Discurso de linha francesa, nossa pesquisa constitui-se em um material em que se encontra de um lado, uma análise do discurso da estilística (sobre o estilo) na produção gramatical do final do século XIX, em relação ao processo de constituição da língua nacional e de outro, uma análise da estilística em relação aos estudos da língua portuguesa, no século XX. Partindo do discurso da estilística (sobre o estilo) na produção gramatical do final do século XIX, procuramos principalmente descrever dois processos diferentes, relativamente à constituição da língua nacional. O primeiro, refere-se ao discurso da estilística (sobre o estilo) enquanto um efeito de sentido que vai nos individualizar em relação à nossa língua. O segundo, trata-se de compreender o discurso da estilística (sobre o estilo) em relação à constituição de uma estilística da língua nacional (um campo de saber sobre a língua), isto é, buscamos descrever a estilística em relação a uma estilística da nossa língua. Como veremos esta estilística é definida enquanto algo individual. Desse modo, as alterações na sintaxe regular são remetidas à ênfase dada pelo indivíduo para reforçar o pensamento. Essa é a estilística que vai se configurar em nossas gramáticas. No caso, esta estilística é o modo que a gramática encontra de anular o que não estaria em sintonia com o seu discurso lógico, garantindo assim a sua hegemonia. Dessa forma, essas alterações dizem respeito ao estilo e não à língua, ao pensamento racional, à gramática. Estas alterações aparecem ¿domesticadas¿ pela noção de estilo. O estilo torna-se necessário para evitar que se visualize que a lógica gramatical não é uma ¿verdade absoluta¿. A gramática delimita o estilo para compreender a língua. Por outro lado, este discurso sobre o estilo nessas gramáticas constitui-se em um esboço de um estudo do modo singular de falar e escrever a língua no Brasil. No entanto, é o discurso tradicional sobre o estilo que vemos se sobressair nessas gramáticas e que constituirá a referência para o desenvolvimento de um estudo (e do ensino) estilístico no Brasil. As gramáticas vão trabalhar com esta concepção tradicional de estilo. Ou seja, é esta concepção de estilo que vem ¿sobrevivendo¿ aos tempos pela tradição gramatical. Nessa direção, o ensino do estilo ¿combina¿ com o ensino da gramática. Mostraremos também outros estudos estilísticos realizados no Brasil que vêm de outras filiações (que não pela gramática tradicional). Ou seja, partindo do final do século XIX, em que procuramos descrever a relação entre o discurso da estilística e a gramática, no processo histórico de constituição da língua nacional, nosso trabalho seguiu em frente com a análise de algumas obras sobre estilística, no Brasil, no século XX, visando observar o desdobramento desta relação (entre o discurso da estilística e a gramática), apontando para uma independentização da estilística. E, para finalizar, queremos dizer que o discurso da estilística na produção gramatical do final do século XIX, mobilizava as figuras de sintaxe para realçar a materialidade lingüístico-histórica da língua nacional. Em outras palavras, o discurso da estilística de que estamos falando era fundamentalmente figuras de sintaxe. Portanto, procuramos caracterizar o discurso sobre o estilo nessas gramáticas. Que discurso é este, de que ele fala? Como veremos, ele vai mobilizar as figuras de sintaxe para o seu domínio

Abstract: Starting from the theoretical perspective of the French School of Discourse Analysis, this research is constituted in a material that it is on a side, an analysis of the discourse of the stylistic (about the style) in the grammatical production of the end of the 19th century, in relation to the process of constitution of the national language and other, an analysis of the stylistic in relation to the studies of the portuguese language, in the 20th century. Taking the discourse of the stylistic (about the style) in the grammatical production of the end of the 19th century, we tried mainly to describe two different processes, relatively to the constitution of the national language. The first, refers to the discourse of the stylistic (about the style) while a sense effect that will individualize us in relation to our language. The second, is understood the discourse of the stylistic (about the style) in relation to the constitution of a stylistic of the national language (a field of knowledge on the language), that is, we looked for to describe the stylistic in relation to a stylistic of our language. As we will see this stylistic it is defined while something individual. The alterations in the regular syntax are remitted to the emphasis given by the individual to reinforce the thought. This is the stylistic that will configure in our grammar. In the case, this stylistic is the way that the grammar finds of ¿annulling¿ what it would not be in syntony with your logical/rational discourse, guaranteeing the your hegemony. Thus, those alterations concern to the style and not to the language, to the rational thought, to the grammar. These alterations appear ¿domesticated¿ for the notion of style. The style becomes necessary to avoid that is visualized that the grammatical logic is not a ¿absolute true¿. The grammar delimits the style to understand the language. On the other hand, this discourse about the style in those grammars is constituted in a sketch of a study in the singular way of to speak and to write the language in Brazil. However, it is the traditional discourse about the style that we see it stands out in those grammars and that will constitute the reference for the development of a study (and of the teaching) stylistic in Brazil. The grammars will work with this traditional conception of style. In other words, it is this conception of the style that is ¿surviving¿ the times for the grammatical tradition. In that direction, the teaching of the style ¿combines¿ with the teaching of the grammar. We will show other stylistic studies also accomplished in Brazil that they come from other filiations (that not for the traditional grammar). That is, starting of the end of the 19th century, in that we tried to describe the relationship between the discourse of the stylistic and the grammar, in the historical process of constitution of the national language, our work went straight ahead with the analysis of some works on stylistic, in Brazil, in the 20th century, seeking to observe the unfolding of this relationship (between the discourse of the stylistic and the grammar), appearing for an independence of the stylistic. And, to conclude, we want to say that the discourse of the stylistic in the grammatical production of the end of the 19th century, mobilized the syntax figures to enhance the linguistic-historical materiality of the national language. In other words, the discourse of the stylistic that are speaking it was fundamentally syntax figures. Therefore, we tried to characterize the discourse about the style in those grammars. What discourse is this, that it speaks? As we will see, it will mobilize the syntax figures for your domain
Subject: Ideias linguisticas - História
Língua nacional
Análise do discurso
Estilistica
Ensino
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fragoso_ElcioAloisio_D.pdf393.92 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.