Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270571
Type: TESE
Title: A enunciação do transbordamento das regras : a estilistica no discurso da gramatica
Author: Agustini, Carmen Lucia Hernandes
Advisor: Guimarães, Eduardo, 1948-
Guimarães, Eduardo Roberto Junqueira, 1948-
Abstract: Resumo: Não existe gramática desprovida de exemplos. Esses têm valor pedagógico, demonstrativo, ilustrativo e aplicativo de uma regra. Tradicionalmente, a gramática extrai exemplos da literatura, produzindo-lhe uma imagem de língua legitima e correta. No entanto, o gramático encontra na literatura contra-exemplos para as regras gramaticais que institui, mostrando aí uma contradição que ele "resolve" argumentando que se trata de uma "transgressão" realizada por razões estilisticas, por razão de uma intenção estética do escritor. A Estilística, em decorrência, comparece na gramática para legitimar as regras para as quais o gramático encontra contra-exemplos literários, o que estabelece uma relação de complementaridade entre Gramática e Estilistica. A relevância social da literatura poderia levar à refutação dessas regras e ao descrédito do gramático responsável por elas, "obrigando-o" a enunciar o transbordamento da regra enquanto recurso estético-expressivo. Em nosso trabalho, abordarmos o estabelecimento da relação de complementaridade entre Gramática e Estilistica. A partir da enunciação do transbordamento das regras enquanto parte da Estilística, realizamos uma análise de quatro textos gramaticais, a fim de compreender e explicitar o seu funcionamento discursivo. Esse transbordamento é um resíduo da instituição das regras que o gramático não pode ignorar, pois faz parte da prática linguageira da qual se vale para instituirllegitimar as regras gramaticais: a língua literária. Ignorá-Ias poderia comprometer a eficácia ideológica do discurso da gramática; havendo uma necessidade discursiva, referente à textualização política (Courtine, 1981) do discurso da gramática, de silenciar (Orlandi, 1995) os sentidos marginais que "reclamam" a divisão política da língua. Esse silenciamento é necessário ao discurso da gramática, visto que é imprescindivel à gramática estabilizar sentidos que "apaguem" sua constituição política, para que se construa (e se mantenha) uma realidade lingüística para os falantes, produzindo uma unidade e uma homogeneidade (imaginária) pela língua. A enunciação do transbordamento da regra funciona como um mecanismo de controle-regulagem dos efeitos de sentido que atravessam o discurso da gramática e que sustentam a unidade e a homogeneidade (imaginária) da língua nacional e que poderiam promover contestações políticas sobre a instituição das regras. Um mecanismo de controle-estabilização de sentidos que estabelece uma tripartição para as possibilidades de dizer: gramaticais, erros, recursos estilisticos
Subject: Análise do discurso - História
Língua portuguesa - Estilo
Língua portuguesa - Gramática
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Agustini_CarmenLuciaHernandes_D.pdf10.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.