Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270615
Type: TESE
Title: Estratégias de categorização em contextos patológicos e não patológicos : construções referenciais através da hiperonímia
Title Alternative: Strategies of categorization in pathological and non pathological contexts : referential constructions through hyperonymy
Author: Olsen-Rodrigues, Janaina, 1989-
Advisor: Morato, Edwiges Maria, 1961-
Abstract: Resumo: Com base em uma abordagem sociocognitiva da linguagem, esta pesquisa investiga e analisa as construções referenciais da hiperonímia, bem como as estratégias de ativação dos objetos de discurso a elas subjacentes, formuladas por afásicos, por indivíduos com Doença de Alzheimer em fase inicial e por indivíduos pertencentes a casos não patológicos. Como instrumento metodológico, adota-se um protocolo composto por dezoito conjuntos de três co-hipônimos cada. Tal ferramenta tem como intuito focalizar e delimitar o trabalho linguístico e sociocognitivo, assim como o percurso enunciativo realizado pelos sujeitos ao categorizar. Em consonância com esse protocolo, foi elaborado um comando que propõe aos participantes a atividade de agrupar os itens lexicais (co-hipônimos) em um mesmo "conjunto", sendo essa a noção que ampara o conceito da relação semântica de hiperonímia. A análise das estratégias empregadas pelos participantes dos casos patológicos, tal como a comparação entre elas e aquelas mobilizadas por indivíduos não afásicos e não Alzheimer, constitui a investigação científica pretendida propriamente dita. Tendo como principal motivação a necessidade de um melhor entendimento acerca das relações entre linguagem e cognição, a pesquisa fundamenta-se, do ponto de vista teóricometodológico, em três domínios: o da Semântica, o da Linguística Textual e o da Neurolinguística. Partindo da tentativa de categorizar e culminando na elaboração de enquadres cognitivos, apreciações, hiperônimos com diferentes graus de prototipicidade, holônimos, etc., os participantes revelam uma pluralidade de referentes, e explicitam o papel dos objetos de discurso como elementos dinâmicos, que são inseridos, mantidos, identificados, retomados, construindo ou reconstruindo, por esta via, os sentidos no curso da progressão textual (KOCH & MARCUSCHI, 1998; KOCH, 2002). Assim, observando como os indivíduos constroem seus agrupamentos e os representam, podemos inferir as motivações que subjazem a esse procedimento de categorização

Abstract: From a socio-cognitive approach to language, this research aims to investigate and to analyze the constructions of reference through hyperonymy formulated by individuals with aphasia, with Alzheimer's disease (in its early stages) and by individuals without any linguistic disorders from co-hyponyms presented to them. As a methodological resource, we adopt a protocol composed of eighteen sets of three co-hyponyms each. This tool has the intention to focus on and define the social cognitive and linguistic work, as well as the enunciative path used by the subjects in order to categorize. In line with this protocol, we designed a command that proposes to the participants the activity of grouping lexical items (co-hyponyms) in the same "set". This notion of grouping supports the concept of the studied semantic relationship: hyperonymy. The analysis of these strategies and also the comparison among them and those used by the control group (non-aphasic and non- Alzheimer individuals) compose the scientific investigation itself. Taking as main motivation the necessity of a better understanding of the relations among brain, language and cognition, the theoretical and methodological underpinnings of this research rest on works from three sound domains: Semantics, Textual Linguistics and Neurolinguistics. From the attempt to categorize and culminating in the development of cognitive framings, appraisals, hyperonyms with different degrees of prototypicality, holonyms, etc., participants reveal a plurality of referents, and demonstrate the role of objects of discourse as dynamic elements that are inserted, maintained, identified, building or rebuilding, in this way, the meanings in the course of textual progression (KOCH & MARCUSCHI, 1998; KOCH, 2002). Thus, by observing how individuals construct their groups and represent them, we can infer the underlying motivations in this categorization process
Subject: Sociocognitivismo
Semântica
Linguística textual
Neurolinguística
Categorização (Linguística)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Olsen-Rodrigues_Janaina_M.pdf1.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.