Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270496
Type: TESE
Title: Sujeito nulo e ordem VS no português brasileiro : um estudo diacrônico-comparativo baseado em corpus
Title Alternative: Null subject and VS order in brazilian portuguese : a diachronic-comparative study based on corpus
Author: Gravina, Aline Peixoto, 1982-
Advisor: Galves, Charlotte, 1950-
Galves, Charlotte Marie Chambelland, 1950-
Abstract: Resumo: Nesse trabalho foi elaborado um estudo comparativo-diacrônico a respeito do uso do sujeito nulo e da inversão do sujeito no PB e no PE, a partir de um corpus composto por jornais que circularam na primeira e segunda metade do século 19 e na primeira metade do século 20 nas cidades de Ouro Preto no Estado de Minas Gerais/Brasil e na cidade de Évora no Distrito de Évora/Portugal. Os jornais utilizados para este estudo foram os seguintes: O Recreador Mineiro (1845 ¿ 1848); O Jornal Mineiro (1897 ¿ 1900) e Tribuna de Ouro Preto (1945 ¿ 1948) no Brasil e A Illustração luzo-brasileira (1856-1858); O Manuelinho de Évora (1890-1898) e Notícias de Évora (1945-1948).Para efetuar as descrições dos fenômenos estudados, foram analisadas mais de 14 mil sentenças desse corpus. Nosso objetivo nesta tese foi o de averiguar e descrever a relação entre o sujeito nulo e a inversão do sujeito na diacronia do PB, através de um estudo comparativo com dados do PE. Para respaldar e explicar a relação entre esses fenômenos, seguimos os pressupostos apresentados por Holmberg (2010) a respeito da presença/ ausência de traços-D não interpretáveis em T para as línguas de sujeito nulo consiste e para as línguas de sujeito nulo parcial, respectivamente. Os resultados quantitativos mostraram que a gramática do PB teria sofrido uma mudança no que diz respeito ao uso de sujeito nulo: perdido a característica de uma língua de sujeito nulo consistente e adquirido propriedades de uma língua com sujeito nulo parcial. Verificou-se nos dados um alto preenchimento do sujeito com o decorrer do tempo por meio de uma estratégia que denominamos de Sujeito Lexical Anáforico. A mudança de gramática de sujeito nulo entre o PB e o PE foi constatada em nossos dados à medida que o número de sujeito nulos encontrados em PE permaneceu com alta porcentagem e constante em todos os períodos e ambientes sintáticos analisados . Além disso, o PE não apresentou qualquer necessidade de uso de estratégias de preenchimento como foi atestado em PB. A realização do sujeito nulo com primeira pessoa apresentou um comportamento diferenciado do sujeito nulo de terceira pessoa nos dados do PB, o que reforça a hipótese de o PB ser uma língua de sujeito nulo parcial. Em relação à inversão, quantitativamente, não foram encontrados diferenças no número de suas realizações. Observou-se que tanto em PB, quanto em PE a inversão com verbos inacusativos é um ambiente produtivo. Embora, no PB, observou-se que preferencialmente esta ordem ocorre com algum elemento locativo preenchendo a posição anterior ao verbo. Com verbos transitivos, para o PB nossas análises vão ao encontro do trabalho de Pilati (2002;2006), foi observada uma maior ocorrência da ordem VOS e a interpretação dessa inversão é que além de se ter um objeto menos referencial, toda a sentença é a informação nova na sentença, ou seja, toda sentença é focalizada. A consequência dessa análise para a derivação é a de que todos os elementos estejam em uma posição mais alta. Diferentemente do PE, que na ordem VOS tem a interpretação de foco apenas no sujeito. A consequência para derivação é que o objeto faz um movimento via scramblig para uma posição intermediária no TP e assim produzir a ordem VOS em posição mais baixa que o PB

Abstract: Our goal in this dissertation is to diachronically examine and describe the relation between null subject and subject inversion in Brazilian Portuguese (BP), through a comparative study with data from European Portuguese (EP) . In order to do so, we have assembled a corpus of Brazilian newspapers- O Recreador Mineiro (1845 ¿ 1848); O Jornal Mineiro (1897 ¿ 1900) e Tribuna de Ouro Preto (1945 ¿ 1948)- and Portuguese newspapers? Illustração luzo-brasileira (1856-1858); O Manuelinho de Évora (1890-1898) e Notícias de Évora (1945-1948). More than 14,000 sentences were analyzed to describe the studied phenomena. To support and explain the relation between null subjects and subject inversion, we follow Holmberg¿s (2010) proposal. The author argues that in consistent null subject languages there is an uninterpretable D-feature in T, absent in partial null subject languages. The quantitative results showed that BP grammar underwent a change with regard to the use of null subjects: it lost the features typical of a consistent null subject language and acquired properties typical of a partial null subject language. We have found out that anaphorical lexical subjects are one of the strategies to realize the subject position in the BP database. A change in the grammar of null subjects in the BP data is observed from their respective numbers when compared to those of EP, which have remained constant, with a high frequency during all periods analyzed according to their syntactic environments. Furthermore, EP showed no strategies to fill the subject position as was attested for BP. The different realization of first person null subjects vis-à-vis third person null subjects in the BP data reinforces the hypothesis that BP is a partial null subject language (Rodrigues, 2004). With respect to subject inversion, the results showed no significant differences between one language and the other. Despite both BP and EP display subject inversion with unaccusative verbs productively throughout their diachronies, in BP it occurs preferentially with some element filling the sentence first position, with either locative or adverbial value. With transitive verbs in BP, the most frequent word order over time is VOS, where O is not referential, according to Pilati (2002, 2006). Once we argue that in those cases, the whole sentence is new information - thus presenting large focus projection - all elements end up in a high position in the derivation. On the other hand, VOS order in EP, presents narrow focus as the sentence subject. The consequence for the syntactic derivation is that the object moves via scrambling into an intermediate position in Spec,TP. In other words, the derivation of VOS order in EP involves movement to a lower position if compared to the one targeted in BP
Subject: Gramática comparada e geral - Sujeito nulo
Ordem (Gramática)
Linguística histórica
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gravina_AlinePeixoto_D.pdf6.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.