Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270655
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Descrição comparativa de aspectos fonetico-acusticos selecionados da fala e do canto em portugues brasileiro
Author: Medeiros, Beatriz Raposo de
Advisor: Albano, Eleonora Cavalcante, 1950-
Abstract: Resumo: Este trabalho, assim como diz o título da tese, é uma comparação de aspectos fonético-acústicos entre fala e canto. Os aspectos selecionados são: estrutura temporal, padrão formântico e co-produção entre consoantes e vogais. Para cada aspecto elaboramos um estudo, constituindo-se, assim, a tese, de três estudos. Inicialmente questionamos o mito da má dicção existente no meio musical de que os cantores e, sobretudo, as cantoras cantam sem proporcionar inteligibilidade ao texto cantado. Propomos verificar as semelhanças e diferenças existentes entre o que chamamos de duas modalidades de fala, a fala stricto sensu e a fala cantada, à luz da descoberta de Sundberg (1977), a fim, de levantar hipóteses do ponto de vista da produção sobre a inteligibilidade. A descoberta de Sundberg, que focou seu experimento em notas agudas produzidas por um soprano, é a de que, quanto mais elevada é a freqüência fundamental da nota musical, por exemplo 700 Hz, tanto mais a cantora abaixa a mandíbula, fazendo com que o primeiro formante da vogal cantada pareie com o primeiro harmônico da nota musical ou freqüência de fonação, como diz o autor sueco. Para a elaboração do experimento, levou-se em conta a canção erudita brasileira e uma característica sua própria, que é a de ser composta, de modo geral, em regiões de freqüência média, ou mesmo baixa. Assim, escolhemos uma canção de Francisco Mignone, a Cantiga de Ninar, para soprano, e destacamos uma frase para servir de frase-veículo, de tessitura grave-média. Introduzimos o logatoma /la¿CV/ na frase, sem alterar sua organização rítmica e melódica, como se pode ver com detalhes na Introdução, e a partir da gravação e digitalização das frases cantadas por cinco sopranos brasileiros, pudemos realizar as medidas acústicas necessárias. Foram elas: medida da duração dos segmentos do logatoma e medida dos três primeiros formantes da vogal-alvo da sílaba CV. Nesta sílaba, a consoante era [p,t,k] e as vogais eram [a,e,e,i,J,o,u], orais, em posição acentual tônica. Para realizar nossas hipóteses explicativas a respeito das diferenças encontradas entre fala e canto, partimos dos resultados acústicos e, a partir deles, respaldados pela Teoria Acústica da Produção de Fala (Fant, 1960) interpretamos as manobras articulatórias do canto e chegamos à conclusão geral de que estas estão submetidas a pelo menos duas restrições musicais que são: a afinação e o volume da nota. No entanto, como esta nota é produzida sobre uma vogal, para que essa última não seja totalmente descaracterizada, há uma negociação entre a fala e o canto, com o fim de manter certa inteligibilidade do texto. Nesta negociação verifica-se - esse é nosso achado - o seguinte: as consoantes são encurtadas no canto, os três primeiros formantes pareiam com os harmônicos da nota e não há fenômeno de coarticulação no canto. Propromos que esta negociação, que implica capacidades cognitivas lingüísticas e musicais, pode ser estudada - num outro momento ¿ à luz da Fonologia Acústico-Articulatória, a FAAR, (Albano, 2001). Adiamos propositalmente estudos perceptuais para o futuro, por sua complexidade e morosidade. Nesta tese, nosso objetivo era uma descrição fonético-acústica, do ponto de vista da produção das duas modalidades investigadas, a fim lançar uma luz, apenas inicial, na questão da inteligibilidade da canção erudita

Abstract: In this dissertation three acoustic phonetic aspects were selected in order to compare speech to singing. The selected aspects were temporal structure, formant pattem and coproduction between consonants and vowels; and for each aspect a study has been elaborated, thus consisting the thesis the sum of this three studies. First we discuss the bad diction myth, widespread among musicians, which propagates that singers and especially female singers sing in an unintelligible way. Our purpose in this investigation is to verify similarities and differences between what we call the two speech types, speech stricto sensu and sung speech, following Sundberg's finding (1977) in order to raise hypotheses from the production's point of view. Sundberg's finding, which focused treble notes produced by a soprano in his experiment, is that the higher the fundamental frequency of the musical note, the more the mandible is lowered, and as a result the first formant of the sung vowel matches the first harmonic of phonation frequency. To elaborate the experiment we focused on the Brazilian classical song and one of its characteristics that is to be composed, in general, in middle frequency regions, or even low frequency. A song by Francisco Mignone, Cantiga de Ninar, for soprano was chosen, from which we extracted a phrase to be the carrier-phrase in a low mean frequency region. The nonsense word /la'CV/ was introduced in the carrier phrase, without altering its rhythmic and melodic structure. Once the spoken and sung phrases produced by five Brazilian sopranos were recorded and digitized, we were able to perform the acoustic measurements which were the nonsense word segment duration and the first three formants ofthe vowel target in the CV syllable. In this syllable the consonant was [p,t,k] and vowels were [a, 'épsilon¿,e, i, 'ômicron¿, o, u], oral, in stressed position. To raise our explaining hypotheses conceming the differences between speech and singing we took into account the acoustic results and interpreted the articulatory singing manoeuvres based on the Acoustic Theory of Speech Production of Fant (1960). Our general conc1usion was that these manoeuvres are subject to at least to two musical constraints: tuning and volume. However, as the note is produced on a vowel it means there must be a trade-offbetween speech and singing to avoid the loss of vowel colour, as well as to avoid unintelligibility. Our finding has to do with how this trade-offhappens: consonants are shortened in singing, the first three formants match the harmonics and instead of coarticulation there is coproduction in singing. We propose that this trade-off implying musical and linguistic cognitive abilities, can be examined later, on the basis of the FAAR Acoustic Articulatory Phonology (Albano, 2001)
Subject: Fonética
Acústica
Fala
Canto
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Medeiros_BeatrizRaposode_D.pdf3.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.