Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270668
Type: TESE
Title: A relação entre língua (escrita) e literatura (escritura) na perspectiva da história da língua no Brasil
Author: Fragoso, Élcio Aloisio
Advisor: Orlandi, Eni Puccinelli, 1942-
Orlandi, Eni de Lourdes Pulcinelli
Abstract: Resumo: Filiando-nos ao quadro teórico da Análise de Discurso de linha francesa, nosso estudo trabalha o Romantismo enquanto um processo de produção de sentidos decisivo para a formação do pensamento nacional. Dessa perspectiva, o Romantismo é parte constitutiva da formação da língua nacional/da nação brasileira/do Estado brasileiro. Ou seja, entendemos o Romantismo enquanto um discurso - um acontecimento de linguagem ~ que funda uma memória para a língua nacional/para a nação brasileira. Compreendei o Romantismo enquanto discurso consiste em descrever a relação entre língua e exterioridade (ideologia, história) e os efeitos de sentidos produzidos por esta relação Consideramos, assim, que as produções literárias românticas materializaram as ideologias formadoras do pensamento da época. Elas deram uma forma à relação entre língua e ideologia. Foi nessa direção que procuramos analisar o discurso romântico, ou seja, que buscamos descrever/interpretar os recortes discursivos, destacados das produções literárias românticas, que também, constituem o corpus de nossa pesquisa. Estas produções literárias (discursos) elaboradas durante o Romantismo instauraram uma posição discursiva (uma posição nacionalista) para o autor nacional, pois trata-se de considerá-las enquanto um "gesto de interpretação" (Orlandi, 1996c; 84) sobre a língua, realizado pelos escritores românticos. Desse modo, o Romantismo constituiu-se em uma formação discursiva, pois ele instaurou uma memória, que é fundadora de um pensamento nacional. Deste lugar, o escritor poderia falar enquanto autor nacional, enquanto autoridade da língua nacional. Tendo em vista este lugar (esta posição nacionalista) construído pelo discurso romântico para a autoria nacional, nosso trabalho analisa o modo como essa apropriação da língua se dá no Brasil. A produção literária romântica abriu, então, espaço para discussões/polêmicas entre escritores portugueses e brasileiros, em torno da língua que se praticava no Brasil, que se distanciava da língua portuguesa tradicional. Estas polêmicas são analisadas, tendo em vista a posição discursiva dos escritores, construída pelo discurso romântico, enquanto uma formação discursiva. Trata-se de compreender estas polêmicas como posicionamento em uma certa formação discursiva. Nesse sentido, os escritores portugueses e brasileiros não se inscreviam na mesma formação discursiva, uma vez que o Romantismo não se constituiu da mesma forma nestes dois países, considerando as suas condições históricas, o que resultou na produção de sentidos diferentes para eles, em relação à língua portuguesa. De um lado temos, então, os escritores portugueses que se finavam à memória da tradicional língua portuguesa. Por outro lado, temos os escritores brasileiros que se filiavam ao Naturalismo (teoria filosófica instaurada por Rousseau, mas que no Brasil articula-se à idéia de nacionalismo, portanto, à descrição dos elementos naturais deste país - a natureza e o índio). Desse lugar, nossos escritores movimentavam uma certa região da memória que configurou sentidos para este país. Memória esta relacionada à descrição de um pais, cuja natureza é a sua maior riqueza. Os nossos valores naturais, então, são retomados e retrabalhados (re-significados) pelo discurso romântico. Desse modo, os escritores românticos também interpretaram a língua praticada no Brasil por esse viés naturalista, ou seja, eles definiam a língua do Brasil como uma língua simples, natural, emotiva, libertada, etc. Portanto, essa filiação teórica ao Naturalismo foi decisiva paia que o Romantismo se constituísse com certos sentidos e não outros no Brasil. Enfim, nossas análises procuram mostrar que o Romantismo explicitou o divórcio entre o português de Portugal e o português do Brasil Descrevendo os sentidos construídos pelo discurso romântico para a nação brasileira, nosso trabalho destaca os efeitos destes sentidos em relação a língua na sua articulação ã literatura. Articulação esta que. através do Romantismo, imprimiu sentidos que singularizaram a língua nacional, Eis é um acontecimento discursivo/lingüístico que torna visível as transformações operadas na sistematicidade da língua portuguesa

Abstract: Speaking from the theoretical perspective of the French School of Discourse Analysis, our study works the Romanticism while a process of production of decisive meanings for a formation of national mind. From this perspective, the Romanticism is constitutive part of the formation of national language/Brazilian nation/Brazilian State. In other Words, We understand the Romanticism while a discourse - an event of language that installs a memory to a national language/to a Brazilian nation. It gives the visibility of a deed of national language. Understanding the Romanticism while discourse it consists to describe the relation between language and exteriority (ideology, history) and the effects of meanings produced by this relation. This way, the romantic literary productions practiced the ideologies that fixed the mind of the epoch. They gave a format to relation between language and ideology. It was in this direction that we analyse the romantic discourse, that is, we describe/interpret the fragments (discourses), retired of romantic literary productions, which make up our corpus of research. These literary productions (discourses), elaborated during Romanticism, inaugurated a discoursive position (a nationalist position) for the national author, for we are considering them while a "gesture of interpretation" (Orlandi, 1996c: 84) about the language, realized by the romantic writers. This way, the Romanticism resulted in a discoursive formation, for it inaugurated a memory that is founder of a national mind. From this position, the writer could speak while national author, while authority of national language According to this discoursive position (this nationalist position) inaugurate by Romanticism to national authorship, our work analyses the way like this appropriation of language occurs in Brazil. The romantic literary propitiated discussion between Portuguese and Brazilian Writes about the language oracticed in Brazil. These polemics are analyzed, according to the discoursive position of the writers, constructed by romantic discourse, while a discoursive. Therefore, we are understanding the polemics like inscription in a certain discoursive formation. Thus, the Portuguese and Brazilian writers did not belong to the same discousive formation, since the Romanticism wasn't constituted of same form in these two countries, considering their historical conditions, which resulted in the production of différera meanings for them, concernig the portuguesa language. On the one hand, we haw, so, the Portuguese writers that are affiliated to memory of traditional portuguesa language. On the other hand, we have the Brazilian writers that are affiliated to Naturalism (philosophical theory initiated by Rousseau, but that in the Brazil it is articulated to nationalism's idea, therefore, to description of the native elements this country - the nature and the "índio". From this position, our writers worked a certain region of memory that configurated meanings to this country. This memory is related to description of a country, which nature is your main treasure. Our natural values, so, are retook and "re-significados" by romantic discourse. This way, the romantic writers also interpreted the language practiced in the Brazil through of this naturalism, that is, they defined the Brazil's language like a simple, natural, emotive, liberated language. Therefore, this theoretical affiliation to Naturalism decided about the "character" of the meanings that were constituted in Brazilian Romanticism. Finally, our analysis show that the Romanticism explicated the divorce between the Portugal's portuguese and the Brazil's Portuguese. Describing the meanings constructed by romantic discourse to the Brazilian nation, our work shows the effects of these senses in relative to language in your articulation to literature. This articulation, through of Romanticism, fixed meanings that particularized the national language. It is a discoursive/linguistic event that become visible the transformations realized in the structure of portuguese language
Subject: Lingua
Análise do discurso
Cidadania
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fragoso_ElcioAloisio_M.pdf5.12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.