Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270490
Type: TESE
Title: Andar a pé em Campinas : o pedestre no limiar entre o público e o privado. Uma análise discursiva
Title Alternative: Walking in Campinas : the pedestrian in the threshold between public and private. A discursive analysi
Author: Ferreira, Maria Gracinda Salvador, 1955-
Advisor: Rodriguez Zuccolillo, Carolina Maria, 1964-
Zuccolillo, Carolina Maria Rodríguez
Abstract: Resumo: Nossa pesquisa se inscreve na perspectiva teórico-metodológica da Análise do Discurso materialista, na área Saber Urbano e Linguagem, e tem como objetivo compreender o movimento nas calçadas da cidade de Campinas, vistas como objetos de discursos e afetados pelas fronteiras entre o público e o privado. Para tanto, tomamos a cidade como objeto de análise, considerando-a como um lugar simbólico que produz sentidos, a partir de sua materialidade peculiar, conceito que afeta tanto o campo dos estudos da cidade quanto o do discurso. Nossa questão, aqui, é a de que há uma linha tênue de fronteira entre público e privado nas (novas) práticas das calçadas, diante dos obstáculos que aparecem nesses espaços, destinados ao pedestre, à sua mobilidade e movimento, redefinindo, hoje, seus modos de ocupação e de circulação. Procuramos refletir e discutir de que maneira as contradições e transformações sócio-históricas, relacionadas a esse par público/privado, podem ser fatores relevantes no estudo das produções de um determinado espaço urbano, tanto do ponto de vista de sua composição arquitetural quanto da mobilidade e da experiência cotidiana dos cidadãos. Para tanto, foi necessário determinar a natureza da relação entre linguagem/sujeito/mundo, entendendo este último como espaço de vida numa forma histórica, a cidade, entre outras possíveis para ele. Assim, estudar a cidade como espaço simbólico, constituído pela linguagem, nos levou a atribuir à materialidade da língua um estatuto central na decorrência de que sujeito, sentidos e espaço resultam do mesmo processo simbólico e que existe entre eles uma relação constitutiva. Trabalhar nessa dimensão nos permitiu analisar a produção do espaço como um processo articulado entre os que o concebem e administram, bem como os que percebem esse mesmo espaço, suas ambiências, nas relações cotidianas, nas suas experiências de locomoção, no nosso caso, as calçadas, todos inscritos numa memória comum que relaciona, na contradição, todos os gestos que participam de sua produção. Considerando todas as contradições que envolvem esse recorte urbano, que já é um recorte da rua, percebemos que a alguns lhes é permitido utilizar e usufruir deles, até mesmo com a permissão dos aparelhos do Estado, a outros, lhes é interditado, não restando senão um canto qualquer debaixo de uma marquise ou a inevitável opção de se projetar para a rua, para a avenida, concorrendo com os automóveis, para poder caminhar e seguir ao seu destino, pois as calçadas surgem interditadas àquele que, de direito, deveria usufruir delas

Abstract: Our research is in the field of theoretical and methodological perspective of materialistic discourse analysis, of Urban Knowledge and Languages, and aims to understand the movement on the sidewalks of the city of Campinas, seen as objects of discourse and affected by the boundaries between public and private. Therefore, we take the city as an object of analysis, considering it as a symbolic place that makes sense, from its quirky materiality, concept that affects both the field of city studies as of discourse. Our point here is that there is a fine line boundary between public and private in the (new) practices of the sidewalk, towards the obstacles that appear in these spaces intended for pedestrian to their mobility and movement, redefining, today, their ways of occupation and circulation. We seek to reflect and discuss how the contradictions and sociohistorical transformations, related to that public / private pair, may be relevant factors in the study of the production of a particular urban space, both from the point of view of its architectural composition as of its mobility and everyday citizen experience. Therefore, it was necessary to determine the nature of the relationship between language / subject / world, understanding this latter as a living space in a historical form, the city, among others possible for it. Therefore, studying the city as a symbolic space, constituted by language, led us set to the language materiality a central statute in the result that subject, senses and space derive from the same symbolic process and that there is a constitutive relationship between them. Working at this scale allowed us to analyze the production of space as an articulated process between those who conceive and administer it, as well as those who notice that same space, its ambiences, in everyday relations, in their locomotion experience, the sidewalks in our case, all inscribed in a common memory that connects, in contradiction, all the gestures that participate in its production. Considering all the contradictions surrounding this urban cut, which already is a cutout from the street, we noticed that for some are allowed to use and enjoy them, even with the permission of the State apparatus, for others it is forbidden, nothing left but a corner under a marquee or the inevitable option of protrude into the street, the avenue, competing with cars to be able to walk and follow to his destination, because the sidewalks arise interdicted to him that, in law, should enjoy them
Subject: Áreas de pedestres - Campinas (SP)
Calçadas
Análise do discurso
Linguagem
Espaço urbano
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferreira_MariaGracindaSalvador_M.pdf7.13 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.