Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270522
Type: TESE
Degree Level: Tese (doutorado) - Univers
Title: O uso de se com infinito na historia do portugues : do portugues classico ao portugues europeu e brasileiro modernos
Author: Cavalcante, Silvia Regina de Oliveira
Advisor: Galves, Charlotte, 1950-
Galves, Charlotte Marie Chambelland, 1950-
Abstract: Resumo: A análise sincrônica da variação 0 j se com infinitivo em amostras de fala (NurcjRJ e Português Fundamental) e de escrita (jornais) do Português Brasileiro (PB) e do Português Europeu (PE) revela uma diferença no percentual do uso de se com infinitivo: PE apresenta uma média de 8% de presença de se nas amostras de fala e de escrita, ao passo que PB apresenta uma média de 25% e de .50% de se na fala e na escrita respectivamente. partir de tais resultados, esta tese procura entender a evolução diacrônica de se com infinitivo que dá lugar a esse uso diferenciado em PE e PB. Para isso, trata da variação 0 j se numa amostra de textos de autores portugueses nascidos entre os séculos 16 e 19, que compõem o Corpus Anotado do Português Histórico - Corpus Tycho Emhe. Nesta amostra, a média de se com infinitivo sofre uma mudança: até o século 18 (período do Português Clássico - PCI), há 20% de presença de se nas infinitivas; a partir do século 18 (Português Europeu), há 10% de presença de se nas sentenças infinitivas. A análise se fundamenta (a) no tipo de se que pode aparecer junto ao infinitivo: sepassivo, se-indefinido e se-impessoal (cj. Raposo e U riagereka 1996 e Martins 2003), e (b) na natureza de AGR não finito em PB e PE (cj. Moreira da Silva 1983, Galves 1993 e Figueiredo Silva 1996). Com base neste quadro teórico e nos resultados de um conjunto de mudanças ocorridas na gramática do PB, é possível argumentar a favor de que, enquanto no PE, um sistema em que AGR é forte, capaz de licenciar e identificar sujeitos nulos, aparecem o se-indefinido e o se-impessoal; no PB, um sistema de AGR fraco no traço [pessoa], o se é o se-impessoal e aparece para identificar o referente indeterminado da posição sujeito de infinitivo, em variação com os pronomes a gente e você. No PCI, diferentemente, aparece o se-passivo nas infinitivas. Com esses resultados, procuro contribuir para uma descrição mais acurada das diferenças paramétricas existentes entre PE e PB. Esses resultados, aliados às pesquisas desenvolvidas dentro do quadro teórico gerativista, contribuem para se postular que estamos diante de três gramáticas distintas: a do PCI, a do PE e PB

Abstract: The synchronic analysis of 0/ se variation in infinitival sentences in spoken and written dialects of both Brazilian and European Portuguese samples reveals a different rate of se: Brazilian Portuguese presents a higher rate of se in infinitival clauses than European Portuguese. Taking in consideration this difference, this dissertation tries to explain the diachronic evolution of se in infinitival clauses that causes this different usage in EP and BP. Thus, this research deals with the variation 0/ se in a sample of portuguese writers bom between the 16th and 19th centuries, which makes Tycho Brahe Parsed Corpus of Historical Portuguese - Tycho Brahe Corpus. In this sample, the avarage of se in infinitivals undergoes a change: up to the 18th century (the sq-called Classical Portuguese period), there is 20% of se in infinitivals: whereas from the 18th century on (European Portuguese), there is 10% of se in infinitival clauses. The analysis is based on (a) the kind of se that may appear with infinitive: passive-se, indefinite-se and impersonal-se (cf Raposo e Uriagereka (1996), Martins (2003)), and (b) the nature of non-finite AGR in BP and EP (cf Moreira da Silva (1983), Galves (1993) and Figueiredo Silva (1996)). Based on this theoretical framework and on the results of the changes undertaken on the grammar of BP, it is possible to argue that, in EP, with a rich AGR system, able to licence and identify null subjects, we find indefinite-se and impersonal-se. ln BP, a weak AGR system with regards to the [person] feature, there is only impersonal-se and this pronoun appears to identify the indeterminate referent to the subject position of the infinitive, in variation with the arbitrary pronouns a gente and você. ln Classical Portuguese, we find the passive-se in infinitival sentences
Subject: Mudanças linguísticas
Sintaxe (Gramatica)
Gramática gerativa
Lingua portuguesa - Infinitivo
Lingua portuguesa - Pronomes
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cavalcante_SilviaReginadeOliveira.pdf688.72 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.