Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270590
Type: TESE
Title: A resistencia das palavras : um estudo do discurso politico britanico sobre a India (1942-1947)
Author: Grigoletto, Marisa
Advisor: Guimarães, Eduardo, 1948-
Guimarães, Eduardo R. J.
Abstract: Resumo: Nesta tese, constituímos como objeto de investigação o discurso político britânico sobre a índia em um recorte específico que é o discurso produzido sobre a preparação da concessão da independência à colônia. Interessava nos compreender os efeitos de sentido produzidos por um discurso sobre a "transferência de poder" na constituição de formas de representação do eu (colonizador, governante), do outro (colonizado, governado) e da relação entre eles no interior de uma relação colonial, mas em um discurso que podemos denominar de "transição" pelo fato de antecipar uma nova configuração política que, supomos, desloca sentidos estabilizados em uma relação de colonização. O quadro teórico-metodológico no qual esta pesquisa está situada é a área de análise do discurso que postula que a linguagem é constituída sócio historicamente e estruturada por formações ideológicas e que os sentidos de u.m discurso se constituem no seu exterior, em outros discursos. A análise que empreendemos, do tipo semântico-enunciativa, toma o acontecimento enunciativo como lugar de observação dos sentidos de um discurso para nele compreender o funcionamento da língua na sua historicidade. Sob essa perspectiva, procura-se apreender as relações de um discurso com seu exterior constitutivo no sentido de que esse exterior tem modos diversos de se fazer presente e significar em um discurso determinado. Concluímos, em nossa análise, que a configuração discursiva que rege o discurso político britânico sobre a transferência de poder na índia caracteriza-se por fazer coexistirem sentidos contraditórios vindos de diferentes regiões do interdiscurso em um jogo entre dois opostos: aparentemente rompem-se os sentidos de um discurso colonialista por meio de "novas" formas de representação do eu e do outro (por exemplo, através de construções lingüísticas que remetem à igualdade, amizade e cooperação na relação entre britânicos e indianos), as quais são, no entanto, atravessadas por sentidos que invocam a memória da colonização e que são formuláveis somente no discurso colonialista. Nesse discurso, a configuração discursiva organiza as posições do sujeito enunciador e os funcionamentos discursivos de maneira a fazê-Ios significar de dois lugares políticos irredutivelmente contrários: o lugar do império e o lugar que reconhece o espaço da representação política

Abstract: The object of study of this dissertation is the British political discourse about India at the moment in which the preparations for handing over independence to India were being carried out. Our main interest was to understand the meaning effects produced by a discourse about the "transfer of power" as it constitutes forms of representing the self (colonizer, governar), the other (colonized, governed) and the relationship between them within a colonial frame. But this colonial frame is, nevertheless, signified by a discourse that could be termed a "transition" discourse because it anticipates a new political setting which should be able to dislocate stabilized meanings in a relationship of colonization. Our theoretical and methodological framework is a perspective of discourse analysis which postulates that language is socio-historically Constituted and structured by ideological formations and that the meanings of a discourse are constituted in other discourses, that is, in its interdiscourse. The specificity of our analysis, an analysis which is both semantic and enunciative, lies in that the enunciative event is taken as the place of observation of the meanings of the discourse with a view to understanding how language functions from a historical perspective. Thus, the analyst seeks to aprehend the relationships between this discourse and its constitutive alterity in the sense that this alterity has various ways of signifying in a given discourse. Through our analysis we concluded that the discursive configuration which governs the British political discourse about the transfer of power in India is characterized by the fact that it puts together contradictory meanings which come from different regions of the interdiscourse in the shape of a game of oppositions: apparently there is a rupture with meanings which come from a colonialist discourse through "new" forms of representation of the self and the other (for example, by means of linguistic constructions which speak of equality, friendship and cooperation in the relationship between British and Indians). However, these constructions are crossed by meanings which invoke the memory of colonization and which can only be formulated in a colonialist discourse. In the discourse we analysed, the discursive configuration organises the subject positions and the way of functioning of this discourse so as to make them signify from two opposing positions: the discursive "place" of the empire and the "place" which recognises the sphere of political representation
Subject: Análise do discurso
Semântica
Colonização
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1988
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Grigoletto_Marisa_D.pdf4.91 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.