Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270485
Type: TESE
Title: Instrumentos linguísticos de Língua Brasileira de Sinais = constituição e formulação = Linguistic instruments of Brazilian Sign Language: constitution and formulation
Title Alternative: Linguistic instruments of Brazilian Sign Language : constitution and formulation
Author: Silva, Nilce Maria, 1967-
Advisor: Rodriguez Zuccolillo, Carolina Maria, 1964-
Zuccolillo, Carolina Maria Rodríguez
Abstract: Resumo: Esta tese tem como objetivo compreender a história da produção de conhecimento sobre a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS, na relação com os sujeitos e com o Estado. Busca, principalmente, compreender o modo de funcionamento do dicionário, enquanto instrumento linguístico, sua constituição e formulação, a partir do olhar da História das Ideias Linguísticas em articulação com a Análise de Discurso. Distinguimos três períodos principais na produção desses intrumentos. O primeiro diz respeito à publicação da Iconografia dos Signaes dos Surdos- Mudos, de Flausino José da Gama, em 1875, obra fundadora do saber lexicográfico sobre a língua de sinais do Brasil, conforme lemos nas análises e nos discursos sobre ela. A produção de instrumentos lexicográficos foi, entretanto, interrompida por quase um século, até sua retomada na década de 1960, devido a fatores relacionados à proibição da língua de sinais instituída a partir do Congresso de Milão, em 1880. O segundo período que identificamos, portanto, está constituído por um conjunto de obras publicadas desde os anos 1960 até a década de 1990: Linguagem das Mãos (1969), do Pe. Eugênio Oates; Linguagem de Sinais do Brasil (1983), de Harry Hoemann, Eugênio Oates & Shirley Hoemann; Comunicando com as Mãos (1987), de Judy Ensminger, e Linguagem de Sinais (1992), editados pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Esse conjunto de dicionários, produzidos e publicados por instituições religiosas, alia uma ampliação do léxico da língua de sinais à uma discursividade religiosa. Tais dicionários apresentam uma série de características que serão aqui analisadas: os sinais/verbetes são distribuídos por temas, seguem a alfabetação das palavras da língua portuguesa e seu modo de realização é ilustrado com foto ou desenho; o enunciado lexicográfico é observado a partir da descrição do modo como o sinal é realizado. O terceiro período na história da produção de obras dicionarísticas da língua de sinais começa com a oficialização da LIBRAS como língua da comunidade surda do Brasil, em 2002. São três os dicionários estudados: o Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue da Língua de Sinais Brasileira (2001), de Fernando César Capovilla e Walkíria Duarte Raphael; o Dicionário da Língua Brasileira de Sinais (2006), de Tanya Amara Felipe de Souza e Guilherme de Azambuja Lira e o Novo Deit-Libras: Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue da Língua de Sinais Brasileira (2009), de Fernando César Capovilla, Walkíria Duarte Raphael e Aline Cristina L. Maurício. Essas obras se caracterizam, de modo geral, pela apresentação que os autores propõem dos sinais a partir de elementos oriundos da lexicologia e da lexicografia da língua oral, aliado ao conhecimento da língua de sinais referente à descrição da forma dos sinais; notamos nessas obras uma tentativa caracterizada pela ilusão de oferecer maior "transparência" e "completude" à língua e ao dicionário. Os estudos desenvolvidos permitem concluir que há um percurso de produção científica sobre a LIBRAS, que possibilita, aos autores, elaborar dicionários e gramáticas que sustentam a gramatização da LIBRAS. Ao mesmo tempo em que se legitima a LIBRAS, por meio dos estudos científicos sobre a língua, institucionalizam-se os saberes produzidos, por meio de instrumentos linguisticos como os dicionários e gramáticas

Abstract: This thesis aims to understand the history of the production of knowledge about the Brazilian Sign Language - LIBRAS in relation to the subjects and the state. It searches principally to understand the mode of operation of these instruments, their formation and formulation, from the look of the History of linguistics Ideas in conjunction with the Discourse Analysis. We distinguish three main periods in the production of these instruments. The first concerns the publication of the Iconography of signs of Deaf-Mutes, by Flausino José da Gama in 1875, the founding work of lexicographical knowledge about sign language of Brazil as we read in the analysis and in the discourses about it. The production of lexicographical tools was, however, halted for almost a century until its revival in the 1960s, due to factors related to the prohibition imposed from the Congress of Milan in 1880. Therefore, the second period we identified is constituted by a set of published works since the 1960s until the 1990s: Language of Hands (1969), the Rev. Eugene Oates; Sign Language of Brazil (1983), Harry Hoemann, Eugene Oates & Shirley Hoemann; Communicating with the Hands (1987), Judy Ensminger, and Sign Language (1992) published by the Watch Tower Bible and Tract Society. This set of dictionaries produced and published by religious institution, combines an extension of the lexicon of sign language to a religious discourse. Such dictionaries have a number of features that will be discussed: the signs/entries are divided by subject, following the alphabetical words of portuguese language and its mode of realization is illustrated by photo or drawing, the lexicographical utterance is observed from the description the way the signal is performed. The third period in the history of the production of dicionaristics books of sign language begins with the official of Libras as the language of the deaf community in Brazil in 2002.There are three dictionaries studied: Brazilian Sign Language Trilingual Illustrated Encyclopedic Dictionary (2001) Fernando César Duarte Walkíria Capovilla and Raphael; Brazilian Sign Language Dictionary (2006), Tanya Amara Felipe and Guilherme de Souza de Azambuja Lira and New deit- Libras: Trilingual Illustrated Encyclopedic Dictionary of Brazilian Sign Language (2009), Fernando César Capovilla, Walkíria Raphael Duarte and Aline Cristina L. Mauricio. These works are characterized, in general, by the presentation that authors propose of the signals from elements derived from lexicology and lexicography of oral language, coupled with the knowledge of sign language on the description of the form of the signals, we note, in these works, a characterized attempt by the illusion to offer greater "transparency" and "completeness" to the language and the dictionary. The studies carried out indicate that there is a path of scientific literature on Libras which enables the authors to elaborate dictionaries and grammars that support grammatisation the Brazilian Sign Language. While that legitimizes Libras, through scientific studies on the language, there become institutionalized knowledge produced through linguistic tools such as dictionaries and grammars
Subject: Linguagem por sinais - Dicionários
Ideias linguisticas - História
Língua brasileira de sinais
Análise do discurso
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_NilceMaria_D.pdf11.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.